21/09/12 | 15:37
Inclusão Digital chega à Escola Municipal Padre Puga no Japiim

“Telecentro é sucesso, atitude, oportunidade, futuro, criatividade, compromisso e inclusão digital” – com essa conceituação a Escola Mul. Padre Puga (Japiim), recebeu nesta quinta-feira, (20), o 128º Telecentro – unidades tecnológicas que estão sendo implantadas pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e Prefeitura de Manaus (PMM).

“O telecentro é uma ferramenta pedagógica que se concretiza na escola”, declarou o Secretário Municipal de Educação, Mauro Lippi. Segundo ele, a inauguração dos telecentros é um marco nas escolas municipais.

“As escolas municipais estão oferecendo mais esse recurso para os alunos, professores, pais e comunitários. Essa ferramenta, quando bem usada, consegue colocar os alunos em um patamar de conhecimento diferenciado dos demais. A maioria dos pais não tem como adquirir um computador, e o telecentro ajudará nessa deficiência, além de ser uma oportunidade de trazer a comunidade para a escola e inseri-la na era da informática”, afirmou o Secretário.

A gestora da escola, Vera Núbia dos Santos, acredita que o telecentro é mais uma ferramenta que a escola tem o privilégio de receber.

“O telecentro veio no momento certo para ajudar, pois nem todos tem acesso a essa ferramenta. Esse novo recurso trará a inclusão digital para a comunidade, além de atender a necessidade dos pais, alunos e professores. É uma forma de reconhecimento e valorização, também, da educação dos nossos dirigentes com a população em geral”, destacou a gestora.

Para a aluna do 6° ano,  Karolaine Souza Corrêa, 13, o novo espaço terá um papel fundamental para a realização de suas pesquisas escolares. “Será muito importante para pesquisarmos sobre a nossa história e desenvolver as habilidades na informática. Como não tenho computador em casa, agora será mais fácil com o telecentro na escola”, afirmou a aluna.

“Será ótimo nossos filhos terem acesso ao computador e internet na escola. Hoje em dia, tudo envolve a informática e se a pessoa não tiver essas informações estará, com certeza, fora do mercado de trabalho”, declarou a mãe de aluno e comunitária, Margareth Vasconcelos da Rocha, 31.