31/07/12 | 16:40
Motorista da Semed recebe premiação por boa conduta no trânsito

Paulo Cesar Alvim, que trabalha na Divisão Regional de Educação (DRE) II recebeu do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito – Manaustrans – certificado de honra ao mérito por sua conduta responsável no trânsito.

Dirigir dentro do limite de velocidade, respeitar as sinalizações e os pedestres e ter paciência com os congestionamentos deveria ser a conduta de todos os motoristas, mas atualmente esses predicados andam em extinção no transito caótico das grandes cidades. Por possuir esses e outros mais, o motorista da Divisão Regional de Educação (DRE) II, Paulo César Alvim, foi homenageado na última quarta-feira (25), pelo Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans) por suas atitudes responsáveis e pela contribuição para um trânsito mais seguro em Manaus. Na ocasião, ele recebeu um certificado de honra ao mérito das mãos do Diretor Presidente do Manaustrans, Walter Cruz.

Segundo a Chefe da DRE II, Elizabete Cavalcante, que percorre todos os dias as ruas da cidade ao lado do motorista, ele é, verdadeiramente, um exemplo de boa conduta. Paciência, prudência e responsabilidade são, para ela, as características marcantes de Paulo César.

“Ele é muito responsável. Não fala ao celular enquanto dirige, cumpre todas as legislações. Ele merece esse reconhecimento”, afirmou.

Paixão

Paulo César diz que sua profissão, na verdade, é um hobby. Ele iniciou a carreira de motorista em 1977, na cidade de Sorocaba, interior de São Paulo, e desde lá nunca abandonou o dia a dia das ruas e avenidas. O mais marcante é que com todo esse tempo de estrada ele nunca recebeu uma multa sequer. A fórmula do sucesso ele mesmo explica.

“Desde criança sempre sonhei em ser motorista. Quando cresci realizei o sonho e fiz dele meu sustento até hoje. Fazer o que gosta é sempre mais prazeroso. A dica que dou aos motoristas é, primeiramente, dirigir sem stress e depois ter atenção e respeito com os outros carros e com os pedestres”, ensinou.

Ele conta que ficou bastante emocionado em receber a honraria, mas, afirma sem falso moralismo que não é merecedor do prêmio.

“Sem demagogia, fiquei feliz pelo prêmio, mas não faço mais do que minha obrigação. Dirigir como eu dirijo deve ser obrigação de todos e nada mais é do que respeitar as normas de trânsito vigente no nosso país”, falou.