24/08/15 | 9:00
Cultura Afro Brasileira é trabalhada com professores da Semed em curso a distância

IMG_0101Cerca de 200 educadores da Secretaria Municipal de Educação (Semed) participarão até o dia 3 de outubro do curso de História e Cultura Afro Brasileira: África, Africanidade e Racismo no Brasil. Para marcar o início da atividade foi realizada neste sábado,22, a aula inaugural no auditório da Semed. O curso que pretende ampliar os conhecimentos acerca do ensino de História e cultura afro brasileira e africana está sendo oferecido na modalidade a distância, em parceria com editora positivo.

“O objetivo do curso é aprofundar a lei 10.639/2003, que torna obrigatório o ensino da história e cultura afro-brasileira e africana em todas as escolas públicas e, sobretudo, municiar os nossos educadores de conhecimento, suporte pedagógico para que seja trabalhado temas relativos ao Ensino de História e Cultura Africana e afro Brasileira em sala de aula”, explicou a assessora de Diversidade da Semed, Lídia Helena.

IMG_0112A formação terá carga horária de 40 horas e será dividida em três módulos. Durante as aulas online, os alunos terão o contato direto com os professores pelo www.e-formacaoeditorapositivo.com.br, onde terão acesso ao conteúdo programático do curso, para possíveis esclarecimentos ou dúvidas.

Para Jussinildo de Oliveira, professor de Ensino Religioso da Escola Municipal São Benedito, o conhecimento adquirido ao longo do curso dará suporte para intensificar o trabalho que realiza com alunos do 6º ao 9º ano sobre a diversidade.

“Em minha escola, trabalho com alunos dos anos finais do Ensino Fundamental temas inerentes a cultura afro-brasileira, a partir da confecção de cartazes que apresentam a temática afro, de livros que abordam história e contos da África, na biblioteca e no telecentro da unidade e em sala de aula. Em face a este trabalho, percebo a grandeza desta atividade, porque a partir dela vejo um meio de aprimorar o conhecimento acerca da diversidade, obter novas metodologias de ensino, técnicas a serem abordadas em sala e também de esclarecer algumas dúvidas. Por isso, a agradeço a Semed pela iniciativa”, destacou o educador.

IMG_0052Abertura
A cerimônia de abertura contou com representantes das secretarias estaduais de Educação (Seduc), Justiça e Direitos Humanos e Cidadania (Sejuc) e de movimentos sociais.

No decorrer do evento, alunos de intercâmbio da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), vindos de países como Guiné, Senegal e Guiné-Bissau fizeram um desfile, demostrando a suas respectivas culturas.

Além disso, houve mesa redonda com as autoridades e convidados, exposição da cultura afro brasileira com roda de capoeira apresentada pelo grupo Gingado, mostrando especifidades da cultural brasileira que mistura arte marcial, esporte, cultura popular e música.

Palestra
IMG_0065O ápice da aula inaugural foi a palestra proferida pelo professor e assessor da positivo, Walfrido de Olivera Junior. Dentre os assuntos discutidos pelo educador estava as diretrizes nacionais, aspectos e especificidades destas diretrizes, o uso delas no cotidiano e considerações a respeito da temática central do curso.

De acordo com o palestrante, a iniciativa da Semed em oportunizar uma discussão sobre a cultura afro dará a oportunidade dos educadores fazerem uma reflexão sobre a sua prática docente e se tornarem multiplicadores do conhecimento que absorverem.

“O primeiro ponto que este curso propõe é uma análise sobre as diretrizes nacionais em vigência que tratam a questão da cultura afro e sobre como o educador está trabalhando esta temática com seus alunos. Vejo que esta iniciativa trará um impacto positivo na educação pública em Manaus, porque dará subsídios pedagógicos aos educadores e os tornará replicadores e reprodutores das discussões a respeito a importância do negro, do afro descendente e aspectos ligados a cultura e religiosidade afro brasileira e, consequentemente, a respeito destas manifestações culturais e religiosas. Desta forma o professor vai sentir mais preparado para levar o conhecimento sobre a discussão”, salientou.

Texto: Emerson Felipe
Foto: Lton Santos

Assessoria de Comunicação

Secretaria Municipal de Educação (Semed)

(92) 3632-2054