03/06/15 | 15:08
Jornada de Educação Ambiental começa com a exposição de trabalhos de instituições de pesquisa e educação

A 1ª Jornada de Educação Ambiental de Manaus marcou o segundo dia de atividades da Semana do Meio Ambiente 2015, promovida pela Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas). O evento começou na manhã desta quarta-feira, 3, no Parque Municipal do Mindu, no Parque Dez, com uma exposição de trabalhos de instituições de pesquisa e educação na área ambiental,  e a realização de uma mesa-redonda que contou com a participação de representantes de órgãos ambientais das esferas municipal, estadual e federal.

Cada instituição fez o relato de suas experiências em educação ambiental em espaços não-formais visando o fornecimento de subsídios para a elaboração do documento final do evento. Participaram representantes do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), Instituto de Conservação Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio), Ibama, Secretaria Municipal de Educação (Semed), Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp).

De acordo com o secretário municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Itamar de Oliveira Mar, que fez a abertura da jornada, o objetivo do evento é permitir que, pela primeira vez, possam ser estabelecidas as diretrizes para a prática da educação ambiental não-formal no município, utilizando-se os espaços protegidos como unidades de conservação, parques naturais e áreas verdes para as atividades educacionais. “Escolhemos o Parque do Mindu para realizar a jornada, com a participação de estudantes, professores, pesquisadores e especialistas na área de educação ambiental, exatamente por ser essa unidade de conservação municipal um santuário ecológico e um laboratório vivo para a prática de educação ambiental”, afirmou. A mesa-redonda contou com 83 participantes e no total, dez trabalhos foram inscritos para participar das exposições.

Para a secretária municipal de Educação, Kátia Schweickardt, a educação ambiental deve ser tratada de forma transversal e conduzida por todos, tanto nesta quanto em outras áreas, de modo a conjugar uma série de interesses e pontos em comum. “Nós da educação, que trabalhamos com o processo de ensino e aprendizado, na formação da cidadania plena, precisamos estar conectados na Semana do Meio Ambiente e nos posicionarmos enquanto educadores ambientais”, afirmou a secretária, ressaltando a importância da iniciativa da jornada.

Entre as experiências de educação não-formal relatadas durante o encontro, está o trabalho da Semulsp, por meio da Cedolp (Comissão Especializada de Divulgação e Orientação de Limpeza Pública) e das empresas Tumpex e Marquise, que realizam o serviço de coleta pública na cidade.  De acordo com a assessora técnica da Semulsp, Jaqueline Araújo, o grupo trabalha a educação ambiental em diversos espaços não-formais, como logradouros públicos, empresas do Polo Industrial, comércio, associações comunitárias, trabalhando  a questão da destinação correta, da coleta seletiva e do reaproveitamento.  Segundo ela, em 2014, foram realizadas 453 ações pelo Cedolp, beneficiando mais de 170 mil pessoas.

A coordenadora das OCAs do Conhecimento da Semed, Gina Gama, destacou a contribuição prática dada pelo programa para a disseminação da cultura da sustentabilidade. Manaus possui três Ocas: Leste, Norte e no Puraquequara, além de uma unidade que trabalha em gestão integrada com o Centro de Instrução de Guerra na Selva (Cigs). “Nesta gestão conseguimos conquistar outra formatação, é um grande avanço na área”, afirmou.

A jornada contou também com alunos do 3º ano do Colégio Militar da Polícia Militar, Escola Estadual Waldoque Freire de Lira, Escola Lea Alencar Antony, Grupo Escoteiros do Amazonas, União de Política Animal (UPA) e  Escola Adcam. Tiveram trabalhos expostos as Ocas do Conhecimento Ambiental, Idesam, a Biblioteca Móvel do Ipaam, Idesam e a Escola Agrícola Rainha dos Apóstolos, entre outros.

 

Fotos:Assessoria/Semmas