09/09/15 | 13:00
Bibliotecários participam de formação sobre livro digital

Curso Livro Digital GTE DDPM. Fotos Cleomir (1)Proporcionar uma leitura interativa na qual o livro se transforme em uma ferramenta atraente é uma das atribuições do bibliotecário escolar. Para qualificar este processo, cerca de 30 profissionais da área participaram nesta quarta-feira, 9, na Gerência de Tecnologia Educacional (GTE), localizada na Divisão de Desenvolvimento Profissional do Magistério (DDPM), no Parque Dez, zona Centro-Sul, de uma formação para aprenderem a digitalizar as obras e transformá-las em animações e vídeos com o intuito de atrair a atenção dos estudantes.

De acordo com o formador da GTE, Manoel Peçanha, o processo pode ser feito por meio dos programas PowerPoint e Impress, disponíveis nos computadores das bibliotecas das escolas municipais. Ele explicou que esta ferramenta proporciona que mais alunos tenham acesso às publicações, já que uma vez digitalizadas, podem ser compartilhas pela internet e pendrive.

“As bibliotecas têm em seus acervos diversos livros, mas poucos deles têm mais de uma unidade. A intenção é digitalizar esses livros e colocá-los para leitura virtual. O professor pode levar para sala de aula e fazer a leitura no data show, no computador. Vamos formar uma biblioteca virtual dentro da escola. Eles estão aprendendo a colocar imagens e gifs em textos, porque isso chama a atenção dos alunos”, explicou.

Curso Livro Digital GTE DDPM. Fotos Cleomir (5)A coordenadora das bibliotecas escolares da Semed, Silene Lima, acredita que a formação vai propiciar mais uma alternativa de leitura para os alunos. Segundo ela, o objetivo do curso é oferecer aos bibliotecários a utilização em outros recursos que não seja apenas o impresso.

“Então, essa formação vai ser de grande contribuição para as escolas porque vai chamar mais a atenção das crianças, dos alunos e também proporcionar a interatividade com os recursos tecnológicos. É uma forma de atrair o aluno. Há quem pense que a biblioteca só trabalha com o recurso do livro, mas existe uma infinidade de recursos que contribuem para o processo de ensino e aprendizagem”, observou.

Uma realidade

Bibliotecária da Escola Municipal Alberto Makarem há dois anos, Karina Costa contou que já utiliza o recurso com os alunos, mas que agora está aprimorando as técnicas. Para ela, o livro de papel sempre será realidade em uma unidade de ensino, mas os digitais estão ganhando seu espaço e precisam ser aproveitados.

Curso Livro Digital GTE DDPM. Fotos Cleomir (9)“Eu acho muito importante porque as crianças gostam muito dessas coisas visuais. Eu mesma já trabalhava assim na escola, procurei coisas na internet e cheguei a fazer atividades. É bem mais atrativo para eles do que a leitura oralmente. Nós, como bibliotecários, temos essa afeição pelo livro de papel. Acho que ele nunca será substituído, mas, com certeza, o livro digital vai ter um grande espaço e vai ajudar o impresso”, afirmou.

Com um acervo pequeno na Escola Hahnemann Bacelar, a bibliotecária Cibele Menezes ficou atenta ao curso. Ela explicou que quer digitalizar as obras existentes na biblioteca e disponibilizar para todos os alunos.

“Eu sou a favor da facilidade da tecnologia na biblioteca levando em conta que não temos um acervo suficiente para todos os alunos. Então, podemos utilizar esse mecanismo e duplicar o acervo que existe lá. Estou achando essa formação muito válida”, disse.

Texto: Thiago Botelho
Fotos: Cleomir Santos

Secretaria Municipal de Educação (Semed)

Assessoria de Comunicação

(92) 3632-2054