20/03/12 | 16:04
Inclusão Digital chega às escolas da Zona Leste.

Para ofertar cursos e treinamentos, além de uma gama de informações, pesquisas, estudos e novas possibilidades por meio da internet, a Prefeitura de Manaus por intermédio da Secretaria Municipal de Educação (Semed) está entregando os Telecentros em escolas municipais localizadas em várias zonas geográficas de Manaus. Nesta segunda-feira, (19), mais três unidades foram inauguradas nas Escolas Municipais: Raul de Queiroz de M. Veiga (Cidade de Deus), Cleonice de  Meneses Fernandes (João Paulo II) e Dr. Paulo Pinto Nery (Jorge Teixeira).

Em seu discurso de inauguração, o Secretário Municipal de Educação, Mauro Lippi destacou a importância do Telecentro para a comunidade e dirigiu a sua fala primeiramente aos alunos das três escolas.

“É uma oportunidade única para vocês, alunos. De 492 unidades somente 219 escolas receberão os Telecentros na cidade de Manaus.  Esse espaço é uma oportunidade de se ter uma ferramenta tecnológica e pedagógica a favor da educação, para os alunos pesquisarem seus trabalhos, utilizarem jogos didáticos, além de diminuir a preocupação dos pais na ida de seus filhos a lan houses, pois eles estarão sob a segurança da escola”, explicou o Secretário.

“O Telecentro possui três finalidades: envolve os alunos, pais que queiram aprender a utilizar o computador e os comunitários que se interessem em utilizar os serviços de pesquisa, confecção de currículos e outros, assim como o acesso aos estudos e a utilização dessa nova ferramenta tecnológica”, complementou o secretário.

De acordo com o Coordenador do Telecentro, Lairson Ferreira, os comunitários terão acesso ao telecentro três vezes por semana totalizando seis horas semanais. Os alunos utilizarão de acordo com as suas necessidades de pesquisas nas disciplinas estudadas.

“Não deixaremos ninguém de fora do Telecentro. É uma oportunidade muito grande para todos, do bairro Cidade de Deus, pois, não temos nem lan house próximo da escola”, salientou o coordenador.

A gestora, Geise de Souza, destacou que o novo espaço será de um valor enorme para o ensino em sua escola. “Não tínhamos nenhum lugar que os alunos pudessem acessar a internet. Um dos pontos positivos também que os pais terão mais segurança em deixar seus filhos na escola para pesquisar seus trabalhos”, afirmou Souza.

“A maioria dos alunos não possui internet em casa. Agora, com esse espaço na escola ficará bem mais fácil para pesquisar nossos trabalhos escolares”, afirmou a aluna do 9° ano, Débora Caroline.

Na Escola Mul. Cleonice Meneses Fernandes (João Paulo II) 1.748 alunos do 1° ao 9° ano esperavam ansiosos pela chegada da tecnologia.

“Esse espaço será mais um auxílio pedagógico tanto para os nossos alunos quanto para os comunitários de nosso bairro. Pretendemos montar uma programação de cursos que atenderá a todos”, enfatizou o gestor, Júlio César.

Para o aluno do 6° ano, Matheus Gomes, 11, as novas aprendizagens estarão presentes no Telecentro. “Eu sei que aprenderei muitas coisas novas no Telecentro, pois não sei utilizar muito o computador. Antes pesquisava meus trabalhos na lan house, agora, dentro da escola, ficará mais fácil com a ajuda de meus professores”, afirmou o aluno.

O comunitário do bairro João Paulo II, Rômulo Menezes, 43, estava muito feliz com a aquisição da comunidade. “Estou aqui para parabenizar o Prefeito de Manaus por sua iniciativa e o Secretário Mauro Lippi por seu apoio ao nosso bairro. Estou muito feliz por ser morador deste bairro e saber que os comunitários terão um lugar para fazer seus trabalhos, um espaço que contribui para a inclusão digital e social de nossos alunos, pais e comunitários”, ressaltou Menezes.

Mais de 1500 alunos do 1° ao 9 ano da Escola Mul. Dr. Paulo Pinto Nery terão acesso rápido às informações e pesquisas de seus trabalhos com a entrega do 36° Telecentro.

Feliz e satisfeita com a entrega deste novo espaço, a gestora da escola, Raimunda Soares, falou de sua alegria em ver os alunos conectados. “Receber o Telecentro é um grande privilégio. É um meio que vem para contribuir para a melhoria do IDEB, além da inclusão digital de nossos alunos, pais e comunitários”, afirmou a gestora.

Interessada em aprender a utilizar o computador e internet, a mãe de aluno e comunitária, Rosinete Souza, 45, confirmou que pretende utilizar o telecentro da escola.

“Minha filha muitas vezes tinha que pagar para fazer seus trabalhos, com este espaço ficará mais fácil. Eu tenho muita vontade de fazer cursos e aprender realmente a usar o computador. Sei que agora isso será possível”, ressaltou  Souza.

“Nem acredito que terei este espaço dentro da minha escola e não vou mais precisar pagar minhas pesquisas na lan house. Estou muito feliz!”, destacou o aluno do 9° ano, Alexandre Rodrigues, 14.