26/09/17 | 10:16
Mais de 300 professores participam de 1º Seminário Municipal de Alfabetização

A Secretaria Municipal de Educação (Semed) realizou, na tarde desta segunda feira, 25/9, o 1º Seminário Municipal de Alfabetização, com o tema ‘Alfabetização e Letramento: refletindo sobre as atuais perspectivas’. O encontro aconteceu no auditório da secretaria e contou com a presença de aproximadamente 300 professores do 1º ano do Ensino Fundamental, que atuam em 280 unidades de ensino de Manaus.

O evento contou com participação de mestres e doutores em educação da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e de instituições de ensino superior privadas, que promoveram palestras e mesas redondas, proporcionando uma série de discussões sobre o tema.

Além dos professores, também participaram chefes de departamentos, divisão, gerências e das Divisões Zonais Distritais (DDZs) da Semed. Segundo a diretora do Departamento de Gestão Educacional (Dege), Marcionília Bessa, que representou a secretária municipal de Educação, Kátia Schweickardt, a ideia do Seminário foi abrir discussões e proporcionar reflexão sobre o trabalho de alfabetização desenvolvido pela rede e pelos profissionais da área.

“O seminário quis promover no professor educador uma reflexão sobre sua pratica pedagógica, porque quanto mais o profissional tem propriedade sobre o tema, melhor vai poder realizar seu trabalho. Além disso, o evento promoveu um momento de discussão sobre como a alfabetização no município vem acontecendo, o alcance desse ensino”.

Entre os setores responsáveis pela organização do evento está a Divisão de Ensino Fundamental (DEF) da Semed. A chefa da DEF, Suely da Silva, disse que  ação também teve a intenção de instrumentalizar o educador, demonstrando estratégias, meios possíveis e pedagógicos de alfabetizar, utilizando gêneros textuais.

“A ideia deste seminário é propor uma reflexão de como usar o gêneros textuais no processo de alfabetização. Então, temos um momento de reflexão sobre o fazer deles e vamos sugeri como eles podem usar os gêneros textuais no processo de alfabetização”, explicou.

Programação

Entre os palestrantes e responsáveis pelo momento de discussão estava a professora mestre da UEA, Elaine Andreatta, ministrou a palestra “Gênero Textuais na alfabetização”. A coordenadora do curso de pedagogia da Faculdade Metropolitana de Manaus (Fametro),  Ana Cristina Pinto, que tratou do papel das Instituições de Ensino Superior na formação do professor alfabetizador.

Dentre outros pontos, a palestrante Elaine Andreatta, destacou uma pesquisa divulgada em 2016, que aponta que nos últimos de dez anos aumentou o número de pessoas alfabetizadas no Brasil, mas que não necessariamente estas pessoas conseguem decodificar, compreender, fazer inferência do que leem.  Umas das preocupações aludidas pela palestrante abordou justamente este panorama negativo acerca da alfabetização.

“Se antes a nossa preocupação era acabar o analfabetismo, que não aconteceu, agora a nossa preocupação mudou, porque hoje temos pessoas alfabetizadas, mas não necessariamente temos pessoas que conseguem ler adequadamente e compreender o que estão lendo”, disse.

Além disso, durante o evento houve a exposição de banners e materiais de atividades exitosas sobre alfabetização, de escolas e DDZs.

De acordo com Marliane Botelho, educadora da Escola Municipal Padre José de Anchieta, o seminário serviu para trazer informações novas. “O seminário me ajudou a desconstruir alguns conceitos e construir outros. Ajudou a entender que é preciso ensinar de uma forma mais prática e diferenciada, e que o professor pare de ensinar de forma uma metódica e tradicional. Ou seja, ele serviu para abrir a mente para outras possibilidades”, disse.

 

Texto: Emerson Santos

Fotos: Cleomir Santos

 

Secretaria Municipal de Educação (Semed)
Assessoria de Comunicação
(92) 3632-2054