22/08/18 | 17:24
Terceiro dia de competição do Jaavas reúne atletas nas disputas de queimada, tênis de mesa e atletismo

No terceiro dia de competições da 7ª edição dos Jogos Adaptados André Vidal de Araújo (Jaavas), realizados pela Secretaria Municipal de Educação (Semed), aconteceram as disputas de queimada, tênis de mesa, no Centro de Convivência da Família Magdalena Arce Daou, pela manhã, e de atletismo, na Vila Olímpica de Manaus, na parte da tarde.

A novidade deste dia de disputa foi o material para a prática da Bocha, 13 bolas e uma calha oficial, doado pelo Serviço Social da Indústria (Sesi) e que é o mesmo utilizado pela Seleção Brasileira Paralímpica em competições nacionais e internacionais.

A coordenadora do Jaavas na Semed, Shirley Amaral, destacou as competições e a chance dos alunos utilizarem o material utilizado em disputas oficiais.

“O Sesi de São Paulo gostou muito do trabalho da Semed, então enviou para nós o material. Nós elaboramos aqui em Manaus um capacete para aquelas pessoas mais comprometidas fisicamente, mais com mobilidade no pescoço para poder jogar”, completou.

Jogos

A aposentada Maria Guiomar Silva dos Reis, 60, mãe do aluno do 5ª ano da Escola Santo Antônio, na zona Rural, Alexandre da Silva Reis, 28, que tem paralisia cerebral, destacou que é importante a participação do filho, pois os jogos ajudam no desenvolvimento do rapaz. “É muito bom ele praticar esportes para movimentar o corpo. Ele consegue interagir com outras pessoas e superar aos poucos sua deficiência”, disse.

Com deficiência intelectual, a aluna da Educação de Jovens e Adultos (EJA), Talita dos Santos, 15, da Escola Municipal João Alberto Menezes Braga, na zona Norte, participa pela primeira vez das disputas de queimada e atletismo (prova de 100m).

“Acho muito legal, bom para jogar e quem sabe ganhar medalhas. Gosto de queimada, mas queria também competir na natação. Gosto muito de esporte e estou conhecendo outras pessoas, além de ter a chance de jogar pela minha escola”.

O professor de Educação Física, Luiz Cláudio da Silva, que trabalha no Abrigo Moacyr Alves, uma das instituições participantes dos jogos com 27 atletas, falou sobre os benefícios dos Jaavas. “O Jaavas na verdade é um momento de inclusão, onde os alunos podem interagir com outros atletas. Melhora muito o social, a qualidade de vida e todos se sentem felizes”.

Atletismo

Durante a tarde, cerca de 950 atletas participaram das competições de corrida, salto e arremesso adaptado de pelotas. Segundo o Professor de Educação Física da Escola Municipal Engenheiro João Alberto de Menezes Braga, Felipe Cardoso, as atividades estimulam a interação e inclusão dos alunos.

“Nossa escola veio com cerca de 30 alunos e para eles é como se fosse a final de um campeonato mundial. Eles transparecem os sentimentos”, disse.

Com deficiência intelectual leve, o aluno Luan Christian Oliveira, 6, da escola municipal Professora Isabel Vitória do Carmo Ribeiro, se mostrou pela sua primeira participação nos jogos, destacou a mãe, Lidiane Nunes.

“É um grande incentivo. É primeira vez que ele pode participar das atividades e ficou muito alegre com toda essa interação e os amigos que encontrou. Com certeza ele vai participar mais vezes”.

 

Texto: Paulo Rogério Veiga e Patryck Vieira

Fotos: Cleomir Santos e Emerson Santos

 

Secretaria Municipal de Educação (Semed)

Assessoria de Comunicação

(92) 3632-2054