05/06/19 | 15:15
Escola Municipal Marly Garganta recebe premiação pelo concurso Horta na Escola

A Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed) premiou a Escola Municipal Marly Barbosa Garganta, bairro Terra Nova, zona Norte, pela segunda colocação na modalidade de Ensino Fundamental, no 2º Concurso Horta na Escola, com o tema ‘Plantando sabores e saberes’, realizado no final do ano passado. A solenidade ocorreu na manhã desta quarta-feira, 5/6, na quadra da unidade de ensino, com a entrega de um carrinho de mão, uma caixa de som amplificada e de certificados de participação aos alunos do projeto.

A próxima premiação do concurso será a da Escola Municipal Nossa Senhora das Graças, no Rio Amazonas, zona Ribeirinha, na sexta-feira, 7/6. O concurso foi realizado pela Semed, por meio da Divisão de Apoio à Gestão Educacional (Dage). Participaram 36 unidades de ensino de todas as zonas da cidade, com alunos da Educação Infantil e do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental.

Para chefe da Dage da Semed, Jussara Marques, a premiação da escola é muito mais do que algo simbólico, mas de um verdadeiro aprendizado dos alunos com as atividades pedagógicas realizadas.

“Esse concurso que a Semed realiza é muito importante, pois quando um projeto chega com um recurso, ficamos felizes quando tem esse envolvimento da escola, da comunidade e dos alunos de fazer da horta um laboratório vivo, pois isso é um exemplo de vida de uma alimentação saudável”, salientou.

A diretora da escola, Karla Rodrigues, ressaltou a importância da horta escolar para os 876 alunos, do 6º ao 9º ano e da Educação de Jovens e Adultos (EJA). Segundo a educadora, o aprendizado vai muito além do que simplesmente plantar e colher.

“É gratificante ver o trabalho, a partir do momento que os alunos têm a sensibilização da importância do cuidado com meio ambiente, com questão da sustentabilidade, que é tão trabalhada na escola. Esse trabalho é interdisciplinar porque os professores utilizam a horta como uma ferramenta do trabalho em sala de aula”, comentou.

Há três anos na coordenação da horta, o professor Francisco Cesar Brito Vieira, destacou o trabalho realizado com as plantas medicinais, frutíferas e o composto orgânico pelos alunos no contraturno, mas principalmente o aprendizado levado além dos muros da escola.

“Esse projeto tem um foco interdisciplinar, mostra para o aluno na prática, aquilo que se trabalha em sala de aula e que podem levar para casa, sendo uma extensão do projeto até as famílias de como criar e plantar. Alguns dos alunos já são multiplicadores, e já tem sua horta em casa”, contou.

O aluno do 8º ano, Carlos Henrique Bitencourt, 13, participar do projeto desde o ano passado, e ficou feliz pelo conhecimento que adquiriu durante esse tempo, pois é algo que vai levar para toda vida.

“Com a horta a gente aprende a preservar o meio ambiente, cuidar das plantas e a importância para nossa vida. Como é indisciplinar, nós aprendemos sobre a cor, formas, história, origem, como a cana-de-açúcar que veio da África, entre outras matérias. Isso nos ajuda a  melhorar cada vez mais o conhecimento sobre o meio ambiente”, disse.

Texto: Paulo Rogério
Fotos: Cleomir Santos

Secretaria Municipal de Educação (Semed)
Assessoria de Comunicação
(92) 3632-2054