Archive for the ‘noticias’ Category

Projeto visa incentivar iniciativas nas escolas para a redução dos acidentes de trânsito

segunda-feira, setembro 1st, 2014

A Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), fechou parceria inédita no Amazonas com a Fundácion Mapfre para a implantação do projeto “Educação viária é vital” na rede municipal de ensino. A ideia é incentivar iniciativas inovadoras para a redução dos acidentes no trânsito.

Para dinamizar o projeto, aproximadamente 75 educadores da secretaria, entre pedagogos da rede municipal, assessores das Divisões Distritais Zonais (DDZs) e de departamentos da Semed estão participando da formação do projeto. A capacitação iniciou nesta segunda-feira, 1º, em tempo integral. A programação prossegue nesta terça-feira, 2, no período da manhã, na Divisão de Desenvolvimento Profissional do Magistério (DDPM).

A proposta do projeto é contribuir para a formação do cidadão e disseminar valores à sociedade, por meio de iniciativas inovadoras que visam à redução de acidentes no trânsito. Os educadores participantes da qualificação serão posteriormente os multiplicadores do programa na comunidade escolar e nas salas de aula.

“A formação na Semed vai colaborar ainda mais com a educação para o trânsito, trabalho que já existe dentro da secretaria. É algo inédito pela fundação Mapfre. Depois disso, os professores vão repassar o conteúdo aos alunos. Eles receberão um material para desenvolver o projeto”, concluiu o assessor pedagógico da Divisão de Ensino Fundamental (DEF) da Semed, André de Soledade.

A consultora de Educação no Trânsito da Fundação Mapfre, Marilia Ribeiro Souza, disse que o projeto já foi implantado na Bahia, Pernambuco, Santa Catarina, Minas Gerais, São Paulo, Acre, Pará, e agora chega a capital amazonense por meio da Semed.

“A ideia principal é que o professor incentive o alunado e que os projetos partam, realmente, dos estudantes. O educador, na verdade, é o mediador e a criança vai fazer o projeto acontecer. Os melhores projetos passarão por uma avaliação, sendo que apenas um deles será selecionado por capital”, disse. Ela afirmou, ainda, que o professor responsável pelo projeto escolhido de Manaus, fará uma apresentação em São Paulo, com tudo pago, no dia 12 de dezembro.

O Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Antônio Anastácio Cavalcante, localizado no Conjunto Castanheiras, zona Leste, já trabalha com a temática do trânsito com 480 alunos da escola, desenvolvendo o projeto “Amigos do trânsito”. Para a pedagoga, Noroney Ferreira da Silva, a formação é mais uma ferramenta pedagógica para lidar com o assunto e também uma oportunidade para a abertura de novos horizontes dentro do assunto.

“A diferença é que vamos envolver a formação do cidadão, trabalhando o caráter das crianças, principalmente sobre como se tornar um motorista responsável. É algo diferente porque antes visávamos à sinalização, o trânsito, e não focávamos a postura do cidadão. Vamos incluir em nosso projeto a ética, o respeito ao próximo e, agora, vamos trabalhar mais isso com os alunos.”, salientou.

Transversalizando o trânsito

No ano passado, a Semed realizou, em parceria com o Instituto Municipal de Engenhara e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans), o projeto “Transversalizando o trânsito”, envolvendo professores de 84 escolas da rede municipal de ensino.

Já este projeto, o “Educação viária é vital” será realizado em três etapas na rede municipal. A primeira com a formação dos educadores e a entrega do kit educacional, contendo os livros “Conhecendo o programa” e “Circulando pela escola”. A segunda fase será no próximo ano, com a formação “Circulando pelo bairro”. A última fase terá a temática “Circulando pela cidade”, em 2016.

 

 

TEXTO: Paulo Rogérgio Veiga

FOTOS: Lton Santos/Semed

 

Secretaria Municipal de Educação (Semed)

Assessoria de Comunicação

(92) 3632-2054

Corrida do Fogo Simbólico marca o início das comemorações da Semana da Pátria

segunda-feira, setembro 1st, 2014

Cerca de 200 alunos de escolas municipais e estaduais de Manaus participaram, na manhã desta segunda-feira, 1°, da Corrida do Fogo Simbólico, que marcou o início das comemorações da Semana da Pátria. O primeiro pelotão saiu de frente da Igreja Nossa Senhora do Sameiro, na Avenida Coronel Teixeira, Ponta Negra, zona Oeste de Manaus, e percorreu cerca de 5 km até o anfiteatro do Complexo Turístico Ponta Negra. 

