03/08/15 | 8:48
Pedagogista português encerra programação do Seminário Mudar a Escola, Melhorar a Educação

Cleomir SantosNo encerramento do Seminário “Mudar a Escola, Melhorar a Educação: transformar vidas”, neste sábado, 1º, o convidado para o ciclo de palestras, bate-papo e mesa redonda foi o educador, pedagogo e pedagogista português, José Pacheco. O encontro foi uma realização do Coletivo Escola Família Amazonas (Cefa), em parceria com a Secretaria Municipal de Educação (Semed). O evento começou na sexta-feira, 31, e ocorreu no auditório da secretaria em tempo integral.

A subsecretária de Gestão Educacional da Semed, Euzeni Trajano, acompanhou o último dia de atividades com a participação dos educadores do município e do pedagogista português, José Pacheco. Para ela, a presença do educador com experiência em vários eventos na área educacional na Europa e no Brasil foi um diferencial.

IMG_1345“O evento foi muito importante para que a gente trocasse conhecimentos e experiências com escolas de outros Estados que procuram desenvolver um trabalho focado na aprendizagem das crianças. Esse momento foi muito rico para todos nós, que estamos participando, bem como, para os gestores das escolas municipais, os pedagogos, chefes das divisões distritais, porque renova as ideias, nos ajuda a perceber que podemos melhorar cada vez mais a educação de nosso município”, concluiu.

Especialista em Leitura e Escrita e mestre em Ciências da Educação, além de idealizador e coordenador da Escola da Ponte, em Portugal, onde trabalhou de 1976 até a aposentadoria, José Pacheco, diz que a vinda a Manaus foi uma grande oportunidade de interação com os educadores da rede.

“Estou aqui com minha experiência de quase 50 anos trabalhando em escola, onde houve, logicamente, transformação das pessoas, melhoria das práticas. Se há professores atentos à necessidade de melhorar, se há uma secretaria atenta a colaborar e se há um interesse mútuo, enquanto pai, educador e avô, acredito que há possibilidade de melhorar, tendo excelentes professores para ajudar e fazer a vontade dos pais e da Semed”, completou.

Seminário de Educação Aud. da Semed. Fotos Cleomir (46)De acordo com José Pacheco, um projeto realizado há quatro anos no interior da capital paulista, em cinco favelas, beneficiando cinco mil pessoas, entre alunos, pais e a comunidade em geral, pode ser um exemplo de bons resultados, mas trabalhando-se a devida especificidade do modelo na educação da Região Norte.

“É provável que algumas situações do projeto em Cotia possam ser aproveitadas, mas a Amazônia é diferente do Sudeste. Tenho muito respeito pela especificidade do lugar. A minha vinda é para mostrar aos brasileiros que eles têm tudo, não é um português que vai resolver os problemas da educação brasileira, mas bastante estudo. Repito, muito estudo, é preciso ter coragem para mudar algumas práticas sobre a criança, que não é cobaia de laboratório”, disse, destacando o ensino na Amazônia.

“Sei como é a educação na Europa, mas aqui no Brasil, mas precisamente na Amazônia, está tendo uma nova educação. As pessoas tomaram consciência de que tudo que foi feito até hoje foi positivo, mas não resolveu todos os problemas. A escola precisa se transformar, para transformar a vida como um todo”, finalizou.

A diretora Maria das Graças Lima, da Escola Municipal Raimunda Nonata Soares de Deus, localizada no Tancredo Neves, zona Leste, chegou cedo para acompanhar o debate com o educador português. Para ela, a programação foi boa, porque trouxe novas experiências para a melhoria da qualidade do processo de ensino e aprendizagem.

“A temática do seminário é uma boa proposta, muito interessante mesmo. Nós ouvimos ideias, sugestões e até angustias de outros colegas. Essa relacionada à falta de interação da família é uma angústia de todo diretor, do professor. Muitas vezes não temos uma interação da família com a escola. A família sempre acha que é papel da escola educar, mas a escola escolariza e a educação é familiar”, comentou, citando que possui um projeto similar à temática do seminário.

“Já tenho na escola, desde 2007, o projeto ‘Dia D’, no qual a família tem que estar presente. Nesse dia, são realizadas palestras e oficinas com os pais, em que se assemelha muito com a temática do seminário”, destacou.

O evento
Uma série de discussões sobre o conceito de educação democrática e integral, envolvendo educadores e familiares na rede municipal, iniciou, na sexta-feira, 31, com a realização do primeiro seminário “Mudar a Escola, Melhorar a Educação: transformar vidas”, resultado da parceria entre a Semed e o Cefa.

O evento, que reuniu mais de 200 educadores, foi realizado no auditório da Semed, no Parque Dez, zona Centro-Sul. Nos dois dias de atividade, os educadores puderam interagir com os palestrantes, nas mesas redondas, sobre temas como: “O Amazonas repensando a forma de educar”, com Ieda Maria, do projeto Afra; “Os desafios da educação no Brasil e experiência escolares inovadas”, com Helena Singer (MEC), Lucineide Pinheiro (Ufopa) e Braz Nogueira (ex-diretor da EMER Campos Salles, em São Paulo); além de “Por que devemos transformar as escolas?”com José Pacheco, entre outros temas e convidados.

Texto: Paulo Rogério Veiga

Fotos: Cleomir Santos

Secretaria Municipal de Educação (Semed)

Assessoria de Comunicação

(92) 3632-2054