04/09/19 | 17:24
Escola Municipal Pintor Leonardo da Vinci realiza 7ª edição da Feira de Ciências

A Escola Municipal Pintor Leonardo da Vinci, no bairro Nova Esperança, zona Centro-Sul de Manaus, realizou nesta quarta-feira, 04/09, a 7ª edição da Feira de Ciências com o tema ‘Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente’. A ação ocorreu como forma de comemorar o Dia da Amazônia, comemorado no dia 5 de setembro, junto com os 169 anos da elevação do Amazonas a categoria de província.

A feira foi aberta ao público e contemplou 150 alunos do 6º ao 9º ano. O projeto de destaque foi o das biojoias ou eco joias, como forma de empreendedorismo juvenil, as ações relacionadas a ele iniciaram na escola no segundo semestre deste ano. Os alunos pesquisadores que integram o projeto são as alunas Gabriele Oliveira, Ana Luiza Amorim e o aluno Gabriel  Santiago do 6º ano.

O projeto foi implementado na unidade por meio do ‘Programa Ciência na Escola’, que é desenvolvido pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) em parceria com a Secretaria Municipal de Educação (Semed). O objetivo é apoiar com recursos financeiros e bolsas estudantis alunos do 5º ao 9º ano do Ensino Fundamental integrados no desenvolvimento de projetos de pesquisas de escolas públicas.

A professora Ieda Maria Rocha, que está na escola há 10 anos, foi a responsável pela criação do projeto, que consiste em pesquisas sobre os principais artesãos da cidade, quais as sementes que podem ser utilizadas como matéria-prima para fazer as eco joias e os municípios que se sobressaem na produção das mesmas. Além da parte prática que é a confecção de cordões, brincos, pulseiras entre outros, todos com materiais ecológicos. Segundo a professora responsável esta é uma forma de mostrar aos alunos a importância da floresta.

“O Brasil todo é rodeado por um mundo natural, a civilização é tudo e os nossos jovens estão cada vez mais desconectados da natureza, eles não conseguem ver o quanto a Amazônia é importante e por isso é de extrema relevância ensinar aos alunos e mostrar para eles a importância da floresta, da preservação e da conservação. Para que saibam que quando você preserva a floresta, você consequentemente preserva a cultura dos povos tradicionais e existem diversas formas de aliar isso ao empreendedorismo”, completou a professora.

O Hino Nacional e do Amazonas abriram o evento como forma de homenagear ao Estado e a pátria. A diretora da escola comentou a importância da 7ª edição do evento. “A ciência está em todo lugar e a todo o momento, então as crianças têm que aprender a buscar a visão crítica do desafio, que é proporcionado pela pesquisa. Hoje, o nosso aluno precisa ter vontade de aumentar o seu conhecimento e através da ciências ele pode construir isso”, disse.

Uma das alunas selecionadas, Ana Luiza Amorim, também disse como gosta do projeto, principalmente a parte prática. “Nós pesquisamos quais sementes e de quais frutas podemos usar, fazemos produções de biojoias, aprendemos sobre o empreendedorismo juvenil, as formas econômicas de ganhar dinheiro, além de realizarmos pesquisas sobre a Amazônia”, completou.

Texto: Jéssica Salomão
Fotos: Eliton Santos