18/05/18 | 16:41
Escolas da rede municipal de ensino realizam atividades pelo Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso e Violência Sexual de Crianças e Adolescentes

Como parte das atividades do Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, realizado nesta sexta-feira, 18/5, as escolas da rede municipal de ensino realizaram atividades abordando o tema, por meio do projeto “Faça Bonito: proteja nossas crianças e adolescentes da violência sexual”. Durante todo o mês de maio as escolas desenvolveram ações como caminhadas, oficinas, concursos, envolvendo alunos, pais e comunidade escolar na discussão do tema.

O “Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes”, foi instituído pela Lei Federal nº 9.8700/00 e faz referência ao caso que ficou conhecido como “Crime Araceli”, acontecido no Espírito Santo em 1973, quando a menina, de apenas 8 anos de idade, e foi violentada e assassinada. A data tem a intenção de mobilizar, sensibilizar, informar e convocar a sociedade para participar a prevenção a esse tipo de crime.

O Disque 100 é o canal em que podem ser feitas denúncias de violência contra crianças e adolescentes, de forma anônima. Nesta sexta-feira, boa parte das 499 unidades da Semed realizou algum tipo de atividade sobre o tema, como a Escola Municipal Ana Mota Braga, no bairro de Petrópolis, zona Sul de Manaus, que durante todo o mês trabalhou o assunto em campanhas com a comunidade, palestras e outras ações de sensibilização.

Na manhã de hoje foi realizado um encontro, que envolveu alunos da escola e de outras unidades como a Escola Municipal Irmã Dulce, o Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Dalva Maria e a Creche Municipal Luzenir Lopes. As atividades que aconteceram no encontro, foram bem recebidas pelos alunos, como o João Andrade, 13, que afirmou que agora terá um outro olhar sobre o assunto.

“Eu aprendi que é muito importante a gente se importar com o próximo, porque às vezes o outro está passando por um problema que a gente não sabe. Eu acho que que passar por alguma violência deve ter consciência do que aconteceu com ela e não deve ter medo de fazer a denúncia, porque isso é muito importante, senão nunca vai acabar”.

Outra unidade que realizou atividade especial nesta sexta, foi a Escola Municipal Maria Rufino, no bairro Alvorada, que há sete anos realiza uma caminhada com alunos e comunitários pelas principais ruas do bairro. A gestora da unidade, Sandra Aguilar, destacou que durante o percurso, pessoas abordavam os servidores para relatar casos de violência e pedir orientações.

 “Essa caminhada é muito importante, porque só temos visto os números relacionados à violência contra a criança crescer. A comunidade reage muito bem, participa, alguns saem de casa e esperam, batem palmas”, disse ela, lembrando também que os alunos da escola são orientados dentro do projeto Viver e Conviver.

Para a assessora técnica da Gerência de Atividades Complementares e Programas Especiais (Gacpe) e que coordena ações relacionadas aos Direitos Humanos na Semed, Eliana Hayden, a mobilização das escolas da rede deixa claro que as escolas estão empenhadas e envolvidas no combate da violência e os professores e gestores capacitados para identificar os possíveis casos.

“É muito importante a mobilização de diversos atores, uma vez que quanto mais gente se envolver nessa questão, maior se torna a rede proteção em torno das crianças. Depois de um tempo de trabalho, até as crianças aprendem a identificar os casos de agressão”, comenta.

 

Texto: Alexandre Abreu

Fotos: Cleomir Santos

 

Secretaria Municipal de Educação (Semed)

Assessoria de Comunicação

(92) 3632-2054