29/05/15 | 17:15
Jogos de escola indígena municipal reúnem alunos em disputas na Comunidade Nova Esperança

Alunos de comunidades indígenas e não indígenas do Rio Cuieiras estão participando da 7ª edição dos Jogos Interculturais da Escola Municipal Puranga Pisasú, na comunidade Nova Esperança. A abertura foi nesta quinta-feira, 28, e os jogos, promovidos pela Secretaria Municipal de Educação (Semed), vão até este sábado, 30.

A abertura contou com a apresentação cultural dos alunos da Comunidade Nova Esperança, que, em seguida, partiram para a disputa das primeiras modalidades. Arremesso de lança, tiro ao alvo com arco e flecha, tiro ao alvo com zarabatana, canoagem, natação, peçonha estão entre as modalidades.

Acompanhando a abertura do evento, a subsecretária de Gestão Educacional da Semed, Euzeni Trajano, destacou que os jogos agregam conhecimento aos alunos com lições de educação fora do ambiente escolar.

“O conhecimento educacional não acontece somente na sala de aula. Nos jogos, os alunos desenvolvem habilidades motoras, corporais, de movimento, de expressão e da fala. São vários os processos que contribuem de fato para a aprendizagem das áreas de conhecimento como a língua portuguesa, matemática, história e geografia, de forma contextualizada. Os jogos trazem toda essa possibilidade de enriquecimento do processo da educação formal com a educação cultural dessa comunidade”, informou.

Além de alunos da comunidade Nova Esperança, participam do evento alunos das comunidades São Thomé e Boa Esperança. Para a chefe da Geei da Semed, Meire Lane Araújo, a participação das comunidades vizinhas contribui para a valorização e propagação da cultura indígena.

“As comunidades envolvidas são as próximas, não necessariamente as que tenham escolas indígenas. É muito importante essa junção rica, de quem não é indígena poder conhecer essa cultura de quem é indígena”, destacou.

O gestor da Escola Indígena Municipal Puranga Pisasú, anfitriã do evento, Joarlison Garrido, contou que na primeira edição dos jogos, em 2008, a intenção era fazer um jogo interno, mas houve interesse de outras comunidades em participar e os jogos acabaram virando uma festa de confraternização e troca de experiências.

“A confraternização e a interatividade foram muito prazerosas para todos. Os jogos foram pensados mesmo para que houvesse essa interação entre professores, alunos e povos de outras comunidades”, contou o gestor.

Rosicleia Leita da Silva saiu da Comunidade São Thomé para levar o filho Tiago Edilson da Silva Almeida, 11, para participar dos jogos. O aluno ficou em primeiro lugar na modalidade Peconha, na qual ele precisava subir em uma árvore de açaí utilizando a peconha, uma espécie de cinto feito do próprio açaizeiro, que ajuda no momento da escalada.

“A ideia de realizar esses jogos foi uma boa iniciativa, revive a nossa cultura. O Tiago sempre sobe no açaizeiro para tirar açaí para o avô dele na comunidade e hoje ele foi o primeiro lugar”, disse a mãe Rosicleia.

Os jogos vão até este sábado e todas as modalidades serão disputadas nos naipes masculino e feminino, nas categorias Curumim (até 12 anos), Curumim Açu (de 13 a 18 anos) e Apigawa (acima de 19 anos).

 

TEXTO: João Pedro Figueiredo         

FOTOS: Lton Santos

 

Secretaria Municipal de Educação (Semed)

Assessoria de Comunicação

(92) 3632-2054