16/09/13 | 13:38
Histórias em quadrinho vão ajudar crianças no aprendizado da leitura

A leitura é um dos principais meios de conhecimento do mundo. Nela é possível viajar por lugares inimagináveis e, além disso, é comprovado que a criança que lê e tem contato com a leitura desde cedo é beneficiada em diversos sentidos: aprende com mais facilidade, pronuncia corretamente as palavras e se comunica melhor com as pessoas. Conhecendo esse cenário, a Secretaria Municipal de Educação (Semed), criou o pioneiro Projeto Quadrinho na Escola, que visa incentivar alunos de 1º ao 9º ano a praticar a leitura por meio de gibis.

“O objetivo é consolidar o processo de alfabetização e letramento para os alunos dos primeiros anos do ensino fundamental e a ampliar a formação leitora para os alunos dos últimos anos”, explica Lygia de Lima Souza, assessora de linguagem da Divisão de Ensino Fundamental (DEF) da Semed.

O Projeto será lançado oficialmente no próximo dia 23, segunda-feira, no auditório Eulálio Chaves, na Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e terá a presença dos alunos da rede municipal de ensino e do cartunista Maurício de Sousa, mestre das histórias em quadrinhos no Brasil e criador da Turma da Mônica. A Mônica, personagem dentuça das histórias, também fará parte da cerimônia.

O Projeto vai alcançar mais de 172 mil estudantes e disponibilizando mais de 345 mil obras de Maurício de Sousa, dentre elas as aventuras da Turma da Mônica, Pelezinho e Neymar. O Projeto contará com a participação de professores, pedagogos e bibliotecários que irão trabalhar com os alunos a leitura e interpretação de texto, produção textual, formação de palavras, escrita correta, entre outros.

A ideia de usar o gibi como ferramenta pedagógica partiu do Secretário de Municipal de Educação, Pauderney Avelino, que ao visitar as escolas percebeu um déficit de leitura por parte das crianças.

“Em visita às escolas percebi que havia muitos alunos do 2º, 3º e até 4º ano que não sabiam ler corretamente. Lembrei de quando era criança e como os gibis despertaram meu interesse pela leitura”, afirmou Pauderney.

Termo de compromisso

Após as aulas, os alunos poderão levar as histórias em quadrinhos para casa e continuar viajando na leitura em seu lar. Para isso, os pais assinarão um termo de compromisso de devolução das obras.

“A ideia é permitir que os alunos levem a revistinha para casa e compartilhem com os irmãos, mas ao finalizar a leitura devolvam os gibis para a escola”, disse Pauderney.

Curumim

A obra O Curumim do jornalista e cartunista Amazonense, Mario Adolfo, também fará parte do acervo de revistinhas do projeto. A história do pequeno aventureiro indígena, conhecido como o último herói da Amazônia, que este ano completou 30 anos, dará um ar mais regional ao projeto de leitura.