27/08/14 | 16:00
Alunos mostram como usar o vídeo game para superar o sedentarismo

Alunos do 8º ano da Escola Municipal Dom Jackson Damasceno, no Valparaíso, zona Leste, apresentaram o projeto ‘Exergame’ para mostrar o quanto os jovens estão sedentários, durante a Feira de Ciências da escola. Sob orientação do professor de educação física Rodrigo Souza, eles deixaram de lado os joistiques e, com os movimentos do corpo, praticaram vôlei, boxe e corrida por meio da plataforma do vídeo game XBox 360 Kinect.

 

“Eu não sabia que poderia usar o vídeo game pra me exercitar. Conheci quando o professor deu a ideia de fazermos o projeto. Como faço parte da equipe, me senti obrigado a dar exemplo e desde o início, há uns meses atrás, comecei me exercitar. Quando comecei pesava 85 quilos. Hoje, estou na faixa dos 73 quilos. Uma brincadeira que tem ajudado na minha saúde”, afirmou o aluno Ian Maciel.

 

Segundo o professor Rodrigo Souza, a ideia do Exergame é não somente divertir, mas unir entretenimento e atividade física. O projeto está sendo avaliado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) por meio do Projeto Ciência na Escola (PCE) e pode receber incentivos para ser expandido.

 

“Nosso trabalho é investigar a intensidade dos exercícios com a utilização dos jogos virtuais. Nós selecionamos dez alunos para servirem como base do nosso estudo. Durante 50 minutos eles praticaram exercícios com o jogo e nós aferimos a frequência cardíaca e pressão arterial deles. Assim vamos ter como calcular o gasto calórico deles após a realização da atividade”, explicou o professor afirmando ainda que os jogos chamam a atenção dos jovens.

 

“Os jogos trazem uma atratividade para os adolescentes. Eles vêm um jogo e querem brincar. Só que diferente desses jogos comuns, nós temos um jogo com movimento. Então eles vão praticar exercícios e se divertindo. A ideia é tirá-los do sedentarismo”, concluiu.

 

Alimentação saudável

 

Como forma de complemento a pratica de exercícios físicos, a outra turma do 8º ano, abordou o tema alimentação saudável, onde apresentou os alimentos que o corpo humano precisa para ter um bom desenvolvimento. Uma das equipes apresentou os tipos de distúrbios alimentares mais frequentes, como: anorexia, bulimia e compulsão alimentar.

 

Débora Ferreira, 14, conta que antes de estudar para a apresentação da feira de ciências, desconhecia os males relacionados à alimentação. O que mais chamou a atenção da aluna foi a compulsão alimentar.

 

“Eu até me identifiquei um pouco com isso. Muitas vezes comia sem ter vontade, só por comer mesmo, já que, era algo gostoso. Entendi que o compulsivo alimentar é como um alcoólatra. Eles são viciados em comida. É muito impressionante isso. Descobri vários casos. Parece que quanto mais comem, com mais fome ficam”, observou.

 

TEXTO: THIAGO BOTELHO

FOTOS: CLEOMR SANTOS