21/11/18 | 10:23
Segunda edição de Noite Africana divulga ações e projetos realizados na rede municipal de ensino

A Secretaria Municipal de Educação (Semed) realizou na noite de quarta-feira, 14/11, no Parque Municipal do Idoso, localizado no Bairro Nossa Senhora das Graças, a 2ª Noite Africana com  tema “Abayomis: Contribuindo para o Fazer Pedagógico dos Professores na Diversidade”. A programação foi realizada em parceria com o Fundo Manaus Solidária (FMS) e a  Secretaria de Estado de Educação (Seduc).

A atividade, que faz parte do trabalho de implementação da Lei 10.639/2003, está relacionada a uma série de ações realizadas,  desde 2010, pela Semed   a fim de sensibilizar  a sociedade sobre a importância da cultura africana  na construção da história do Brasil, segundo a assessora de história e diversidade da Semed, Lídia Helena Oliveira .

“E por que é importante? Porque o resultado que esperamos de todo esse trabalho, envolvendo  essa temática,  é a superação do racismo, da discriminação, do preconceito, no mesmo momento que se entenda que o negro fez e faz parte da construção da identidade desta nação e que ficou invisível por muitos  anos”, explicou.

Segundo a assistente social do FMS, Virna Martiniano, o Fundo  decidiu abraçar a causa e participa da 2ª edição do evento, porque entende que é necessário tornar pública a essência da cultura negra  em Manaus, e também por acreditar  que ações como essa ajudam a desmistificar a história real de pessoas   que até hoje  são hostilizadas por conta da cor da pele, da origem, da identidade racial.

“O Fundo Manaus Solidária  por trabalhar com essa questão de solidariedade não poderia deixar de  aderir e ser parceira de uma  atividade  que  valoriza o ser humano na sua essência e plenitude. Esperamos que essa parceria se estenda por mais anos”, disse.

 

Programação

 A iniciativa oportunizou um espaço de socialização e divulgação  de ações e projetos sobre a cultura africana  realizados ao longo ano letivo de 2018, nas 498 unidades da rede municipal de ensino. Durante a atividade, houve apresentações culturais, exposições pedagógicas e de objetos e artefatos alusivos a matrizes africanas. Além disso, o evento estava repleto de curiosidades a cerca da religião, modo de vida e iguarias típicas de povos afros. A ação contou com a presença de educadores e alunos da rede municipal de ensino e de representantes de movimentos sociais de negritude de Manaus.

No decorrer da  programação,  educadores e alunos da Escola Municipal Themistocles Gadelha contaram a história religiosa e cultural do povo Malê, que foi um grupo africano que  professava a religião islâmica, foi escravizado e trazido para o Brasil, especialmente para a cidade de Salvador ,  por ocasião das relações comerciais que permitiram um intenso comércio entre a Bahia e o antigo Sudão Ocidental da África.

De acordo com professora de Geografia da unidade de ensino, Janete Souza, a atividade foi importante para divulgar o trabalho desenvolvido nas unidades do município em relação ao resgate e ao protagonismo de pessoas negras na história brasileira. A educadora também  se emocionou pela oportunidade de  demonstrar um pouco do fazer pedagógico dela, na escola que atua.

“Expor um trabalho realizado com muito carinho, com muita dedicação, é maravilhoso, só temos a agradecer”, ressaltou.

 

Texto: Emerson Felipe

 

Secretaria Municipal de Educação (Semed)

Assessoria de Comunicação

(92) 3632-2054