25/04/13 | 16:53
Semed faz parceria com 800 bolsistas para atuar na rede municipal

A Secretaria Municipal de Educação (Semed) em parceria com a Fundação Municipal Escola de Serviço Público (Fespm), lançou, na manhã desta quinta feira, 25, o Projeto Reforço Escolar, tendo como tema, Tempo de Superação.

A solenidade iniciou às 9 horas da manhã com a apresentação musical do Professor João Bosco e contou com a presença do Secretário Municipal de Educação, Pauderney a Secretária da Fundação Municipal Escola de Serviço Público, Luiza Maria, a Diretora de Departamento de Gestão Educacional, Socorro Horta, a Coordenadora do projeto, Profª Jecicleide Nascimento,  bolsistas do programa, dentre outros.

O objetivo do projeto é proporcionar a melhoria da qualidade do processo ensino-aprendizagem favorecendo a diminuição do analfabetismo funcional e o aumento do índice de aprovação entre os alunos do grupo etário de 6 a 8 anos, bem como a elevação do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) na rede municipal de ensino.

Cerca de 55.000 bolsistas se inscreveram no programa, deste total, 800 de diferentes cursos como: Licenciatura em Letras – Língua Portuguesa e Língua Inglesa, Educação Física, Matemática, Ciências, Pedagogia e Normal Superior irão fazer parte do programa. Os acadêmicos envolvidos nesta ação, fazem parte do Programa Bolsa Universidade criado em 2009 pela Prefeitura de Manaus. O projeto irá atender 173 escolas da Rede Municipal de Ensino e favorece a prática pedagógica para os acadêmicos participantes.

“Vamos fazer com que o programa seja o sucesso que esperamos e que o Ideb seja de superação. Nós assumimos o compromisso de reverter este quadro e tornar Manaus uma referência Nacional em educação”, comentou o secretário Pauderney.

O secretário finalizou o discurso informando que os bolsistas terão ajuda de custo. “Os acadêmicos que irão nos ajudar, ganharão vale-transporte como ajuda de custo”, conclui Pauderney.

Aqueles que recebem bolsa integral pelo Programa Bolsa Universidade devem cumprir 16 horas semanais atuando nas escolas, os que recebem 75% cumprem 12 horas semanais e os contemplados com 50% ficam 8 horas semanais, as quais são consideradas como atividades extracurriculares para a faculdade.

“Hoje estamos finalizando a parceria da Semed com a Fespm para melhoria da educação. Os bolsistas vão trabalhar diretamente nas escolas vivenciando a prática pedagógica além de contribuir para o processo de ensino-aprendizagem. É bom tanto para o bolsista, pela oportunidade, quanto para os alunos das escolas”, afirma a Profª Jucicleide Nascimento, coordenadora do programa.

O responsável pela empregabilidade do programa, Ricardo Patrian, explica que o principal objetivo é diminuir a evasão da faculdade e das bolsas. “Se o aluno abandona as aulas, impede que outro interessado seja beneficiado com a bolsa. Hoje temos cerca de 50% de evasão e estamos criando medidas para mantê-los estudando. A participação de acadêmicos neste projeto é uma delas”, explicou o responsável.

Além de colaborar para o ensino-aprendizagem, o projeto favorece a inclusão social, pois reúne em uma sala de aula pessoas de classes sociais diferentes, aquelas que pagam a faculdade normalmente e os bolsistas, contribuindo para o networking, que significa que quanto maior for a rede de contatos da pessoa, maior será a possibilidade dela conseguir uma boa colocação profissional e se inserir no mercado de trabalho.

A bolsista Maria Elizete de Assis, aluna do curso de Pedagogia da Uninorte, destaca a importância do projeto. “Este projeto é importante, pois nos ajuda (acadêmicos) a ganhar experiências. Além do mais, vai nos dar a possibilidade de ajudar outras pessoas”.