 O ponto alto dos festejos da Elevação do Amazonas à Categoria de Província e da Independência do Brasil, cujas datas são no calendário dia 5 e 7 de setembro, respectivamente, será na próxima sexta-feira, 5, a partir das 17h, no Sambódromo, onde acontecerá o tradicional desfile cívico. A Secretaria Municipal de Educação (Semed) será representada por 600 alunos.

Cada Divisão Distrital Zonal (DDZ) terá um pelotão, além de fanfarras e porta-bandeiras. O diferencial, neste ano, será a participação de estudantes da educação infantil. Durante esta semana, as escolas do município promoverão desfiles cívicos nos bairros em que estão localizadas.

A Corrida

A Corrida do Fogo Simbólico percorreu a Avenida Coronel Teixeira, na Ponta Negra, chamando a atenção da população e estimulando o patriotismo dos brasileiros. Uma missa foi celebrada, por volta das 7h30, na intenção da paz no Estado e na nação. Em seguida,  pelotões com os alunos saíram de frente da Igreja Nossa Senhora do Sameiro em direção ao anfiteatro do complexo. Um grupo de soldados do exército participou da atividade e animou os presentes com seus cantos.

A Escola Municipal Fábio Lucena representou a Semed na corrida. O aluno Kelvin Serafim, 16, do 9º ano, carregou a tocha do fogo simbólico. Ele conta que é a primeira vez que participa dos festejos da semana da pátria e que ficou ansioso pelo momento.

“Eu quase não dormi esta noite. É um honra muito grande carregar a tocha. Foi bacana participar desse momento de patriotismo com os meus amigos”, disse, afirmando que na semana da independência do Brasil, seu desejo é mais paz e amor para a população.

“Se eu pudesse fazer um pedido nessa semana que comemoramos a independência do Brasil, pediria paz. Pediria que as pessoas que fazem coisas ruins não fizessem mais. Queria ver meu País sem a violência que existe hoje”, completou.

João Vitor Silva também suou a camisa na Corrida do Fogo Simbólico e gostou de participar do momento de patriotismo. “Corri com meus amigos e foi legal participar da semana da pátria. Um momento de patriotismo. É a primeira vez que participo e gostei muito. Pretendo participar mais vezes”, afirmou.

Na solenidade de abertura da Semana da Pátria, a subsecretária de Gestão Educacional da Semed, Ana Falcão, falou da importância do momento para os alunos da rede municipal de ensino.

“Participar deste momento é uma alegria muito grande, momento este também de resgate de valores, momento cívico e de solidariedade. Uma verdadeira festa de patriotismo. Lembrando, ainda, que nós vamos participar, no dia 5, do desfile escolar”.

Outra comemoração

Neste dia 1° de setembro, além marcar o início dos festejos da semana da pátria, é comemorado, também, o dia do profissional de Educação Física. O professor Ronaldo Antony, educador físico responsável por preparar fisicamente os alunos da Escola Municipal Fábio Lucena para a Corrida do Fogo, comentou sobre a coincidência das datas. 

“Hoje, dia 1° de setembro nós comemoramos o dia do profissional de Educação Física, uma conquista nossa e, graças a Deus, correu tudo bem. Um dia ensolarado, uma corrida boa, corri junto com os alunos, me divertindo e comemorando a semana da pátria, que é um momento histórico para nós brasileiros, além do dia do profissional de educação física. Então, é uma alegria dupla”, disse.

Texto: Thiago Botelho
Fotos: Cleomir Santos/Semed

Secretaria Municipal de Educação (Semed)

Assessoria de comunicação

(92) 3632-2054

 

 

Prefeitura inicia nova etapa do esquema vacinal contra o HPV

segunda-feira, setembro 1st, 2014

A Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), iniciou nesta segunda-feira, 1º, a nova etapa  da Campanha de Vacinação contra o Câncer do Colo do Útero, de combate ao HPV. Até o dia 30 de setembro, a Semsa pretende concluir a campanha iniciada em 2013, com a vacina contra HPV Bivalente, administrando a segunda e a terceira dose para adolescentes que iniciaram a vacinação no ano passado. Para a vacina HPV Bivalente, a meta é imunizar 2.733 adolescentes com a segunda dose e 9.336 com a terceira dose.

A Semsa também estará administrando a segunda dose da vacina Quadrivalente contra o HPV que entrou, em março de 2014, no calendário Nacional de Vacinação. O público-alvo são meninas de 11 a 13 anos, nascidas entre 1º de janeiro de 2001 e 31 de dezembro de 2003, com meta de vacinar 16.532 meninas com a segunda dose da vacina HPV Quadrivalente.  A terceira dose deverá ser aplicada depois de cinco anos, em março de 2019.

