20/07/15 | 12:03
Formandos de Pedagogia auxiliarão professores da educação especial no município

Formação dos alunos da Bolsa Universidade. DDPM. Fotos Cleomir (3)A partir de quarta-feira, 22 de julho, 40 escolas municipais, que atendem a aproximadamente 280 alunos com algum tipo de deficiência, receberão reforço de 70 acadêmicos de Pedagogia para auxiliarem os professores em sala de aula. Os universitários são formandos do curso de diversas faculdades da cidade e beneficiários do Bolsa Universidade. A atividade é contrapartida no programa.

Na manhã desta segunda-feira, 20, os formandos passaram por uma capacitação, na Divisão de Desenvolvimento Profissional do Magistério (DDPM), no conjunto Vila Amazonas, zona Centro-Sul, onde aprenderam a mediar situações de conflitos com as quais poderão lidar no dia a dia da escola. Entre as situações trabalhadas, o relacionamento de uma criança autista com os demais colegas em sala de aula.

Formação dos alunos da Bolsa Universidade. DDPM. Fotos Cleomir (4)A chefe da Gerência de Educação Especial da Secretaria Municipal de Educação (Semed), Reni Formiga, explicou que a participação dos universitários vai não somente auxiliar o professor, mas oportunizar ao aluno incluso um aprendizado mais eficaz.

“É um grande reforço para o professor porque ele acaba ficando muito sobrecarregado com alunos inclusos. Então, precisamos dar esse suporte para o profissional. O aluno incluso no ensino regular tem que fazer parte do processo de educação e não ficar incluído só de corpo presente. Com o professor auxiliar, ele (o aluno) vai poder participar de todas as atividades”, afirmou Reni, ao destacar que este é um projeto piloto que vai atender, inicialmente, 40 escolas, mas a previsão é expandir para 200 unidades de ensino em 2016.

Ângela Maria Quirino é uma das universitárias que atuarão nas escolas. Para ela, o convívio com as crianças e o contato diário com um profissional mais experiente ajudarão em seu desenvolvimento como educadora.

Formação dos alunos da Bolsa Universidade. DDPM. Fotos Cleomir (5)“Eu tive essa disciplina na faculdade e me identifiquei. Quando veio esse convite do Bolsa Universidade, eu aceitei na hora. Eu quero ter um conhecimento maior sobre o assunto, porque hoje a escola é inclusiva e precisamos estar habilitados a lidar com todos as crianças e as problemáticas do dia a dia”, observou.

Casamento perfeito
Para Elmira Queiroz, a contrapartida do Bolsa Universidade na educação especial foi um presente. Ela contou que, recentemente, finalizou o curso de Pedagogia e seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) abordou a educação inclusa. Elmira afirmou que quer usar o tempo que ficará na escola como um complemento para o aprendizado que teve no banco da universidade.

“Eu vejo essa oportunidade como um presente. Meu TCC teve o tema ‘Inclusão educacional: intenções e ações’. A minha avaliadora dizia que eu era muito corajosa, uma vez que o tema inclusão é algo que nem todo mundo quer abordar, muita gente tem medo. Inclusão educacional é o meu foco. É isso que quero seguir. Já tenho curso de Libras (Língua Brasileira de Sinais) e quero ajudar essas pessoas”, disse ao lembrar que o amor à educação especial nasceu em casa.

“A minha irmã mais nova é especial. Ela tem deficiência intelectual e é uma criança grande. A mente dela desenvolveu até os dois anos. A minha paixão nasceu em casa quando a ensinava. Aqui casou perfeitamente. Eu estou muito empolgada com o início dos trabalhos e, se Deus quiser, ajudarei a fazer uma transformação na vida dessas pessoas que tanto precisam de ajuda”, disse.

Texto: Thiago Botelho
Fotos: Cleomir Santos/Semed

Secretaria Municipal de Educação (Semed)

Assessoria de Comunicação

(92) 3632-2054