16/03/20 | 17:37
Prefeito de Manaus antecipa recesso escolar e anuncia novas medidas de prevenção à Covid-19

Atento ao cenário mundial e adotando fortes medidas de prevenção à propagação do novo coronavírus em Manaus, o prefeito Arthur Virgílio Neto anunciou nesta segunda-feira, 16/3, a antecipação do recesso escolar da rede municipal de ensino, a partir desta terça-feira, 17, até o dia 31 de março. O primeiro caso de Covid-19 na capital do Amazonas foi confirmado na semana passada e, imediatamente, o prefeito estabeleceu ações preventivas de emergência, como antecipação da primeira parcela do 13º salário dos aposentados e pensionistas para o dia 24, uma vez que é o grupo mais vulnerável às complicações da doença.

Em entrevista coletiva na sede da Prefeitura de Manaus, Compensa, zona Oeste, Arthur defendeu que “por mais desagradáveis que sejam algumas medidas, estamos protegendo a nossa cidade”, disse, acrescentando que, no que depender dele, a capital amazonense será uma das primeiras cidades a se restabelecer da crise mundial causada pelo vírus. “Está na hora de salvar vidas, de fazermos o desagradável, para não sermos atingidos pelo desastroso”, afirmou.

Acompanhado da presidente do Fundo Manaus Solidária, a primeira-dama Elisabeth Valeiko Ribeiro, o prefeito orientou aos pais ou responsáveis por alunos que nesse período de recesso escolar as crianças e jovens fiquem em casa e evitem aglomerações.  “Temos um caso confirmado e nove em observação. Não há razão para pânico, mas, há razão para tomarmos os cuidados necessários. Não podemos determinar a suspensão das aulas nas escolas particulares, mas podemos recomendar que isso seja feito, como já foi adotado em algumas”, explicou.

Virgílio anunciou, ainda, a suspensão todos os eventos de massa que seriam realizados pela Prefeitura de Manaus nos próximos 30 dias, sejam de caráter cultural, esportivo ou religioso, estendendo a recomendação para os organizadores de eventos privados; a implantação do regime de home office para os mais de 3,3 mil servidores idosos do município, que vão receber suas tarefas semanais, trabalhar em casa e apresentar os resultados diariamente aos seus superiores imediatos. A exceção são os trabalhadores da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), que no atual momento trabalha integralmente com suas equipes, para conter o surgimento de novos casos de Covid-19, e da Casa Militar.

Outras medidas anunciadas foram a suspensão do recadastramento dos servidores ativos e inativos junto ao banco Bradesco, bem como a atualização cadastral de aposentados e pensionistas da Manaus Previdência, além da suspensão da emissão física da Carteira de Trabalho, mantendo apenas a emissão digital do documento.

 

Aulas

De forma prudente, pelos próximos 15 dias, estarão suspensas as aulas para mais de 244 mil alunos de 498 unidades da Secretaria Municipal de Educação (Semed), incluindo creches, ensino infantil e ensino fundamental. Próximo ao término dos 15 dias, haverá nova reunião para avaliar a necessidade de se prorrogar o prazo.

“Nós trabalhamos com muita serenidade e estamos orientando para que as crianças e os familiares não tomem essa paralisação como férias comuns. Não é o momento de ficar passeando, se expondo, mesmo não havendo caso de mortalidade em crianças e adolescentes, que é nosso público, porém essa faixa etária e os adultos saudáveis são potenciais vetores para as pessoas que são portadoras de alguma comorbidade e também dos idosos”, reforçou a secretária da Semed, Kátia Schweickardt.

“É uma medida preventiva para que possamos evitar a propagação do novo coronavírus que, como todos já sabem, é um vírus altamente contagioso e se propaga de forma muito rápida e a principal medida agora é evitarmos as aglomerações”, finalizou o secretário da Semsa, Marcelo Magaldi.

 

Plano de contingência

Logo após a confirmação do primeiro caso de infestação pelo novo coronavírus em Manaus, várias medidas foram anunciadas pelo prefeito Arthur Virgílio Neto, entre elas a elaboração do decreto de Situação de Emergência, que deverá ser publicado no Diário Oficial do Município (DOM) dos próximos dias, para facilitar as tratativas com o Ministério da Saúde e demais ações necessárias para o enfrentamento da doença.

Ainda esta semana, o prefeito Arthur Virgílio Neto vai receber de seus assessores da área econômica um estudo dos possíveis impactos provocados pela pandemia do novo coronavírus e, junto a esse estudo, um elenco de medidas de contenção para fazer frente à crise que se avizinha. O estudo dos impactos econômicos foi pedido do prefeito na quinta-feira, 12, um dia antes de ser confirmado o primeiro caso de Covid-19 em Manaus.

“Vamos, inclusive, trabalhar uma reforma administrativa, para conter os gastos e nos preparar para enfrentar a crise. Mas, que fique bem explicado, os recursos para as obras deste ano não têm nada a ver com a queda da arrecadação e já estão assegurados”, garantiu o prefeito Arthur Neto. “A filosofia do meu governo é: se a arrecadação cai, o custeio tem que cair na mesma proporção”, afirmou. A expectativa prévia de quebra de receita é da ordem de R$ 400 milhões.

Caso

O primeiro caso confirmado em Manaus é de uma mulher de 39 anos, que veio de Londres, Inglaterra, no dia 11 e, no dia 12, procurou a rede de saúde privada. A unidade acionou as autoridades da vigilância epidemiológica municipal e estadual e, em 24 horas, o exame deu positivo para o Covid-19. A paciente está estável e sem febre, sendo monitorada em domicílio. Equipes de vigilância epidemiológica municipal e estadual monitoram pessoas que tiveram contato com a paciente.

 

Texto – Jacira Oliveira / Semcom

Foto – Alex Pazuello / Semcom

 

Secretaria Municipal de Educação (Semed)
Assessoria de Comunicação
(92) 3632-2054