O secretário municipal de Saúde, Homero de Miranda Leão, explica que, assim como nas primeiras etapas das campanhas, a Semsa utilizará a estratégia de vacinação nas escolas. “A vacina não estará disponível nas Unidades de Saúde. As adolescentes serão vacinadas nas escolas e os pais devem ficar atentos para o cronograma de vacinação estabelecido para cada instituição de ensino, tanto das redes municipal e estadual, quanto da rede particular de ensino”.

A vacinação contra o HPV é uma das estratégias de combate ao câncer de colo de útero, que registra alta incidência e mortalidade na Região Norte, e é considerado um importante problema de saúde pública.  Embora tenha alta incidência, esse tipo de câncer apresenta forte potencial de prevenção e cura quando diagnosticado precocemente, o que pode ser feito por meio de consultas regulares ao ginecologista e a realização regular dos exames recomendados.

Maiores informações podem ser obtidas pelo telefone 0800-280-8280 ou pelo e-mail imunização.semsa@pmm.am.gov.br.

 

 

Reportagem: Eurivânia Galúcio

 

 

 

Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom)

(92) 3625 6908 / 3625 6921 / 3625 6844

Jaavas Kids oferece jogos adaptados para crianças

segunda-feira, setembro 1st, 2014

Cerca de 100 crianças entre 2 e 8 anos  participaram, no último sábado, 30, de atividades dos Jogos Adaptados André Vidal de Araújo (Jaavas) Kids, na Escola Municipal de Educação Especial André Vidal de Araújo, localizada na Rua da Penetração, bairro Parque 10, zona Centro-Sul.

Durante o Jaavas Kids, os inscritos participaram de jogos adaptados com bola ao cano, taco ao alvo, transporte de água, corrida sobre o banco sueco, condução de bola, atividades aquáticas na piscina, entre outros.

 

De acordo com a coordenadora do projeto, Shirley Amaral, a edição 2014 superou as expectativas. “Conseguimos reunir mais de 2 mil pessoas, e se formos juntar com as corridas, atingimos mais de 3 mil pessoas durante uma semana inteira. Isso sem contar a divulgação na imprensa, que chamou atenção da sociedade para a questão da pessoa com deficiência”, comentou.

 

Próximos eventos

Os próximos eventos do Jaavas acontecerão em novembro e dezembro deste ano. Uma das ações será uma mostra de dança, que reunirá alunos de escolas municipais, estaduais, e entidades que atendem pessoas com deficiência está marcada para o dia 7 de novembro. O local ainda não foi definido.

Já no dia 15 de dezembro, acontecerá o 1º Prêmio da Educação Especial, que premiará professores que se destacam com projetos voltados a educação especial dentro das escolas. As inscrições estarão abertas a partir do dia 15 de setembro até o final de outubro, no Complexo Municipal de Educação Especial André Vidal de Araújo, localizado na Rua da Penetração, bairro Parque 10, zona Centro-Sul.

 

Texto: Luana Carvalho

Fotos: Arquivo Jaavas

Cmei Hermann Gmeiner realiza o 6º Festival Cantigas de Rodas

segunda-feira, setembro 1st, 2014

Buscando resgatar a cultura popular infantil, o Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Hermann Gmeiner, localizado no bairro Alvorada, zona Oeste, realizou na tarde do último sábado, 30, o 6º Festival Cantigas de Rodas, com o tema ‘Manifestando a Cultura Popular’. O evento foi realizado no espaço da ONG Aldeia Infantil SOS Brasil, também no bairro Alvorada.

De acordo com a gestora da unidade, Zilene Maia Galvão, a festa reuniu cerca de 400 pessoas, contando com alunos, ex-alunos e comunitários. Ainda de acordo com a gestora, o festival é o encerramento do ‘Projeto Cantigas de Rodas – Resgatando a Cultura Infantil’, que é trabalhado desde o começo do ano com os alunos.

“Nós buscamos trazer a cultura das cantigas de rodas, que eram brincadas pelos pais deles, pelas pessoas mais velhas, resgatar a alegria de ser criança, pois percebemos que as crianças de hoje estão mais preocupadas com tecnologias, com as mídias que influenciam muito e perdem aquela essência das brincadeiras de rua, brincadeiras de grupos. Por isso, nós trabalhamos no dia a dia, com brincadeiras lúdicas, trabalhando a motricidade, deixando uma visão de infância para nossos alunos”, informou.

