20/05/13 | 13:34
Jogos Indígenas selecionam atletas para Olimpíada de 2016

Cinco comunidades indígenas se reuniram neste fim de semana no Rio Cuieras, Comunidade Nova Esperança,  para participar das competições do VI Jogos Indígenas. O evento,  organizado pela Secretaria Municipal de Educação (Semed), realizou dois dias de disputas entre  as 5 escolas municipais representantes das comunidades Terra Preta, Três Unidos,  São Sebastião, Aldeia Kuanã e a comunidade sede, Nova Esperança, localizada  a 60 km da Ponta Negra.

A 6ª edição do evento fez mais de 250 alunos e pais das escolas municipais disputarem as modalidades esportivas de futebol, vôlei, atletismo, em comunhão com outras disputas típicas da cultura indígena como arco e flecha, peconha, arremesso de lança, travessia de igarapé e canoagem.

As competições começaram no sábado, 18, com os jogos de arremesso de lança e arco e flecha. Para a modalidade de arco e flecha (tiro ao alvo), a disputa tinha um peso a mais, porque a “olheira”, Márcia Lot, responsável pela divisão de Projetos Inéditos da Fundação Amazônia Sustentável (FAS), estava à procura de talentos nesta modalidade para seleção de atletas indígenas para as Olimpíadas de 2016, que será realizada no Rio de Janeir

“Estamos selecionando os jovens com boa pontaria, mas também os jovens com disciplina, caráter, regularidade, família e estrutura emocional”, afirmou Márcia Lot, que desde outubro de 2012tem visitado comunidades indígenas em busca de jovens indígenas entre 14 e 19 anos com capacidade inata no arco e flecha. Ao todo serão selecionados 12 jovens que serão avaliados por Roberval dos Santos, técnico da seleção amazonense de arco e flecha.

“Eles são muito bons no arco nativo, mas é preciso fazer a transição com o arco olímpico para serem levados para as seletivas nacionais. O VI Jogos Indígenas fez o trabalho de 5 semanas em um único dia, pois há jovens de diversas comunidades aqui ”, disse.

Jonice Santos, gerente de educação escolar indígena da Semed, afirmou que a cada ano a ganha mais participantes e que os jogos ajudam a fortalecer a identidade étnica-cultural. “Os jogos ajudam a fortalecer o sentimento da cultura indígena e a educação faz o trabalho de ir além, de promover a sustentabilidade e agir em coletivo”, afirmou Jonice.

Esta edição contou com a parceria entre a secretaria e a Faculdade La Salle, que levou 13 estudantes de Educação Física para ajudar na organização do evento. Para o professor Edilson Morais da Faculdade La Salle, levar os alunos para ter contato com outra cultura e organizar um evento como este é ir além do conhecimento teórico para uma atividade prática. “Estar em contato com eles (alunos) neste ambiente ressalta a cultura, os valores, as diferenças e as similaridades com os alunos da zona urbana”, afirmou Edilson.

O campeão da modalidade de arco e flecha, Jardel Cruz Gomes, 16 anos, foi um dos talentos escolhidos para seletiva. “Ninguém deve desperdiçar uma oportunidade dessas e o sonho em representar o Amazonas nas Olimpíadas de 2016”, afirmou Jardel.