27/08/12 | 17:25
Relatos e Experiências na Rede Municipal de Ensino

Pais de alunos com deficiência fazem relatos sobre desenvolvimento dos  filhos após terem entrado na Rede Municipal

A troca de experiências entre pais e familiares das crianças com deficiência foi um dos momentos marcantes dentro da Semana da Pessoa com Deficiência Múltipla. A ação aconteceu na manhã desta segunda feira (27), no auditório da Semed e reuniu professores, familiares e profissionais da área.

Segundo a Gerente do Complexo de Educ. Esp. André Vidal de Araújo, Renir Formiga, o intuito deste encontro é sensibilizar e mostrar a evolução dos alunos que participam dos diversos programas que as escolas municipais realizam.

“É notório e satisfatório vermos que o trabalho que os professores desenvolvem em sala está dando frutos”, disse a gerente.

O pai do aluno Elton Junior Marinho, que é autista, 9, e estuda no Complexo de Educ. Esp. André Vidal de Araújo, Elton Marinho, disse que a partir do momento em que o filho entrou no complexo, obteve um desenvolvimento significativo.

“O meu filho possui autismo. Antes de fazer parte do complexo, ele não conseguia escrever, tinha dificuldade para pegar no lápis, para interagir com as outras pessoas e nos ambientes que eu e minha esposa íamos. Hoje percebo que esse quadro mudou e que meu filho está se desenvolvendo e avançando a cada dia. A criança especial tem que ter uma família especial”, frisou o pai.

Já a mãe do José Carlos que também é autista, 7, Cleide de Souza, diz que a partir do momento que seu filho passou a receber tratamento por profissionais da Escola Municipal Joaquim da Silva Pinto teve a capacidade de socializar-se com as outras pessoas e de se tornar mais amável.

“Antes era difícil eu e meu marido sairmos com o nosso filho para um aniversário ou um lugar que tivesse muitas pessoas. Hoje, não posso dizer que o problema está cem por cento resolvido, mas afirmo que melhorou bastante, pois hoje frequentamos lugares públicos e conseguimos levá-lo sem muito transtorno. Outra coisa que melhorou foi o comportamento dele. Hoje, ele está mais obediente e passivo” salientou a mãe.

A Professora de deficiência intelectual, da Escola de Educ. Esp. André Vidal de Araújo, Elisângela Ferreira, diz que o seu principal anseio como profissional de pessoas com deficiência é propiciar aos mesmos a inclusão social.

Elisângela contou um relato entusiasmado da aluna Elen Cristina, que faz o EJA na Escola de Educ. Esp. André Vidal.

Conta que, antes da aluna participar de suas aulas aparentava um quadro inferior ao que possui hoje. “Agora, ela consegue se equilibrar com mais precisão, nadar, faz pequenos cálculos, leituras e principalmente escreve o seu nome”, ressaltou a professora.