18/09/15 | 14:35
Alunos da rede municipal de ensino possuem nível alto em escrita, destaca avaliação

Fotos Rodemarques Abreu (1)Cinquenta por cento dos mais de 12 mil alunos do 3º ano do Ensino Fundamental da rede municipal de Educação, que realizaram a Avaliação Nacional da Alfabetização (ANA) no ano passado, estão com nível alto de escrita. O resultado significa que elas são capazes de produzir textos sem dificuldades e tiraram nota 4, em uma escala que vai até 5. Os dados foram divulgados, no final da tarde desta quinta-feira, 17, pelo Ministério da Educação (MEC).

A ANA é uma ferramenta utilizada pelo MEC para medir o nível de ensino e aprendizado nas escolas de educação básica no País. A prova foi realizada de 17 a 28 de novembro de 2014 e, em Manaus, 281 instituições municipais foram avaliadas. A prova continha 40 questões, sendo 20 de Língua Portuguesa – esta com três de produção de escrita e as demais de múltipla escolha – e 20 de Matemática.

No quesito escrita, os alunos são avaliados de forma crescente, em cinco níveis de conhecimento. Dos estudantes da rede municipal de ensino avaliados, 43,25% estão no nível 4; 26,3% no nível 2; 13,99% no nível 1; 10,29% no nível 3 e 6,16% no nível 5.

Fotos Rodemarques Abreu (2)A subsecretária de Gestão Educacional da Semed, Euzeni Trajano, credita o bom resultado obtido às ações do Pacto Nacional de Alfabetização na Idade Certa (PNAIC) e às atividades do Semed em Movimento, que atuam dentro das unidades de ensino priorizando a alfabetização e letramento dos alunos.

“A perspectiva é que nós possamos consolidar essas ações e já temos visto o reflexo disso em sala de aula. Os professores estão engajados. É um processo que tem sido desenvolvido com o acompanhamento de formações, discussões internas e diversas outras ações. Essas iniciativas vão consolidar esses resultados cada vez mais de forma positiva na rede”, disse.

Contexto social

O MEC divulgou também o indicador de contexto social das escolas que participaram da ANA. Na Semed, 37,38% dos mais de 12 mil estudantes que realizaram a prova, integram famílias que recebem de um a dois salários mínimos, no mês, e os pais possuem somente o Ensino Fundamental incompleto. Mais 37,69% ganham a partir de dois salários mínimos.

Esses dados, segundo a chefe da Divisão de Avaliação e Monitoramento (DAM) da Semed, Núbia Breves, são importantes para entender a realidade das escolas. Ela afirma que foi verificado que quanto maior o índice educacional dos pais, mais altas são as notas dos alunos. Breves destacou, também, que essas informações servem como ‘bússola’ para guiar as ações da Semed.

“Foi criada essa avaliação para conhecermos o nível dos alunos em leitura, escrita e matemática. Um dado que me chamou atenção foram os questionários socioeconômicos. Às vezes não sabemos o porquê aquela escola esteve num nível baixo, mas quando começamos a ler os questionários socioeconômicos, entendemos que, de modo geral, os pais dos nossos alunos têm um nível de escolaridade baixo”, observou.

A chefe da DAM destacou, ainda, que pelo fato da ANA considerar aplicadores externos, trata-se de uma avaliação em larga escala que permite um trabalho mais profundo em cima dos dados apresentados. “Isso implica na Semed traçar políticas educacionais, focando na melhoria desses resultados”, concluiu.


Texto: Thiago Botelho
Fotos: Rodemarques Abreu

Secretaria Municipal de Educação (Semed)
Assessoria de Comunicação
(92) 3632-2054