15/09/16 | 15:37
Projeto de luta livre ajuda escola da zona rural a alcançar bons resultados no Ideb

15-09-16-Projeto de luta livre nas escolas da zona rural.foto.Lton Santos (1)A união entre a luta-livre e a educação tem rendido bons frutos à Escola Municipal Carlos Santos, no Km 25 da Rodovia AM-010. Há dois anos, o Projeto Punho de Cristo, que ensina a modalidade para 50 alunos de 1º ao 4º ano, tem disseminado a disciplina e obediência requerida dos praticantes, o que culminou na melhoria do rendimento escolar. Como resultado, a unidade de ensino alcançou a nota 4,9 no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), ultrapassando a meta estabelecida pelo Ministério da Educação (MEC) de 4,7.

O diretor da unidade de ensino, José Alexandre da Silva, não tem dúvidas em afirmar que o projeto teve grande influência na melhoria do rendimento dos estudantes, uma vez que o pré-requisito para participar das atividades é o bom comportamento em sala de aula. “O projeto ajudou porque ele faz com que o aluno tenha assiduidade. Eles não faltam. Eles mudaram o comportamento, também. Não tem mais agressão física entre eles. Esse projeto foi excelente para ajudar nosso Ideb”, afirmou.

O projeto

15-09-16-Projeto de luta livre nas escolas da zona rural.foto.Lton Santos (5)O Projeto Punho de Cristo nasceu em 2014 e foi idealizado pelo professor de educação física Carlos Alberto Ribeiro, o Carlão. Ele tem 29 anos de experiência na luta-livre, sendo campeão amazonense mais de 10 vezes e também campeão brasileiro. Carlão conta que observou que os alunos da escola eram muito agressivos e indisciplinados, e então sugeriu à direção usar o esporte para auxiliar na transformação do comportamento das crianças.

“A ideia nasceu de uma necessidade. Vimos crianças que já tinham uma agressividade e conseguimos transformar isso em esporte. Essa ação melhorou o comportamento deles, as notas e a disciplina. O mais importante aqui é que eles tenham melhores notas em sala de aula, as competições vêm depois, mas vários demonstram talento para o esporte”, afirmou ele, que treina no CT Brunocilla.

As aulas de luta livre acontecem todas as quintas-feiras em um espaço ao lado da escola, cedido pela igreja católica da comunidade. A atividade é feita no contraturno das aulas, justamente para atrair os estudantes para dentro da escola.

Um dos destaques do projeto é Paulo Vitor Arcanjo, 9, aluno do 4º ano que pratica luta-livre desde o início do projeto. No último sábado, 9, ele conquistou duas medalhas na competição interna do colégio. Sincero, ele conta que antes do esporte era irresponsável com os estudos e não respeitava os pais.

“Minha mãe não quis que eu entrasse no projeto, mas eu insisti e ela deixou. Eu melhorei muito minhas notas, fiquei mais educado com a minha mãe, meu pai, e com todo mundo. Também parei de brigar e maltratar meu colegas e isso aprendi na luta, no tatame”, afirmou o menino que diz sonhar em se tornar lutador profissional no futuro.
Texto: Thiago Botelho

Fotos: Lton Santos / Semed

 

Secretaria Municipal de Educação (Semed)
Assessoria de Comunicação
(92) 3632-2054