12/06/18 | 11:51
Escola da zona Leste realiza projeto de monitoria escolar em parceria com a 30ª Cicom

Mais de 80 estudantes da Escola Municipal Aribaldina de Lima Brito, localizada no Jorge Teixeira, iniciaram o Curso de Formação da Monitoria Escolar. O projeto é realizado em parceria com a 30ª Companhia Interativa Comunitária (30ª Cicom), da Polícia Militar (PM), e tem como objetivo desenvolver  a cultura de paz e o respeito mútuo, promover a prevenção às drogas e à violência e motivar os alunos e comunidade em geral em relação a vida escolar e a valorizar a educação como oportunidade para melhoria social

O projeto é desenvolvido na unidade desde 2017 e acontece aos sábados, com uma carga horária de 72 horas, que deve durar até agosto. Durante esse período, os estudantes terão acesso a disciplinas como  Noções de Direito Constitucional, Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), Meio Ambiente, Matemática, Redação, Prevenção ao Uso de Drogas, entre outros.

Esta parceria surgiu com a finalidade de melhorar o processo de ensino-aprendizagem dos alunos e aproximar a escola da família das crianças, que voluntariamente aderiram ao projeto. E para fazer parte dele, os estudantes participaram de uma seleção interna, onde foram verificadas questões como frequência, rendimento e participação no dia-a-dia da escola.

De acordo com a gestora da unidade, Telma Malheiros, a parceria surgiu de um diálogo entre a escola e a PM e, além da avaliação realizada em relação ao aluno, a participação da família também foi um critério de seleção.

“As famílias são muito importantes, tanto é que quando vamos começar um projeto desses fazemos uma reunião, em parceria com a Polícia, passamos as informações referentes ao projeto e os pais são bem participativos mesmo”.

Ela ainda acrescenta que, desde o início do projeto, em 2017, já foi possível notar uma diferença na atitude dos jovens, que passaram a respeitar mais ao próximo, melhorar o rendimento escolar e preservar o ambiente escolar.

“O maior legado desse projeto é que nossa escola não tem vandalismo como cadeiras quebradas, sem marcas nas paredes, o respeito com o ambiente é grande, a frequência é importante, e os estudantes procuram se envolver mais com o estudo e, no geral, com a vida escolar. É muito importante como eles abraçaram esse projeto e como eles mudaram em questão de educação”, finaliza.

 

Texto: Alexandre Abreu

Fotos: Divulgação/ Escola

 

Secretaria Municipal de Educação (Semed)

Assessoria de Comunicação

(92) 3632-2054