30/10/17 | 13:41
Alunos do Ensino Fundamental e EJA da Semed realizam exposição de trabalhos científicos

Alunos das Escolas Municipais Vicente de Paula, no bairro Japiim, zona Sul de Manaus, Madre Tereza de Calcutá, Nova Floresta e Antônia Borges de Sá, São José 2, ambas na zona Leste, apresentaram, nesta segunda-feira, 30/10, no Espaço da Cidadania Ambiental (Ecam), localizado no Mezanino do Manauara Shopping, os trabalhos científicos desenvolvidos no Programa Ciência na Escola (PCE), realizado pela Secretaria Municipal de Educação (Semed) em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam).

O programa busca apoiar a participação de professores e estudantes da Educação Básica e de Jovens e Adultos (EJA), em projetos de pesquisa, desenvolvidos nas escolas públicas municipais de Manaus. O programa também atua em unidades de ensino estaduais na capital e interior.

Cada escola participou da exposição com cinco alunos, do 6º e 8º ano do Ensino Fundamental e apresentaram trabalhos com temas variados  como ‘Empreendedor Jovens: Artesanato Sustentável’, ‘Brincando com Geografia e Pré- Diagnóstico da Hipertensão Arterial’. Neste último, os alunos da EJA 5º fase aferiram a pressão dos visitantes.

De acordo com o coordenador do programa na Semed, Romualdo Caetano, 27 escolas municipais participam do projeto, com a exposição dos trabalhos realizada nas próprias unidades de ensino. Caetano destaca, ainda, que a participação do aluno na atividade, com criação e elaboração de projetos científicos é uma preparação para uma futura vida acadêmica.

“Os alunos que desenvolvem projetos científicos vivenciam outro dinamismo. Eles desenvolvem um processo intelectual e apresentação de trabalho. Esse estudante vai entrar no Ensino Médio preparado e, consequentemente, entrará na faculdade com facilidade”, ressaltou.

Os alunos do 6º ano da escola Vicente de Paula utilizaram o material que seria jogado lixo para produzir jogos pedagógicos para o ensino de Geografia. Para aluna Nayandra Maciel, 11 anos, a atividade foi uma forma de trabalhar em grupo, confeccionando produtos artesanais, transformando em material de decoração e jogos pedagógicos. “Nós recolhemos esse material dentro de casa e nas ruas. Tudo isso ia ser jogado no lixo e transformamos em objetos de decoração. Com isso, contribuímos com a preservação da natureza, além do nosso ensino”, explicou.

Na escola Madre Tereza de Calcutá, o tema Pré- Diagnóstico da Hipertensão Arterial, surgiu depois de se verificar que muitos alunos e funcionários apresentavam problemas de pressão. A escola, então, decidiu prestar o serviço à comunidade escolar. O professor da turma de EJA, Arthur Castro, falou sobre a aceitação dos alunos ao projeto.

“Trabalhar projetos científicos com a turma da EJA é muito mais fácil. Eles encaram a pesquisa de forma seria e levam para o lado profissional e o resultado é satisfatório”, comentou.

 

Texto: Érica Marinho

Fotos: Lton Santos

 

Secretaria Municipal de Educação (Semed)
Assessoria de Comunicação
(92) 3632-2054