14/01/13 | 17:17
Secretário da Semed, Pauderney Avelino, visita escola da Zona Rural

O fim de semana foi de muito trabalho para o Secretário Municipal de Educação, Pauderney Avelino, que vem apresentando um ritmo acelerado para sanar, conhecer e resolver os problemas em que se encontram as escolas municipais da rede.

Em sua primeira visita à Zona Rural da cidade, Pauderney Avelino, teve a oportunidade de ver de perto os problemas da Escola Municipal Joana Vieira, localizada na AM 010, km 32 – Ramal Água Branca I, onde 130 alunos da educação infantil e do ensino fundamental estão alojados em um dos galpões da Associação de Pastores Pentecostal do Amazonas (ARPAM).

No local a Escola está em obras desde fevereiro de 2011, mas foi paralisada em novembro do mesmo ano. Ao tomar conhecimento da situação precária em que se encontra a escola, o secretário da Semed, Pauderney Avelino, determinou que a equipe de arquitetos e engenheiros da Subsecretaria de Infraestrutura e Logística da Secretaria, fizesse um levantamento em toda sua estrutura.

“Quero ver essa escola funcionando até o final deste mês. Vou providenciar que façam a lavagem das instalações, revisão da rede elétrica, hidráulica, sanitária e a prioridade é que funcione tão logo o término do serviço, para que os alunos possam estudar em sua devida escola”, completou dizendo que, ainda esta semana a subsecretaria de Infraestrutura e Logística da Semed entregará um relatório sobre as condições da obra na escola e que, posteriormente, será encaminhado à Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf).

“Todas as providências serão tomadas para que as crianças e a comunidade tenham de volta o prédio, que será devidamente entregue à comunidade escolar”, relatou.

A diretora da escola, Luzia Cavalcante de Souza, ficou feliz pela presença do secretário e, na oportunidade, entregou um documento que solicita as providências em relação à obra, pois, segundo ela, também serve para atendimento aos comunitários na prevenção de doenças, que são comuns naquela localidade.

“Precisamos de nossa escola pronta para que possamos trabalhar em um lugar com dignidade, nossos alunos terem uma adequada sala de aula, nossa secretaria, nosso material didático, a merenda escolar, cada um em seu devido lugar. É muito importante sanar esse problema. Apesar de todas essas dificuldades, nossas crianças estão alfabetizadas. Hoje, estamos operando em péssimas condições no Galpão cedido por uma Igreja”, declarou a diretora da unidade.