No festival, os alunos que têm entre 3 e 5 anos puderam apresentar tudo o que foi trabalhado em sala de aula com os professores. Ao todo, foram dez apresentações, como “Ciranda-Cirandinha”, “Linda Rosa Juvenil”, “Tororó”, “‘Não Atire o Pau no Gato”, versão adaptada, “Quadrilha”, “Carimbó”, entre outras. A novidade este ano, segundo a gestora, foi o Boi Curumim que, assim como as outras atividades, foi apresentado em forma de cantiga de roda.

“Todas as apresentações, apesar dos temas variados, foram trabalhadas como cantigas de rodas, pois esse era o nosso objetivo, aquela brincadeira de roda. Por isso, o Carimbó e o Boi também foram trabalhados desta forma. Além disso, o festival contou com exposição dos trabalhos e cartazes produzidos pelos alunos. Foi um sucesso nosso Festival”, relatou.

O 6º Festival de Cantigas de Rodas foi muito bem recebido pelos pais, que sempre participam de forma intensa, segundo Zilene Maia.

“Participaram tanto na confecção das roupas, quanto na compra de mesas. Mas o principal  mesmo é a presença deles na festa, apoiando os filhos e participando da escola. A comunidade apoiou nosso projeto e compareceu em peso”, destacou.

Os pais dos alunos conferiram, ainda, a escolha da Rainha e do Rei do Festival e participaram de vários sorteios com brindes diversos.

Cmei Graciliano Ramos

Na noite de sexta-feira, 29, foi realizado o Festival Folclórico do Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Graciliano Ramos, localizado no bairro Alvorada, na Zona Oeste.

De acordo com a gestora da unidade, Andrea Soares, os pais e a comunidade lotaram o espaço da escola para acompanhar as cinco apresentações dos alunos, que dançaram Carimbó, Quadrilha, entre outras danças. Os alunos apresentaram, também, o “Boi Cicinho Ramos”, destaque da escola.

 

 

TEXTO: João Pedro Figueiredo

FOTOS: Divulgação do CMEI Hermann Gmeiner

 

Secretaria Municipal de Educação (Semed)

Assessoria de Comunicação

(92) 3632-2054

Escola Municipal Cândido Honório apresenta danças em ritmos brasileiros e internacionais em festival folclórico

domingo, agosto 31st, 2014

Com o tema “O mundo na Amazônia: juntos em vários ritmos” a Escola Municipal Desembargador Cândido Honório, localizada na Alvorada, apresentou a cultura e  danças das cinco regiões brasileiras e de outros países, na tarde desta sexta-feira, 29. O evento contou com a presença dos comunitários e pais.

Mais de 900 alunos, do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental, apresentaram-se durante o evento. Juntos demonstraram as especificidades e curiosidades de 11 danças e ritmos. As danças apresentadas foram a Zumba de origem latina, criada na Colômbia na década de 90; o carimbó, considerado um gênero de dança indígena; as cantigas de rodas, tipicamente brasileiro e voltado às crianças que ficam em voltas de rodas e de mãos dadas.

Também foi apresentado o ritmo country, por meio da apresentação dos Cowboys da Amazônia e a dança Italiana, que fez com que o púbico presente aprendesse um pouco sobre vinda de italianos do norte da Itália  ao Brasil. Em seguida, foi encenada a quadrinha “Cândinhos na Roça”, inspirada na quadrilha cômica, onde os participantes se vestem como matutos ou caipiras.

Além dessas, foi apresentada a lenda da Iara, a dança Oriental,  a Tipiti, a Árabe, entre outras. A gestora da escola, Elisangela Brandão, explicou como a unidade se organizou para realizar o festival.

“Desde o início do ano, a escola está se organizando para realização do evento. Pensando na copa, decidimos apresentar a cultura e danças de todos os países que iriam participar do evento esportivo, mas depois amadurecemos a ideia e decidimos mostrar, também, um pouco da nossa cultura. E assim fizemos”, descreveu a gestora.

Para o aluno Lucas Ferreira, do 5º ano, a atividade não foi somente um festival folclórico, mas também uma forma de adquirir conhecimento. “Adorei todo o estudo e pesquisa que realizamos em sala de aula. Tenho certeza que jamais esquecerei o que aprendi”, falou o aluno.

