22/03/12 | 16:50
Expansão tecnológica nas escolas municipais

A inauguração de mais três telecentros nas escolas municipais nesta quarta-feira, (21), marcou a expansão da tecnologia e da informatização nas Zonas Leste e Sul. As entregas das unidades tecnológicas aconteceram nas Escolas: Aristóteles Comte de Alencar (Armando Mendes), Dr. Antônio Nelson de O. Neto (Armando Mendes) e Profª Maria Lira Pereira (Petropólis).

Aos alunos, pais e comunitários, o Secretário Municipal de Educação, Mauro Lippi, fez o convite para que todos participem efetivamente do novo espaço nas escolas que receberam os telecentros.

“Temos 492 escolas na rede municipal e somente 219 receberão os Telecentros e isso significa uma oportunidade a mais para que todos vocês estejam à frente dos demais.

Além dos fatores de modernidade e avanço na tecnologia, os alunos terão um ambiente seguro da escola para fazer seus trabalhos, aprender mais da informática e utilizar jogos pedagógicos e softwares educativos. Esse é um espaço para desenvolver os projetos educacionais e consultas instrutivas”, ressaltou o Secretário.

Mais de mil e quinhentos e alunos do 1 ao 9° ano e do Programa de Aceleração da Aprendizagem (PAA) da Escola Aristóteles Comte de Alencar terão acesso à internet e um espaço moderno tecnológico voltado para a disponibilização da informática, internet e promoção de cursos. Segundo a gestora, Kelen Araújo de Oliveira, a unidade escolar está em festa com a entrega do telecentro.

“Temos um novo ciclo na história de nossa escola. Como educadores acreditamos que tudo vem para somar e para a melhoria da educação. A escola está radiante  porque o Telecentro vem para solidificar o que falamos na teoria: a parceria da escola com a comunidade”, explicou a gestora.

A Coordenadora do Telecentro, Luciléia Ferreira, explicou que todos terão acesso ao telecentro de forma organizada e produtiva. “ Queremos trabalhar em conjunto com os professores para que os mesmos possam utilizar este recurso em consonância com suas disciplinas e conteúdos em sala de aula. Os comunitários terão acesso três vezes por semana”, afirmou a coordenadora.

“É demais esse espaço, muito legal. Vou fazer meus trabalhos e minhas pesquisas sem precisar mais gastar dinheiro em lan house. Na escola vai ser bem melhor”, afirmou contente o aluno do 6° ano, Bruno Machado, 11.

Na Escola Mul. Dr. Antônio Nelson de O. Neto, os seiscentos e cinquenta alunos do 1° ao 5° ano esperavam com ansiedade e alegria a chegada da comitiva de inauguração.

“Vamos criar oportunidades para as crianças ter o acesso ao conhecimento e atualização de novos ensinamentos, contribuindo para o ensino e sendo mais uma ferramenta pedagógica”, definiu a gestora, Mary Jane da Silva.

A aluna do 4° ano, Larissa Galvão, 9, estava radiante com a nova aquisição de sua escola. “Gostei muito do Telecentro. Pretendo aprender mais a utilizar a internet para fazer meus trabalhos escolares”, falou a aluna.

Com a presença marcante da comunidade, alunos, pais e professores, a Escola Mul. Profª Maria Lira Pereira, bairro de Petropólis, estava realmente em festa, recebendo a todos que chegavam com música, palmas e alegria.

A gestora Giane Rocha falou sobre a necessidade deste espaço tecnológico na comunidade inserida na escola.

“Além de atender 750 alunos do 1° ao 7° ano, pais e comunitários terão acesso à tecnologia de forma mais facilitada. Muitas pessoas do bairro não possuem computador em suas casas e esse espaço será de grande importância para todos. Estamos firmando ainda uma parceria com o CETAM para a promoção de cursos de tecnologia para alunos e comunitários”, explicou a gestora.

O representante da comunidade, Edmilson Lima, ressaltou que o espaço auxiliará no desenvolvimento do bairro.

“Vejo uma ferramenta de fundamental importância para a comunidade. Com a inserção digital precisamos estar informados e atualizados. Será um ato revolucionário devido à carência desse espaço nas redondezas”, salientou o comunitário.

“Eu acredito que ajudará tanto a escola quanto a comunidade. Toda a nossa família será beneficiada. Não precisaremos mais gastar dinheiro com lan house e faremos nossos trabalhos sem sair da escola”, complementou a aluna do 7° ano, Jennifer da Silva, 11.