04/02/13 | 11:34
Formação pedagógica dos professores indígenas da Semed

Vinte e três educadores, além de caciques de algumas etnias e comunitários, participaram entre os dias 30 e 31 de janeiro, do Planejamento dos Professores Indígenas, que ocorreu das 9h às 17h, na Divisão de Desenvolvimento Profissional do Magistério (DDPM) da Secretaria Municipal de Educação (Semed).

A formação dos professores indígenas, que atuam na rede municipal de ensino, visa uma abordagem da metodologia pedagógica que será implantada no processo de ensino aprendizagem no ano letivo. Dentre alguns temas foram discutidos: orientações metodológicas, apresentação do plano de metas, elaboração dos projetos pedagógicos, exposição das propostas, entre outros assuntos.

“A importância desse processo rege a legislação com uma educação diferenciada e comunitária, onde a partir dessa reunião nós vamos traçar os objetivos finais para que a Semed tenha uma escola indígena intercultural, bilíngue e comunitária, sem esses princípios, nós não temos uma escola indígena”, explicou a gerente de Educação Escolar Indígena da Semed, Jonise Nunes Santos.

Há 19 anos atuando na educação indígena, Raimundo Cruz da Silva, 35, da etnia kambeba, educador na Comunidade Três Unidos – Rio Negro, Zona Rural, trabalha com alunos do ensino regular, educação infantil e do 1º ao 5º ano. Segundo o professor, o encontro é válido pelas informações que serão utilizadas no ano letivo.

“Nós temos a questão de organizar o processo de trabalho, ou seja, a escola indígena trabalha com projetos e atividades, com isso fazemos atividades com a língua, cultura (dança, música, histórias antigas, diversas línguas,), enfim um trabalho para melhorar o desempenho do professor indígena em sala de aula”, finalizou.

Professora da Comunidade Terra Preta – Rio Negro, Zona Rural, Rosa Fernandes Aleixo, 37, da etnia Baré, lida com 77 alunos do ensino regular e da educação indígena. Ela considera importante a realização da formação para todos os educadores que atuam na área.

“Nós precisamos dessa qualificação. Na minha comunidade (Terra Preta) são 37 famílias, e lá trabalhamos com educação indígena e educação regular. Precisamos aplicar a disciplina de nossa cultura, com o apoio da Semed nosso ensino vai melhorar”, completo

Dados

A Semed conta, hoje, com 23 professores indígenas, das etnias Baré, Karapanã, Saterê, Piratapuia, Kambeba, Kokama, Apurinã, Miranha, Muran, Tukano e Dessana. A rede municipal de ensino atende a 18 comunidades, com um total de 400 a 500 alunos da educação infantil, do 1º ao 5º ano e a Educação de Jovens e Adultos (EJA).