03/12/12 | 16:56
Mostra de Programas e Projetos Científicos e Culturais da DRE VI

Danças e manifestações variadas de arte foram os destaques da Mostra de Programas e Projetos Científicos e Culturais da DRE VI, realizado na sexta-feira, dia 30 de novembro, no Balneário da Companhia, Zona Leste da cidade. O evento foi realizado pela Divisão Regional Educacional (DRE) VI da Secretaria Municipal de Educação (Semed).

A programação contou com dança africana, capoeira, aquarela na linguagem dos sinais, dança do meio ambiente, lendas amazônicas, arte cênica regional, a interdisciplinaridade na dança, a lenda do boto, software para a avaliação física de escolares. O evento apresentou ainda stands que destacaram várias atividades, tais como: o imigrante nordestino, a saúde começa pela boca, educação fiscal, lendas amazônicas, os heróis do mundo, entre outros trabalhos apresentados pelos alunos e professores.

Para a Chefe da DRE VI, Clélia Maia, as 68 escolas municipais localizadas na Zona Leste da capital, tiveram a oportunidade de mostrar os trabalhos realizados em sala de aula com alunos e professores no processo de ensino aprendizagem que tem o cunho voltado à cultura e ao científico.

“Esse momento é uma oportunidade para que a comunidade escolar possa apresentar para sociedade em geral a importância do trabalho que é realizado nas escolas, entre alunos e professores. Aproveitamos esse evento para uma socialização entre todas as unidades educacionais com essa variedade de programas e projetos. Nós temos aqui um projeto por escola, no total de 68, mas somando todos é muito maior, o que mostra como é complexo as atividades que há em nossa rede na Zona Leste”, comentou.

A Escola Municipal Nossa Senhora das Graças, Bairro Jorge Teixeira, Zona Leste da capital, apresentou no evento o projeto “Espaço da Ciência – Conhecendo a Biodiversidade da Amazônia”. Segundo a gestora e bióloga da escola, Janeide Dantas, é um trabalho que envolve os alunos que começou com visitas no INPA como fonte de pesquisa.

“Fizemos pesquisas geográficas, práticas e científicas com nossos estudantes, com o intuito de que eles pudessem conhecer o tema em questão. Nós temos 10 alunos que estão no ‘Espaço da Ciência’ com o apoio do INP. Essas crianças são treinadas por professores para desenvolver suas atividades, na qual pretendemos inserir essa clientela estudantil na pesquisa e formar no futuro novos pesquisadores na área”, frisou.

O projeto “Aprendendo, brincando e cantando” foi a proposta da Escola Municipal Esmeraldo dos Santos Bessa, Jorge Teixeira, que envolve cerca de 800 alunos do 1º ao 5º ano do ensino fundamental da escola.

“A importância do nosso trabalho é que a criança aprende mais quando ela se sente a vontade em relação ao brincar e cantar. Os jogos que são oferecidos pelo programa tem um efeito muito agradável, porque o aluno faz uma coisa que gosta e aprende com mais facilidade”, completou.