19/06/15 | 12:51
Instituto Ayrton Senna forma mais uma turma de servidores da Semed

Um mês após a implantação do programa Pit Stop nas escolas municipais de Manaus, professores, tutores, assessores pedagógicos e pedagogos participaram, nesta sexta-feira, 19, de mais uma formação com representantes do Instituto Ayrton Senna. O encontro aconteceu no auditório da Secretaria Municipal de Educação (Semed), no Parque Dez, zona Centro-Sul.

A gerente de Projetos do Instituto Ayrton Senna, Rita Paulon, explicou que o objetivo da formação é avaliar como foi a aceitação do programa nas escolas da rede pelos alunos, identificar os pontos positivos e negativos e buscar melhorar o rendimento das aulas.

“Esta foi a primeira de uma formação continuada. Além dessa, teremos mais duas, uma em agosto e a outra em outubro. E elas visam  identificar como está o desenvolvimento das ações do programa em sala de aula, pois já tivemos o primeiro mês de experiência em sala e os participantes nos contaram como está a rotina, a dinâmica, quais são os desafios que eles identificaram, as conquistas e o que podemos ter de avanço em cima das dificuldades que eles encontraram, buscando sempre apoiá-los para aperfeiçoar, melhorar e avançar”, relatou, destacando que na próxima etapa do programa será trabalhada a ortografia com os alunos do Pit Stop.

Para a assessora pedagógica Sarah Thomé, a ortografia deve ajudar os alunos que precisam de um reforço na alfabetização. Ela já destacou que, apesar de apenas um mês de atividade, já foi possível identificar avanços no desempenho dos alunos.

“Ao final deste mês, já podemos ver resultados com os alunos nas questões de leitura e de escrita. Eles têm o material próprio, acompanhamento do professor e do tutor, ou seja, todo um apoio. Por isso, podemos ver esse resultado rapidamente. A formação vem no momento bom. É uma colheita do primeiro mês de trabalho e é bom para quando retornarmos para as escolas termos novas formas de trabalhar. Agora, vamos trabalhar a ortografia com os alunos e reforçar a alfabetização deles”, informou.

Pit Stop

O programa Pit Stop trabalha três vezes por semana, no contraturno do ensino regular, com os alunos que precisam de reforço escolar. Tutora nas escolas da zona ribeirinha, Luiza Carlos destacou o interesse em ensinar os alunos e em colher bons resultados já no primeiro mês do programa.

“A receptividade das crianças foi muito boa, por mais que elas não consigam explicar, nós percebemos que elas sabem da necessidade que têm de ter esse complemento escolar. Elas se cobram, se empenham mais e participam todos os dias do programa. É bom esse entendimento para que o reforço escolar tenha bons resultados, o que já foi possível identificar, nesse primeiro mês, como o avanço na leitura e a escrita dos nossos alunos”, relatou.

Durante a formação, os participantes contaram suas experiências e receberam informações para a continuidade do programa.

 

TEXTO: João Pedro Figueiredo

FOTOS: Rodemarques Abreu

 

Assessoria de Comunicação

Secretaria Municipal de Educação (Semed)

(92) 3632-2054