03/11/15 | 15:10
Semed dá início às ações do Mês da Consciência Negra

RA - 03-11-15 - I Sarau da Conciência Negra SEMED - Fotos Rodemarques Abreu (10)Profissionais da rede municipal de educação participaram, na manhã desta terça-feira, 3, do I Sarau da Consciência Negra. O encontro foi um bate-papo e abre as atividades relacionadas ao Dia da Consciência Negra – 20 de novembro. Outras ações sobre a temática serão promovidas na rede até a data.

O encontro desta manhã ocorreu no auditório da Secretaria Municipal de Educação (Semed), que há 12 anos promove atividades em alusão ao Dia da Consciência Negra. A ação foca na valorização da cultura afro na construção da sociedade brasileira e, principalmente, no combate à discriminação racial.

No auditório da Semed, assessores pedagógicos e servidores da sede puderam conhecer tudo o que a secretaria tem desenvolvido ao longo dos anos sobre o tema.

RA - 03-11-15 - I Sarau da Conciência Negra SEMED - Fotos Rodemarques Abreu (8)“O sarau visa trazer os servidores para refletirmos sobre o que é a consciência negra. A data e os eventos são formas de darmos visibilidade e mostrarmos a necessidade a respeito. É uma forma de refletirmos sobre coisas que ficaram escondidas durante muito tempo no nosso País, como por exemplo, dizer que o Brasil não é racista, não é preconceituoso, que todas as raças sempre viveram em condição de igualdade. Nós sabemos que isso não é verdade”, destacou.

“A cultura negra ficou invisível durante séculos. A consciência é um momento de refletirmos sobre isso. Queremos mostrar a importância de todos os grupos no processo de formação da identidade da população e da cultura brasileira”, completou a coordenadora de Diversidade na Semed, Lídia Moreira.

RA - 03-11-15 - I Sarau da Conciência Negra SEMED - Fotos Rodemarques Abreu (4)A gerente de Promoção da Igualdade Racial da Secretaria de Estado da Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), Fabiana Saunier, participou do Sarau. Para ela, a educação é a porta de entrada para a mudança de consciência a respeito dos negros e sua cultura. Ela acredita que temas como a igualdade racial devam fazer parte da história e que as crianças desde a Educação Infantil já precisam conviver com essa experiência diária para dificultar a instalação do preconceito.

“A criança não tem preconceito, ela aprende ao longo da existência pelos exemplos dos mais velhos, pela família, e a escola tem essa função social de integrar. É preciso resgatar a nossa história, porque muitas vezes meninos negros sofrem preconceito por conta da cor, do cabelo, se acham feios, excluídos, mas se isso for trabalhado diariamente, não apenas no mês de novembro, a tendência é que diminua. As heranças africana e indígena fazem parte de quem somos aqui no Amazonas”, frisou.

I Sarau da Conciência Negra SEMED - Fotos Rodemarques Abreu (25)A subsecretária de Gestão Educacional da Semed, Euzeni Trajano, lembrou casos contra negros de repercussão na mídia nacional e afirmou que a educação tem sua responsabilidade na luta pelo fim do preconceito.

“A cultura afro-brasileira faz parte do currículo das escolas do município de Manaus. Esse momento é de celebrarmos todo o trabalho que vem sendo desenvolvido com relação à consciência negra. Nós queremos trabalhar contra toda forma de discriminação e também na valorização da cultura afro-brasileira. Essas questões de racismo têm pesado bastante na sociedade. Então, é preciso trabalharmos para percebermos que todos somos iguais, que não existe raça negra ou branca, que existe sim o ser humano”, afirmou.

No hall do prédio da Semed foram montadas exposições com máscaras africanas e turbantes. Haverá ainda apresentações de orixás.

Texto: Thiago Botelho
Fotos: Rodemarques Abreu

Secretaria Municipal de Educação (Semed)
Assessoria de Comunicação
(92) 3632-2054