26/08/14 | 14:19
Escola Municipal José Tavares aborda “Água fonte de vida que dá a vida” em Feira de Ciências

Com uma equipe de cinco alunos selecionados pela coordenação pedagógica, a Escola Municipal José Tavares de Macedo, bairro Santa Luzia, zona Sul da cidade, durante três semanas realizou um trabalho de pesquisa com uso das tecnologias, mas principalmente a visitação a áreas adjacentes da unidade de ensino do projeto “Água fonte de vida que dá a vida”, tema da 2ª Feira de Ciências, Tecnologia e Educação Ambiental.

Com objetivo de valorizar a água como fonte de vida, reconhecendo sua importância, as consequências pelo mau uso e utilização adequada em nossa vida, o grupo de alunos fez a apresentação dos trabalhos nesta terça-feira, 26, no período da manhã e da tarde, no refeitório da escola. A programação contou com a presença da comunidade escolar, educadores, professores e pedagogos da escola.

“Creio que foi um aprendizado muito grande para os alunos, porque eles puderam ver de perto a situação dos igarapés e ver que as pessoas estão poluindo os rios. Eles, in loco, presenciaram a situação das lixeiras nas proximidades da escola, do lixo que é jogado nas calçadas, nas ruas, ou seja, eles agora têm a certeza de que é muito importante a preservação dos rios e não se pode jogar tudo dentro deles.”, finalizou uma das coordenadoras dos alunos, Ione Matias de Andrade.

Uma das atividades dos alunos dentro do tema “Água fonte de vida que dá a vida” foram entrevistas com comunitários sobre o lixo nas adjacências da escola, registro da contaminação dos rios por meio de filmagens, visita ao igarapé ‘Mestre Chico’, no Educandos, além da criação de um blog na internet para o registro das atividades sobre o trabalho executado.

Um dos cinco alunos que realizou a pesquisa foi Victor Gabriel de Souza, 11, do 5º ano vespertino. Ele disse, que a experiência de acompanhar de perto a situação nos arredores da escola foi excelente e afirmou que todos precisam ter consciência da preservação do meio ambiente em geral.

“Esse trabalho foi o mais desenvolvido que a gente fez até agora. Temos muitos elementos da natureza, mas nosso maior tesouro é a água, por isso, é fundamental fazer esse esforço. Sem água não temos vida, e sem vida o ser humano morre. Muita gente do bairro não polui só os rios, mas a rua, porque o certo é jogar lixo no lixo, mas acabam jogando por onde todos andam”.

Moradora do bairro Santa Luzia, a funcionária pública Vera Lúcia, 42, disse que o trabalho dos alunos, de sair para verificar de perto o total descuidado com o ambiente escolar e da comunidade, é algo que merece o respeito e admiração de todos.

“Essa semente a gente só vai ver o resultado no futuro, porque aqui nós temos uma lixeira ociosa em frente a escola,  problema do desperdício da água da própria comunidade. Enfim,  é importante que os alunos, que são moradores da comunidade, visitem casa em casa e conversem com os próprios pais para futuramente evitar esse desperdício.”, salientou.

 

Texto: Paulo Rogério Veiga

Fotos: Divulgação Escola

 

Secretaria Municipal de Educação (Semed)

Assessoria de Comunicação

(92) 3632-2054