22/03/11 | 15:11
Coordenação do Pair promove encontro de multiplicadores

“Um trauma que pode percorrer toda a vida, e que causa dores físicas e mentais que não se pode verbalizar”. Segundo a neuropsicóloga, Maria do Perpétuo Socorro Pereira, esse é um dos sentimentos de quem já passou por abuso sexual. Ciente que a escola tem função importante na prevenção desse tipo de crime, a Secretaria Municipal de Educação (Semed) promoveu, na manhã desta terça-feira (22), o I Encontro de Multiplicadores do Pair, programa do Governo Federal de combate à exploração e abuso sexual infanto-juvenil. O evento foi realizado na Escola Municipal Rosa Sverner, localizada no Jorge Teixeira.

No encontro foram realizadas palestras de apresentação do programa e debates em torno da temática com o objetivo de traçar metas e diretrizes de trabalhos nas escolas municipais em 2011.

“O Pair é bastante abrangente e trabalha em vários eixos. A Semed trabalha com a prevenção e, nesse encontro, especificamente direcionado a prevenção da violência sexual infanto-juvenil. Aqui os professores multiplicadores serão esclarecidos quanto à identificação e orientação dos alunos vítimas de violência sexual”, disse a coordenadora das ações do Pair na Semed, Eliana Hayden.

A professora Valdirene Fernandes, da Escola Municipal Álvaro Vale, explica que todos os anos a sua escola promove ações de combate ao uso de drogas e exploração sexual. Para ela o encontro será esclarecedor.

“Quero aprender mais sobre o assunto e ter informações para poder prover ações na escola”, falou.

Influência

No âmbito escolar, os principais sintomas de uma criança abusada sexualmente são: isolamento, dificuldade no aprendizado e posterior abandono da escola.

“As crianças abusadas têm vergonha que os colegas saibam e muitas vezes preferem abandonar os estudos”, ressalta Hayden.

Durante o Encontro foi definido que no dia 31 de maio será realizado um evento com a culminância das ações de todas as escolas nessa temática.