27/09/13 | 18:17
Unidades Educacionais da Zona Oeste da cidade participam de evento voltado à pesquisa cientifica acadêmica

Inovação, obtenção de conhecimento e fomento à pesquisa foram os pontos fortes da I Feira Municipal de Ciências Naturais Tecnologia e Educação Ambiental realizada pela Divisão Distrital – Oeste, na tarde de ontem, 25, na Escola Nossa Senhora da Paz, localizada no bairro da União, zona oeste da cidade.

O tema da Feira de ciências foi: Que planeta eu quero para meu futuro? Crescendo e aprendendo a ser sustentável. Ao todo foram apresentados 42 trabalhos, por meio de 42 unidades Educacionais e 126 alunos da educação infantil, ensino fundamental do 1º ao 9º ano, do Programa de Aceleração de Aprendizagem – PAA e do Ensino de Jovens e Adultos.

O objetivo da atividade multidisciplinar, além de propor um momento de pesquisa, foi proporcionar discussões relevantes à comunidade escolar sobre a compreensão do mundo e suas modificações, reconhecendo o homem como parte do universo e o principal interventor das transformações do meio ambiente em que vive.

A coordenadora do evento e assessora de ciências da DDZ – Oeste, Leuda Castro, explica de que forma o evento contribuiu na formação educacional dos alunos evolvidos na ação. Esta ação, além de sensibilizar os alunos para uma questão ambiental vem contribuir para a obtenção e troca de conhecimento, visto que há diversos trabalhos e temáticas esplanadas.

Os trabalhos foram apresentados nas salas de aula e no térreo. Stands, cartazes, faixas, entre outros serviram de suporte para as apresentações. Além dos alunos, professores, gestores, pedagogos, comunitários e pais de alunos prestigiaram a atividade visitando as salas e ouvindo a explanação dos alunos responsáveis por cada trabalho apresentado.

O CMEI Elza Damasceno, representando as unidades educacionais voltadas à educação infantil, abordou o tema: Água Fonte de Vida. Nesta temática, foi falado sobre as possíveis doenças que a água pode transmitir, se contaminada, além de discussões pertinentes sobre a situação atual dos igarapés da cidade e formas de tratamento.

Jennifer do Nascimento, de 5 anos, aluna do 1º período, do Cmei Elza Damasceno, apesar da sua pouca idade, fala o que aprendeu com sua pesquisa acerca da água. “Mais de 90% do nosso planeta é formado por água, portanto devemos cuidar dela e mantê-la limpa. Também não devemos jogar lixo no chão, pois eles acabam indo para os igarapés e, com isso, contaminam nossos rios”, explicou aluna.

Outra unidade que apresentou trabalho em prol da conscientização foi a Escola Elvira Borges que retratou os oito jeitos de mudar o mundo, que segundo a pesquisa realizada pelos alunos e professores da escola são: Acabar com a fome e a miséria, educação básica de qualidade para todos, qualidade de vida e respeito ao meio ambiente, entre outros.

A atividade contou, também, com apoio e a presença de educadores da Divisão de Ensino Fundamental – DEF, da Divisão Ensino Infantil – DEI e da Divisão de Desenvolvimento Profissional do Magistério (DDPM), da Secretaria Municipal de Educação (Semed).

Os representantes da secretaria ficaram responsáveis por avaliar e escolher dentre os trabalhos apresentados os que mais se destacaram, com intuito de levá-los para o evento macro que acontecerá no dia 18 de outubro na Semed, evolvendo discursões voltadas para Ciências Naturais, Tecnologia e Meio Ambiente. O evento reunirá diversas escolas da secretaria.