10/09/19 | 18:18
DDZ Leste I realiza Feira de Matemática com participação de 11 unidades de ensino

A Secretaria Municipal de Educação (Semed-Manaus) realizou nesta terça-feira, 10/09, a 2ª edição da Feira Amazonense de Matemática – Etapa Divisão Distrital Zonal (DDZ) Leste I, com o tema ‘Matemática aplicada e/ou inter-relação com outras disciplinas’. O evento foi realizado no auditório da Escola Municipal Aristóteles Comte de Alencar, bairro Armando Mendes. A programação contou com a participação de 11 unidades de ensino e um total de 33 alunos, sendo na categoria fundamental 1 (4º e 5º ano) e fundamental 2 (6º ao 9º ano) do Ensino Fundamental.

A 2ª Feira Amazonense de Matemática é coordenada pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam), em parceria com a Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Instituto Federal do Amazonas (Ifam), Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e Semed.

De acordo com o assessor interdisciplinar e coordenador de matemática da DDZ Leste I, Max Jonas Batista, cada escola realizou sua própria programação. Agora a divisão vai selecionar as unidades de ensino que vão participar da etapa estadual, em outubro. Para ele, a feira é uma forma de mostrar o trabalho pedagógico realizado nas escolas.

“Defino este momento de extrema importância, pois é a hora do professor, mas principalmente do aluno botar em prática tudo aquilo que é realizado em sala de aula. Também é importante para mostrar para comunidade, pais dos alunos e todos observarem que realmente os filhos estão aprendendo aquilo que é passado durante o ano”, disse.

A diretora Helen Araújo de Oliveira, da Escola Municipal Aristóteles Comte de Alencar, bairro Armando Mendes, participou com três projetos: ‘A matemática e a música’, ‘Matemática e a Educação Física com cálculo do IMC’ e ‘Educação Financeira’. Segundo a gestora, tudo é feito para que os 930 alunos da escola possam superar as dificuldades da disciplina.

“Acredito que a prática e os projetos melhoram o aprendizado dos alunos, desmistifica esse ‘bicho de sete cabeças’, pois eles entendem a aplicabilidade da disciplina no dia a dia, para que serve, tiram esse medo que todos tem da matemática. Os três projetos englobam qual a importância, não fica apenas teorizando sobre algo que vai aplicar”, explicou.

O aluno do 9º ano, Samuel Arouca da Silva, 15, da Escola Municipal Antonina Borges de Sá, bairro São José II, participou da programação com o projeto ‘A história da matemática brasileira’. Para ele, é sempre importante conhecer como tudo começou.

“Analisando de um modo geral é importante saber sobre a história da matemática e como criou essa origem em nosso país. Acho que é importante para meu conhecimento, bem como para as demais pessoas. A feira é uma forma de incentivar as pessoas a procurarem saber como tudo iniciou”, contou.

Texto: Paulo Rogério
Fotos: Divulgação