25/07/22 | 16:21
Assessores do Cemasp participam de palestra sobre TDAH

Para intensificar as ações de atendimento aos alunos com Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH), os assessores dos Centros Municipais de Atendimento Sociopsicopedagógico (Cemasp), da Prefeitura de Manaus, participaram nesta segunda-feira, 25/7, da palestra com o tema ‘Atualização em TDAH’. O encontro aconteceu no auditório da Secretaria Municipal de Educação (Semed), localizado na avenida Mário Ypiranga, no bairro Parque 10, zona Centro-Sul.

“Crianças com TDAH têm sido cada vez mais frequente nas nossas escolas. Nosso papel é orientar a família e os professores em como lidar com o aluno e com a ausência desse conhecimento, que pode prejudicar o domínio do professor em sala de aula e, consequentemente, a aprendizagem dos estudantes. Essa palestra traz ferramentas para o assessor e ele vai poder orientar o professor a lidar com a criança diagnosticada”, explicou o coordenador do Cemasp Leste 2, Nasson Nascimento.

As palestras foram divididas em módulos. O primeiro foi ministrado pelo neurologista doutor Francisco Tussolini, que falou sobre a conduta das famílias e professores com crianças com TDAH. O segundo módulo ficou por conta da nutricionista doutora Lucilene Portela, que abordou a influência da alimentação no diagnóstico do Transtorno.

Para Tussolini, o pós-pandemia da Covid-19 aumentou a necessidade de dialogar com professores e familiares sobre como lidar com crianças com TDAH. “Nossa ideia é conversar com os professores e mostrar como lidar com criança com TDAH. É claro que esses profissionais já sabem, mas nunca é demais aprender. É importante que eles tenham habilidades e saibam lidar com as mães, isso ficou mais evidente agora no pós-pandemia, essa relação família, aluno e escola”, destacou o doutor.

Já Lucilene, mostrou como a má alimentação pode interferir na questão do Transtorno. “A alimentação mudou muito. Hoje as pessoas consomem muita comida industrializada, que tem corante, conservante e aditivos químicos. Diferente da alimentação dos nossos pais e avós, que comiam mais frutas e verduras, tudo muito mais natural, ricos em vitaminas e minerais. A má alimentação influencia diretamente no comprometimento cognitivo e desatenção”, afirmou a nutricionista.

A dona de casa, Larissa Vasconcelos, mãe do aluno Vinícius Vasconcelos Redman, 12, fez questão de participar da palestra. Para ela é um privilégio ter essas orientações e receber dicas de como tratar o filho.

“Meu filho ainda não tem um diagnóstico fechado, mas tudo leva a crer que ele tem TDAH, e tudo o que eu puder fazer para entender o meu filho, eu vou fazer. Por isso, me sinto privilegiada em estar aqui ouvindo dicas de dois médicos importantes. Eu fiz questão de participar desse momento”, reforçou a mãe.

Cemasp

A Semed possui setes Cemasps, um em cada zona da cidade. Os centros realizam o trabalho preventivo de combate à evasão escolar com uma equipe multidisciplinar com pedagogos, psicólogos, fonoaudiólogos, psicopedagogos e assistentes sociais que realizam atendimentos individuais e em grupos, assessoramentos às escolas, palestras, visitas domiciliares e orientação familiar. Além desse atendimento, os centros também são responsáveis por encaminhamentos de estudantes com dificuldades fonoaudiólogas e TDAH.

Texto – Érica Marinho/ Semed

Fotos – Eliton Santos / Semed