22/09/14 | 11:31
DDZ Leste 2 realiza segunda etapa da Feira de Ciências

Com o tema “Oportunizando a alfabetização cientifica na rede Municipal de Ensino de Manaus” a Divisão Distrital Zonal Leste 2 (DDZ 6) realizou a II etapa da sua feira de ciências.  O evento aconteceu na tarde desta sexta-feira, 19, na Escola Municipal Tarsília do Amaral, localizada no Bairro João Paulo II, zona Leste da cidade, envolvendo, alunos e educadores da Divisão e da Secretaria Municipal de Educação (Semed).

Atividade envolveu 8 unidades educacionais, 10 projetos e mais  de 300 alunos. Deste total de estudantes, 30 participaram diretamente da atividade, apresentando seus respectivos projetos, sob a coordenação de seus professores orientadores.

“Ação tem o objetivo de promover desafios aos estudantes da Educação Infantil, do Ensino Fundamental de 1º ao 9º ano, da Educação de Jovens e Adultos e do Ensino especial, estimulando a conhecer o mundo cientifico”, explicou a gerente de administração da DDZ 6, Graciete Camargo.

Trabalhos

Os trabalhos estavam sendo apresentado em 10 salas de aulas. Os alunos e seus professores usaram diversos recursos para atrair quem prestigiava o momento. Banners e cartazes com textos e frases objetivas foram os meios utilizados para apresentar os assuntos abordados pelos trabalhos. Os Pequenos Insetos, Utilidades das Plantas, Trabalhando os 3 Rs (reduzir, reaproveitar e reciclar), Alimentação Saudável e Trânsito – mobilidade urbana e seus desafios, foram alguns dos assuntos abordados na feira de ciências.

A Escola Municipal Maria Ferreira trabalhou com a temática “Reaproveitamento da água da chuva”. A professora responsável pela turma que apresentou o assunto, Lucimara Duque, mencionou que a escolha do assunto se deu ao grande transtorno que famílias da zona Leste sofreram em junho deste ano, quando uma  balsa colidiu com um dos pilares de sustentação e parte da viga  de uma adutora do Programa Água para Manaus (Proama), prejudicando o abastecimento de água para diversos  bairros situados na zona Leste da cidade.

“Quando decidimos que este tema seria o ideal traçamos diretrizes, metas e depois passamos a colher informações sobre mesmo por meio de pesquisas realizadas em livros, jornais, revistas e internet . O nosso objetivo, com isso, foi apresentar aos nossos alunos uma forma inteligente de reaproveitar a água em suas casas em um período de caos que eles e suas famílias estavam passando”, declarou a professora.

Já a Escola Municipal Cleonice Fernandes demonstrou como uma horta escolar pode contribuir para que alunos tenham uma alimentação saborosa e saudável e como ela pode ser útil para evitar o desperdício de alimentos nas escolas, trazendo o tema ‘Meio Ambiente: Compostagem Orgânico’. O assunto trabalhado é fruto de um projeto que já existe na escola, disse a professora da educação especial da unidade, Kátia Correa.

“Este tema, na verdade, é fruto de um trabalho que já existe na escola há algum tempo. O desenvolvemos porque percebemos que poderíamos reaproveitar restos de comida, como cascas de banana e outros alimentos como adubos e, principalmente, como alimentos que poderíamos agregar na merenda escolar da unidade, tornando as refeições de nossos alunos mais saborosas. Além disso, percebemos também que podíamos diminuir a poluição no meio ambiente, tornando restos de alimentos, que antes eram desperdiçados, em produtos reaproveitados, disse a educadora.

Aprendizado

A Escola Municpal Ednir Teles, trouxe para feira uma estratégia para diminuir o uso da água potável em residências. A temática explorada foi o aproveitamento da água dos condicionadores de ar e pluvial para fins não potáveis. A ideia da unidade escolar era demonstrar que é possível diminuir o uso da água potável reaproveitando o líquido que sai de aparelhos condicionadores de ar para lavar, calcadas, pátios, banheiros e para lavar carros, por exemplo. A aluna Letícia Vitória, do 6º ano, destacou que gestos simples são fundamentais para reduzir o consumo de água.

“Em simples gestos e conscientes como fechar torneiras ao terminar de usá-las, não deixar a torneira aberta quando lavamos louças, diminuir o tempo que levemos para tomar banho, dentre outras coisas certamente iria minimizar bastante a quantidade de água que gastamos em nosso dia a dia”, mencionou Leticia.

No fim da feira foram entregues troféus a cinco unidades que participaram da atividade e divulgados os projetos escolhidos por professores, pedagogos, especialistas e mestres avaliadores da Semed que participarão da 3ª etapa Feiras da Ciências, que será dia 14 de outubro, na Divisão de Desenvolvimento Profissional do Magistério (DDPM), que reunirá escolas de todas as DDZs da secretaria.

TEXTO: Emerson Felipe

FOTOS: Cleomir Santos

 

Secretaria Municipal de Educação (SEmed)

Assessoria de Comunicação

(92) 3632-2054