19/10/17 | 14:17
Escola municipal lança 1ª edição de Festival de Xadrez

Para estimular o raciocínio lógico-matemático e facilitar o aprendizado das operações matemáticas, a Escola Municipal Tereza Rosa Aguiar Abtibol, bairro São Francisco, zona Sul de Manaus, lançou na manhã desta quinta-feira, 19/10, o 1º Festival de Xadrez. A ação que tem como tema “O xadrez como forma de auxílio na aprendizagem da matemática, com o uso das tecnologias” seguirá até dezembro.

A atividade é direcionada aos 120 alunos dos 1º, 2º e 5º anos do Ensino Fundamental e será desenvolvida pelo próprio professor, nas aulas de matemática, exceto a turma do 5º ano, que terá aulas no intervalo de um turno para o outro com o coordenador do projeto.

Para continuar participando da ação, os estudantes devem alcançar notas acima da média, ser disciplinados, ter bom comportamento e demonstrar respeito aos professores e aos seus adversários. Partes dos tabuleiros do xadrez foram confeccionados pelos próprios alunos com auxílio do professor. A competição é disputada em cinco partidas e todos serão premiados com medalhas de ouro, prata e bronze.

O projeto é coordenado pelos professores Vivaldo Serafim e Ivina Bezerra, que desenvolvem há quatro meses a atividade com os alunos. Segundo Vivaldo, os alunos já demonstram mudança no comportamento e aprendizagem, com resultados significativos na turma do 5º ano, que subiu mais de 1 ponto na prova da Avalição de Desenvolvimento do Estudante (ADE), da Secretaria Municipal de Educação (Semed). “Os alunos modificaram o comportamento, estão mais gentis, percebem quando erram e buscam melhorar e isso nós percebemos com o resultado da ADE também”, comentou.

O aluno do 5° ano, Erivelson da Silva Junior, 11, conhece bem as regras do Xadrez e chama atenção do adversário que tentou movimentar o Bispo pulando uma peça. “Ele tentou pular a peça e não pode, o bispo se movimenta como se fosse um X e sempre nas casas de mesma cor que estava no início do jogo, e só pode ir para frente e para trás quantas casas quiser, mas não pode pular nenhuma outra peça”, explicou Erivelson.

Para a professora do 2º ano, Jussara Estaice Oliveira, o xadrez é uma forma prática de aprendizagem que envolve os alunos trabalhando o lado cognitivo, o lúdico e os alunos que antes tinham dificuldades em realizar operações simples matemáticas já conseguem resolver problemas complexos para idade. “É na sala de aula onde a gente vê a grande mudança dos alunos, a atenção melhorou e, com isso, eles conseguem entender problemas e operações que antes tinham grandes dificuldades. Com o Xadrez, o aluno entende que existe uma regra que deve ser seguida e a gente usa isso também para sala de aula”, comentou Jussara.

A gestora da escola, Libna Oliveira, destacou que a mudança no comportamento dos alunos é percebida nas horas em que todos os alunos estão juntos em determinados momentos como a hora da entrada, lanche e saída. “Agora, nós conseguimos reunir praticamente todos os alunos em única atividade de forma organizada com a participação de todos sem que haja algum incidente ou gritaria”, afirmou.

 

 

Texto e fotos: Érica Marinho/ Semed

 

Secretaria Municipal de Educação (Semed)
Assessoria de Comunicação
(92) 3632-2054