01/08/12 | 10:20
Zona Leste recebe mais uma unidade do Telecentro

Com a inauguração nesta terça-feira, (31), do 111° Telecentro da Escola Mul. Prof° Roberto dos Santos Vieira (João Paulo II) contabiliza-se mais de 50% das unidades de tecnologia que serão entregues até o final deste ano.

Um aparato tecnológico e pedagógico para receber alunos, professores e a comunidade em geral promovendo a capacitação e democratização do acesso à informação – essa é uma das conceituações dos telecentros que serão instalados em 219 escolas municipais.

O Subsecretário de Gestão Educacional da Semed, Suames Maciel, ressaltou que a Prefeitura de Manaus está realizando a implementação de 219 unidades dos Telecentros em escolas municipais.

“O Telecentro é um espaço que estará disponível para alunos, pais e comunitários com computadores interligados à internet onde os usuários terão acesso às informações  em tempo real. Essa ferramenta será de grande importância no processo de ensino aprendizagem dos alunos. Convidem os seus pais para participar deste espaço e usufruir dos benefícios”, afirmou o Subsecretário.

Na Escola Mul. Prof° Roberto dos Santos Vieira 871 alunos do 1° ao 9° ano e da Educação de Jovens e Adultos (EJA) terão acesso aos benefícios da informática e internet.

Segundo a gestora, Norma de Almeida Lira, a era computadorizada é um marco importante dentro de uma escola.

“É uma ferramenta a mais na parte pedagógica. Os alunos são curiosos e muitas vezes sabem mais do que até mesmo os professores. A comunidade por sua vez participará ativamente, pois muitos adultos são nossos alunos do período noturno”, explicou a gestora.

“Muitas vezes precisamos fazer os nossos trabalhos, pesquisas e imprimir algum documento e não tínhamos um espaço na escola para isso. Com o telecentro aprenderemos também mais de informática, para mim que não sei muitas coisas será de grande valia. Meu pai também com certeza vai se interessar de fazer algum curso, pois ele gosta muito de informática”, explicou a aluna do 5º ano, Natália da Silva Dias, 12.

A comunitária e mãe de aluno, Silvana Vicente Bernal, 36, vê a unidade tecnológica como um espaço necessário na escola.

“Os alunos realmente estavam precisando deste espaço para fazer seus trabalhos e pesquisas escolares. Meus filhos tinham que ir para as lan houses, pois não temos computador em casa. Ficará mais barato e mais seguro na escola. Pretendo também fazer um curso de informática básica e me especializar mais nessa área”, afirmou Silvana.