30/09/15 | 16:20
Escola Municipal Francisca Pereira realiza boas práticas pedagógicas para melhorar índice do IDEB

IMG_0002Realizar simulado quinzenal, seminários todas as sextas-feiras com professores nas disciplinas de Português, Matemática, Ciências, História e Geografia foram às medidas adotadas como práticas pedagógicas na Escola Municipal Francisca Pereira de Araújo, localizada no bairro Parque das Nações, zona Norte de Manaus, para ampliar a pontuação no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

A unidade escolar saltou de 3,3 para 4,3 na última avaliação Ideb. Embora a pontuação esteja acima da média das escolas da rede, a gestão da unidade escolar pretende voos ainda maiores de 6.0.

IMG_0071De acordo com o gestor, Antônio Genivaldo Lacerda, os 1,2 mil alunos do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental e da Educação de Jovens e Adultos (EJA) dos três turnos participam das atividades realizadas pelos professores em todas as disciplinas, mas com foco prioritário para as aplicadas no prova Brasil.

“Desde 2014, a escola vem realizando uma série de atividades objetivando melhorar os resultados dos alunos na prova Brasil. Entre essas boas práticas, nós podemos considerar a questão do simulado quinzenal. Na sexta-feira, os professores realizam seminário. Com isso, o aluno trabalha seu raciocínio, o pensar e se habitua a fazer esse tipo de prova”, destaca.

Para Lacerda, a unidade escolar vai de encontro à recomendação do governo federal, no qual cita que as escolas que realizam simulados com mais frequência, alcançam mais facilmente seus resultados na prova Brasil.

IMG_0035“Os alunos vêm se preparando e estudando. Os professores vêm estimulando, oferecendo conteúdo e aulas diversificadas, já comprovado com retorno significativo para as escolas. A gente consegue perceber isso nas provas da Avaliação de Desempenho Escolar (ADE) realizado pela Semed. No final dos simulados, os resultados têm sido o esperado”, salienta ao destacar que os professores realizam aulas práticas no telecentro, em salas interativas, conversamos com os alunos e com a participação dos pais.

Dinâmica

Na Escola Municipal Francisca Pereira de Araújo, o professor de cada disciplina realiza uma atividade pedagógica diferente para dinamizar o aprendizado dos alunos. Por exemplo, em matemática, considerada uma das mais temidas pela comunidade escolar, a professora Márcia Porto divide os estudantes em grupos no refeitório. Como uma ajuda, a educadora seleciona uma aluna líder de boa nota na avaliação da ADE para ajudar os outros estudantes.

IMG_0083“A gente viu resultados positivos em relação à prova da ADE do primeiro bimestre, assim como, do segundo bimestre, onde já percebemos uma melhora bem acentuada. Temos observado em nossos simulados uma ascensão dos alunos, porque não podemos aplicar qualquer avaliação para eles, mas sim de um nível bem elevado. Uma prova simples é muito fácil, pois nosso nível na escola está muito avançado”, diz Lacerda.

Conforme o gestor, os alunos que tiram nota baixa fazem um reforço no contra turno estudar. “Claro, que ninguém quer isso, por isso, há um esforço, ou seja, os alunos que ficavam lá embaixo se dedicam para tirar boas notas. O bom disso é que os alunos com facilidade de aprender matemática, já começam a ajudar com seus colegas, orientando-os”, complenta.

Estudantes monitores auxiliam colegas

Com uma nota de 8,17 na prova da ADE da Semed aplicada no mês de junho, a aluna do 9º ano Emily Luane Moreira Massoly, 16, é uma das líderes dos grupos de trabalhos da disciplina de matemática. Para ela, é bom auxiliar os outros colegas com dificuldades na matéria.

“A nossa professora passa uma atividade e explica para todos. Aquele aluno que sabe mais ajuda os outros colegas que não sabem muito, dentro de cada grupo. A gente entende, resolve e tenta repassar aos demais. Se alguém com dificuldade perguntar algo que não entendeu, a gente procura explicar”, relata ao destacar que toda vez que vai se preparar para alguma área, é feito vários simulados.

O professor de ciências Cláudio Vieira de Almeida, que trabalha com cinco turmas e cerca de 200 alunos do 6ª ao 9º ano do turno matutino, diz que procura sempre fazer algo inusitado para aguçar a criatividade e despertar o interesse dos alunos por determinado assunto. Segundo ele, uma das atividades que passou em sala de aula, de forma prática, caiu em uma das questões da ADE, que foi sobre indução e outra sobre o carbono, que não deixa passar energia elétrica.

“É fundamental que eles compreendam que estão estudando para que possam responder seja na ADE, prova Brasil, vestibular, concurso público. Enfim, esse é o sentido das boas práticas e das aulas práticas. O aluno não fica só no caderno vendo uma foto ou ilustração, mas pratica a atividade e o conteúdo”, sintetiza.

Texto: Paulo Rogério
Foto: Lton Santos

Assessoria de Comunicação

Secretaria Municipal de Educação (Semed)

(92) 3632-2054