20/04/11 | 13:55
Escola Municipal Osvaldo Sobreira implanta coleta seletiva

Acompanhados dos pais, alunos da Escola Municipal Osvaldo Sobreira, localizada no Bairro da União, zona centro-sul, conheceram a importância de separar o lixo através de orientações dos acadêmicos do curso pedagogia do Ciesa e da apresentação lúdica dos Garis da Alegria, da Secretaria Municipal de Limpeza Publica-Semulsp. Isso porque, nesta terça-feira, 19, foi implantada a coleta seletiva na escola, que atende alunos do 1º ao 4º ano.

O coordenador do setor de coleta seletiva da Semulsp, Luis Paes, destacou que ações de conscientização sobre o assunto envolvendo crianças têm obtido um melhor resultado. “Percebemos que é mais fácil um adulto se sensibilizar com a importância da coleta seletiva quando as informações partem de uma criança. Por isso apostamos em ações com o público infantil.

Eles são nossos principais disseminadores”, explicou.

Ele lembrou também que a Semulsp disponibilizou para a escola as chamadas ‘bombonas’, recipientes plásticos identificados pelas cores, vermelho (plástico), verde (vidro), azul (papel)e amarelo (metal). “Dessa forma as crianças podem praticar diariamente a coleta seletiva”, disse o coordenador.

A ação de orientação foi uma parceria entre a Semulsp e acadêmicos de pedagogia do Ciesa, que desenvolvem o projeto de educação comunitária Raízes Verdes.

A professora Santelma Mendonça, é a coordenadora do projeto, que segundo ela está no início. “Ainda somos poucos, porém, repassar mensagens e orientações sobre preservação ambiental e coleta seletiva, nos faz um grupo forte em função da importância do assunto”, destacou a educadora.

Além das crianças, os pais também mostraram empolgação durante as apresentações dos Garis da Alegria. A dona de casa Marliete Oliveira tem dois filhos na escola, e reconhece que muitos problemas existentes no bairro são resultantes de falta de informação sobre o assunto. “Nosso bairro sofre constantemente com problemas de alagações, isso porque os moradores desconhecem a importância de reciclar e jogam lixo onde não deve”, disse a moradora sobre a importância de orientar não só os alunos, mas também os pais.