17/05/11 | 17:18
Alunos do EMEF Vicente de Paula recebem consultas oftalmológicas

Como parte das ações do Programa Municipal Saúde do Escolar, a Secretaria Municipal de Educação (Semed) está oferecendo cinco mil consultas oftalmológicas e óculos para alunos que tenha problemas visuais diagnosticados.  Os atendimentos estão sendo realizados em escolas de todas as zonas da cidade. Nesta terça-feira (17), foram examinados 120 alunos da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Vicente de Paula, no Japiinlândia, Zona Sul de Manaus, e em unidades de ensino adjacentes.

A dona de casa Maria Raimunda dos Santos, mãe do aluno Leandro, 12, do 7º ano, conta que seu filho vinha reclamando de dores nos olhos. Ela percebeu que ele estava com problemas visuais, mas que pagar um tratamento oftalmológico não daria em seu orçamento.

“Agradeço à Prefeitura, pois eu não teria condições de pagar o tratamento. Esse programa de saúde na escola vai melhorar muito a nossa vida. Meu filho fez o exame e agora vai pegar o óculos de graça”, comemorou.

Consultas

Uma das salas do Vicente de Paula se tornou em um consultório médico totalmente equipado com acessórios óticos necessários para a realização de uma consulta, como: auto-refrator, refrator e com a tabela de snellen, aquele quadro com letras e números de diversos tamanhos. Os médicos são funcionários da Fundação Piedade Cohen, que fez um convênio com a prefeitura para realizar os atendimentos.

Após passar pelo o exame, Leandro constatou aquilo que já tinha certeza: sofre de miopia e irá usar óculos com lentes de 0,50 graus em cada olho.

“Eu não conseguia estudar porque eu não estava conseguindo enxergar. Eu via tudo embaçado. Agora vai facilitar e vou melhorar minhas notas”, disse Leandro.

Em seguida o paciente escolheu a armação de sua preferência e vai receber, por conta de uma parceria da Semed com a Ótica São Paulo, seu óculos, na própria escola, em um prazo de 30 dias.

Triagem

A necessidade de cinco mil consultas e doações de óculos foi detectada por meio de uma triagem realizada nas escolas da prefeitura. O número foi levantado com a aplicação do teste de acuidade. Neste teste, que é feito pelo próprio professor, é utilizada uma escala optométrica, onde o aluno, a uma distancia de cinco metros, tem que visualizar letras contidas em uma tabela.

Cada letra tem uma escala que varia de 0,1 a 1,0, que é de forma crescente de acordo com que diminui o tamanho da letra. Os alunos que não atingem a nota mínima de 0,6 são automaticamente encaminhados para uma consulta médica.

“Fizemos este levantamento no início do ano e a partir dele chegamos ao número de cinco mil atendimentos. Cada consulta gera um gasto de R$ 34 reais”, explica a Chefe da Gerência de Atividades Complementares e Programas Especiais da Semed, Dicélia Almeida, que é responsável pelo Programa Saúde do Escolar.

O Programa estava desativado desde 2007 e por determinação do Secretário Mauro Lippi voltou a funcionar este ano.

Os atendimentos estão sendo feitos desde o último dia dois em escolas pólos localizadas em todas as zonas geográficas da cidade e no Instituto de Oftalmologia de Manaus. Já foram atendidos alunos das zonas Oeste e ontem foi dado início aos atendimentos na Zona Sul.