16/05/16 | 16:00
Educadores do município participam de formação para atuar no Censo Escolar da Educação Básica

Encontro estadual e formaçãodo Censo Escolar da educação básica. EE. Petrónio Portela. Fotos Cleomir (37)Educadores da rede municipal de ensino participam, durante toda esta semana, do Encontro Estadual e Formação do Censo Escolar da Educação Básica 2016, que iniciou nesta segunda-feira, 16, no auditório da Escola Estadual Petrônio Portela, bairro Dom Pedro I, zona Oeste. 

O objetivo do evento é capacitar os profissionais da educação que atuarão na coleta dos dados do Censo Escolar da Educação Básica deste ano. Já a formação será de dois meses e ocorrerá a distância, pela plataforma “mobile”. Durante a qualificação, os educadores terão permissão específica de cada aluno, professor, turma e escola do país, tanto das redes públicas (federal, estaduais e municipais), bem como a rede privada, por meio o uso do sistema Educacenso. 

Encontro estadual e formaçãodo Censo Escolar da educação básica. EE. Petrónio Portela. Fotos Cleomir (41)O titular da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Rossieli Soares da Silva, afirmou que o encontro é fundamental para todos que vão trabalhar com Censo Escolar terem acesso aos dados da rede pública e privada. Segundo ele, a parceria com a Secretaria Municipal de Ensino (Semed) será fundamental para alcançar a meta. 

“Toda política pública que é definida para rede municipal e estadual tem que partir de dados. Cada vez mais esses dados são mais apurados. E a cada ano, o Censo Escolar apura com mais qualidade. O trabalho do Censo está igual ao do médico, ou seja, sem o diagnóstico, não existe tratamento. É fundamental que todos tenham ciência disso e que cada participante ajude a chegar ao secretário de educação de cada um de seus municípios essas informações”, comentou. 

Encontro estadual e formaçãodo Censo Escolar da educação básica. EE. Petrónio Portela. Fotos Cleomir (53)De acordo com a secretária da Semed, Katia Shcweickardt, a preocupação do município é justamente garantir as informações e os dados corretos para que o processo de ensino aprendizagem seja garantido aos alunos das escolas municipais, mesmo num momento de crise. “Pelo Censo Escolar conseguimos planejar e buscar verbas e parcerias, sobretudo, ter o retrato do nosso desafio e do nosso potencial”, destacou. 

Pra Kátia, Manaus está sempre à disposição para colaborar com os municípios do interior. “Agradecemos pela parceria sempre da Semed e Seduc. Que os participantes conduzam com correção e firmeza a elaboração do Censo desse ano, porque será fundamental para nós conduzirmos nossa política educacional nos próximos dois anos, onde a crise está longe de esfriar”, salientou. 

A chefe da Divisão de Informação e Estatística da Semed, Eliete Queiroz Carvalho, destacou a importância do evento e da formação para os educadores do município, que estão participando para ter mais conhecimento sobre o Censo Escolar. 

“Com esses dados temos a visão de todos os alunos que estudam na Semed e em todo Brasil e em qual escola cada um desses alunos estão. A partir dessa formação, vamos verificar todos os campos que o MEC (Ministério da Educação) incluiu, ou seja, o que tinha em 2015 e foi incluído para esse ano. Vamos poder orientar as escolas para evitar inconsistências na migração dos dados do Sigeam para o Educacenso”, disse. 

Eliete também fez um alerta aos responsáveis pelas unidades do município para que a escola não deixe de informar os número exato de alunos que estejam estudando. “Porque senão haverá prejuízo financeiro para a secretaria, porque não vamos receber recursos por esse aluno. A partir do momento que está estudando e não é informado, não teremos como informar se foi aprovado, reprovado ou abandonou a escola”, explicou.

Formação em Brasília

Eliete disse ainda que a coordenação estadual do Censo Escolar foi a Brasília receber todo treinamento, verificar alterações, pois todo ano é incluída alguma informação. “O Censo é um dado muito importante, onde fazemos todos os anos. Enquanto, o IBGE realiza de 10 em 10 anos.  A partir daqui, vamos orientar nossas escolas, mas nesse primeiro momento sobre a matrícula inicial”, informou.

De acordo com ela, esse trabalho inicia na própria escola, porque a unidade de ensino é responsável por alimentar os dados do Sigeam. A Semed verifica as inconsistências, depois repassa para as escolas para refazer as incorreções. Ela revelou que já tem no Sigeam relatórios que auxiliam analisar as inconsistências.

“Se há algum problema na Gestão Integrada de Educação (Gide) posso verificar os dados que preciso corrigir. A partir daí se verifica, por exemplo, se falta à certidão de nascimento, entre outros. Na escola se inicia o processo, a estatística da Semed faz toda consistência, depois migra para o MEC. Em seguida, fica aberto para a escola visualizar seus dados e fechar”, orientou.

No Dia Nacional do Censo Escolar da Educação Básica, que será comemorado no dia 25 de maio, todas as escolas precisarão coletar os seus dados de matrícula, condição para informar oficialmente, no Censo Escolar 2016, o contingente de alunos regularmente matriculados e que estão frequentando a escola no ano corrente.

 

Texto: Paulo Rogério

Fotos: Cleomir Santos

 

Secretaria Municipal de Educação (Semed)
Assessoria de Comunicação
(92) 3632-2054