02/09/15 | 17:09
Movimento de Mãos Dadas pelo Ideb 2015 agitam escolas da Zona Norte

IDEB na Esc. João Braga - Fotos Rodemarques abreu (32)Como forma de motivar as 64 escolas da rede municipal de ensino da zona Norte de Manaus na busca pelos resultados positivos deste ano no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), a Divisão Distrital Zonal (DDZ) Norte lançou, na manhã desta quarta-feira, 02, o projeto “Movimento de Mãos Dadas pelo Ideb”, ocorrido no auditório da Escola Municipal Engenheiro João Alberto Menezes Braga, localizado no Vale do Sinai, zona Norte.

Ao final do evento, foi assinado um termo de compromisso pelos profissionais da educação e os alunos da escola, que será feito em todas as unidades da zona, se comprometendo pela melhoria de ensino.

IDEB na Esc. João Braga - Fotos Rodemarques abreu (10)De acordo com a chefe da DDZ Norte, Arlete Ferreira, o evento visa motivar toda a comunidade escolar nas 64 unidades de ensino dessa área da cidade, dos quais 20 são Centros Municipais de Educação Infantil (Cmeis), que atendem crianças de 4 a 5 anos, e 44 Escolas de Ensino Fundamental (Emef), do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental, totalizando em torno de 34 mil estudantes. Segundo ela, é na infância que se começa a trabalhar na mente da criança a importância da avaliação da Prova Brasil e a busca pela melhoria do aprendizado.

“Queremos também motivar nossos 2.345 servidores (da DDZ Norte), dos quais 1,8 mil são professores. Todos estão envolvidos neste projeto e não somente os professores do 1º ao 9º, que serão submetidos à Prova Brasil, no mês de novembro, mas nossos Cmeis, que estão dando o apoio, tendo em vista estarem (os alunos dos Cmei) no primeiro período no ano seguinte”, observou.

IDEB na Esc. João Braga - Fotos Rodemarques abreu (27)Durante o movimento, como garantiu Arlete, as escolas realizarão oficinas sobre os descritores da Prova Brasil para professores do 5º e 9º ano, palestras com diretores da zona Norte sobre o tema “Gerenciando escolas, conduzindo vidas”, “aulão” com os professores do 9º ano, simulados, oficinas de leitura e escrita com foco pedagógico, entre outras ações.

Para a subsecretária de Gestão Educacional da Semed, Euzeni Trajano, é importante não apenas atingir a meta da prefeitura, que é figurar entre as dez capitais brasileiras com a melhor nota no Ideb, mas oferecer aos estudantes um ensino de qualidade. “É muito bonito ver todo esse envolvimento dos professores e dos pais dos alunos. Sempre destacamos a importância da participação deles (pais) nesse processo, que é fundamental para garantir os direitos das nossas crianças que é aprender com qualidade”, salientou.

Escola modelo
IDEB na Esc. João Braga - Fotos Rodemarques abreu (12)Para dar um exemplo de que é possível conquistar metas arrojadas, a gestora da Escola Municipal Zilda Arns Neimann, localizada no bairro Novo Israel, Roseane Damasceno, apresentou os trabalhos desenvolvidos na unidade de ensino. A escola alcançou a média de 5.7 no Ideb de 2013, a maior nota entre as escolas da zona Norte.

Este ano, a meta da escola é alcançar a nota 7.1. Para isso, os alunos do 5º ano tem dedicação exclusiva para os estudos, inclusive, nos tempos livres. É feita reuniões periódicas com os pais para explicar a importância da avaliação e do acompanhamento educacional dos filhos.

De acordo com a gestora, desde o primeiro ano vem sendo trabalhado a importância dos estudos e das avaliações. Segundo ela, a média do bimestre da unidade é 7,0, acordado pelos pais e professores, atingindo, com isso, 80% de aprovação dos alunos que ultrapassam a nota.

IDEB na Esc. João Braga - Fotos Rodemarques abreu (37)“Nosso segredo é fazer o que a gente sabe, que é ensinar nossos alunos. Percebemos que poderíamos ir mais além. Então, firmamos um compromisso dentro da escola, com a família, os alunos, o corpo docente e os funcionários no sentido de perseguir uma meta bem ousada. A gente sabe que tem esse potencial. Não é porque é uma escola pública, de periferia e pequena que não vamos conseguir”, defendeu.

A secretária municipal de Educação, Kátia Schweickardt, afirmou que é preciso a força dos professores, alunos, comunidade escolar, gestores e dos pais para o alcance da meta da rede, apesar das adversidades. “Fico muito feliz e mais esperançosa de que vamos conseguir. Sou muito grata à chefe da DDZ, professora Arlete, aos diretores das escolas e aos professores que estão dando o sangue para mudar a cara da educação em Manaus”, finalizou.

Texto: Auriane Carvalho
Foto: Rodemarques Abreu

Secretaria Municipal de Educação (Semed)

Assessoria de Comunicação

(92) 3632-2054