26/09/19 | 9:00
Servidores recebem segunda etapa de workshop para desenvolvimento de crianças autistas

Especialista no modelo DIR Floortime, utilizado no desenvolvimento de crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA), a fisioterapeuta, Renata Alencar Ponte, ministrou nesta quarta-feira, 25/9, um workshop no Complexo Municipal de Educação Especial (CMEE) André Vidal de Araújo, na zona Centro-Sul. A ação integra a segunda etapa de um curso realizado em 2018, aos servidores da unidade, da Prefeitura de Manaus, coordenada pela Secretaria Municipal de Educação (Semed).

O modelo DIR Floortime se baseia no desenvolvimento funcional da criança, suas diferenças individuais e relacionamentos, tendo como objetivo a formação dos alicerces para as competências sociais, emocionais e intelectuais das mesmas, ao invés de focar em comportamentos isolados. O método auxilia a criança a se manter calma e regulada, interagir com os outros de forma espontânea, iniciar comunicação empática, resolver conflitos sociais, brincar criativamente e pensar simbolicamente, relacionar ideias de forma lógica, estabelecer relações de qualidade e desenvolver autonomia.

O workshop teve carga horária de 120 horas e trabalhou a técnica, em que o terapeuta ou professor segue os interesses emocionais da criança ao mesmo tempo em que a desafia a ir em direção ao maior domínio das capacidades sociais, emocionais e intelectuais, ou seja, utiliza o que a criança apresenta para construir e expandir, assim, a ajuda a interagir e se envolver com os outros mais efetivamente.

A partir do modelo ministrado pela fisioterapeuta, o CMEE André Vidal de Araújo vem desenvolvendo o programa Sensório-Motor. De acordo com a diretora da unidade, Reni Formiga, o curso possibilitou uma melhoria na capacitação dos profissionais, que consequentemente levou a uma melhora nos serviços oferecidos aos alunos.

“Após esse curso, os profissionais traçaram o projeto para colocar em prática a vivência do que foi aprendido. As crianças começaram a ficar mais organizadas, a entender comandos de ordem, as cores e, em consequência, a família também”, informou.

A fisioterapeuta Renata Alencar ficou surpresa com o que encontrou ao visitar o complexo, nesta quarta-feira, por conta da estrutura e dos projetos desenvolvidos, como o próprio Sensório-Motor, que segundo ela, percebeu que os profissionais que participaram da primeira etapa da formação entenderam muito bem qual a intenção do modelo DIR Floortime.

“Muitas vezes a expectativa dos pais reside no cognitivo e na linguagem, quando outras etapas não foram respeitadas. A partir do momento que se trabalha a base, a criança vai alcançar passo a passo as outras etapas. Então, é estabelecer prioridades validando a participação da família nesse processo”, disse.

O modelo é baseado no vínculo afetivo, tendo a família como ponto central. O programa desenvolvido no CMEE André Vidal de Araújo realiza atividades dois dias por semana, sendo um com as crianças e outro com os pais, na intenção de proporcionar autonomia aos estudantes.

Para Jaisicleia Lima, mãe do aluno Leonardo Garcia, de 5 anos, que participa do programa há aproximadamente 6 meses, a mudança no desenvolvimento e nas relações entre os dois mudou muito.

“Eu já vi muita diferença, porque antigamente para mim como mãe era difícil entender a condição dele. Eu passei a entendê-lo melhor, depois de participar do projeto, porque eu não tinha noção de como agir ou educá-lo, agora eu já sei”, finalizou.

— — —

Texto – Alexandre Abreu/ Semed
Foto – Alexandre Abreu/ Semed

Secretaria Municipal de Educação (Semed)
Assessoria de Comunicação
(92) 3632-2054