21/09/12 | 14:47
Semed promove evento de Educação Física Escolar

Cerca de 120 profissionais, entre acadêmicos e professores de educação física que trabalham na rede municipal de ensino participaram na manhã desta sexta-feira, 21, no auditório da Secretaria Municipal de Educação (Semed) do 2º Encontro de Socialização de Experiências na Educação Física Escolar de 2012.

O evento é a oportunidade em que os professores de educação física, que atuam nas escolas municipais, apresentam em forma de comunicação oral as atividades que desenvolvem nas escolas. O encontro busca registrar perante a Semed o trabalho realizado pelos profissionais da área nas unidades educacionais e disseminar algumas estratégias de ensino sobre os seguintes temas: esporte educacional, educação infantil, educação de jovens e adultos, projetos transversais e outros.

O assessor de educação física da Divisão de Ensino Fundamental (DEF) da Secretaria, João Carlos, diz que além do trabalho realizado com os alunos na área esportiva, existe também um foco social voltado para as crianças, jovens, adolescentes e adultos dentro da sociedade em que eles estão inseridos na comunidade.

“É um momento para a divulgação de novas estratégicas dentro da comunidade escolar. A educação física não é só o esporte, mas tem uma abordagem de desenvolvimento cognitivo, socialização das crianças, desenvolvimento psicomotor e a nossa contribuição enquanto profissionais de educação física que é de colaborarmos para o melhor ensino aprendizagem do ensino público nas escolas”, comentou o assessor.

A Professora de educação física, Claudia Maria Gois Cunha, que atua nas Escolas Municipais Guilherme Barker, (Santo Antônio), Joaquim Gonzaga, (Vila Prata) e Marechal Candido Rondon, (Tarumã), foi uma das palestrantes que abordou sobre a “Importância da Educação Física Escolar no Ensino Noturno”.

“O aluno do turno normal geralmente é aquele que está mais aberto e é mais participativo do que o estudante do noturno que apresenta algumas particularidades devido à maioria dos alunos trabalharem durante o dia inteiro. Esse aluno quando chega à noite está cansado e nós vamos trabalhar em cima desse detalhe para melhorar a qualidade de vida. A diferença é que o aluno do período normal está mais predisposto em relação ao do ensino noturno além de ter mais idade e apresentar um cansaço maior. A prática física melhora o desempenho em sala de aula, e isso é que nós queremos”, finalizou a professora.

Já o Professor Davy Mendes da Escola Municipal Aristóteles Comte de Alencar, bairro Armando Mendes, Zona Leste, relatou sobre os resultados obtidos com o projeto desenvolvido na escola “Judô, faixa preta, da iniciação a competição”, com 125 alunos do 2º ao 9º ano. O professor  trabalha no turno vespertino com 120 alunos do 6º ao 9º ano do ensino fundamental.

“O projeto vem evidenciar a questão, tanto da parte do retorno escolar quanto esportiva, direcionando os alunos para um lado mais social, junto com a família na comunidade. Além disso, a questão do rendimento em sala de aula, abordando a parte disciplinar e motora para que o mesmo tenha um resultado positivo de seu rendimento. O projeto atende muitas crianças que não têm condições em direcionar para uma vida intelectual que sejam futuros profissionais atuantes em qualquer área”, disse.