Quem foi à festa pode degustar bolos, salgados e diversas outras iguarias. Para Isabel Ferreira da Silva, comunitária e mãe do aluno Adriel de Silva, o evento  foi um momento relevante para aproximar os pais e a escola

“Este momento também importante para que nós pais, pois dá a oportunidade de nos aproximarmos e participarmos das atividades que  a escola oferece. Estou achando o festival ótimo. Estão de parabéns”, declarou a mãe.

A pedagoga da escola, Diná Arouca,  explicou que o festival além  de propor um momento de entretenimento, contribui na formação acadêmica dos alunos, agregando conhecimentos acerca de outras culturas.

“Trabalhamos este festival de forma interdisciplinar na escola, ou seja, foi feito trabalho em sala de aula com nossos alunos, por meio de pesquisas e estudos demonstrando os costumes, crenças, hábitos de outros povos e demonstrado que eles poderiam trazer como contribuição para nossa cultura”.

No decorrer do evento, houve o desfile da rei e rainha do festival e ao final uma rifa de um  super rancho.

 

Texto: Emerson Felipe

Fotos: Cleomir Santos

 

Secretaria Municipal de Educação (Semed)

Assessoria de comunicação

(92) 3632-2054

 

Cmei Balbina Mestrinho promove 2º Feira Municipal de Ciências, Tecnologia e Educação Ambiental

sexta-feira, agosto 29th, 2014

A 2º Feira Municipal de Ciências, Tecnologia e Educação Ambiental do Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Balbina Mestrinho, localizado na Rua J, bairro São José 2, zona leste, reuniu cerca de 200 visitantes durante esta quinta-feira, 28.  Os tipos de energia renováveis e não renováveis foram  temas da feira.

As pesquisas foram realizadas para identificar o impacto do uso da energia no meio ambiente e no cotidiano da população. Segundo a gestora da unidade, Idalina Couto Weil, cerca de 130 estudantes da unidade participaram da feira de ciências.

“Foi um mês inteiro de planejamento. Toda a parte teórica e algumas partes práticas foram desenvolvidas na sala de aula. Os alunos apresentaram cartazes, maquetes e até filmes produzidos por eles mesmos, contando toda a história da energia elétrica”.

Nove salas temáticas foram apresentadas, sendo elas: a história da energia, energia hídrila ou hidráulica, energia solar, os brinquedos e a energia, a energia da biomassa, eólica, estática, química e o consumo consciente.

“Uma professora trabalhou o tema com uma turma no ano passado. O trabalho foi tão proveitoso que resolvemos expandir e usar o tema para toda a feira de ciências deste ano. O evento foi aberto para a comunidade em geral, pais e gestores de outras escolas”, completou Idalina.

 

Fotos: Divulgação

 

Secretaria Municipal de Educação (Semed)

Assessoria de Comunicação

(92)3632-2054

Alunos são premiados em concurso sobre a dengue e o tabagismo

sexta-feira, agosto 29th, 2014

Doze alunos de escolas da rede municipal de educação foram premiados, nesta sexta-feira, 29, na cerimônia de divulgação dos vencedores do IV Concurso sobre Dengue e do V Concurso sobre Tabagismo, lançados, no dia 30 de maio, pela Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa). A cerimônia foi no auditório da sede da Prefeitura de Manaus, na Avenida Brasil, Compensa 1.

O concurso premiou os três primeiros colocados nas categorias desenho e slogan, tanto em dengue, que teve 298 trabalhos inscritos, quanto em tabagismo, que recebeu a inscrição de 371 trabalhos.

O secretário municipal de Saúde, Homero de Miranda Leão, explica que os dois concursos são realizados anualmente e representam uma ação de saúde pública que é imprescindível no combate às doenças, envolvendo crianças e adolescentes, e integrando saúde e educação. “Não é possível mudar nada sem educação e conscientizar os estudantes é essencial na obtenção de sucesso das ações de saúde pública. Cada criança, que é incentivada a pensar sobre os problemas de saúde, acaba se tornando um agente multiplicador de informações dentro de casa e na própria comunidade”.

Os trabalhos premiados foram selecionados por uma banca avaliadora que teve a participação de membros da Fundação de Medicina Tropical (FMT/AM), do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), da Fundação Centro de Controle de Oncologia do Amazonas (Fcecon)  e da Liga Amazonense Contra o Câncer (LACC).

A pesquisadora Ilea Brandão, do Inpa, que participa do concurso há cinco anos, explica que a qualidade dos trabalhos selecionados nas escolas está melhorando a cada ano. “O concurso é importante por ser uma estratégia que modifica a ação das pessoas. Faz com que os alunos reflitam sobre o tema e observem o comportamento no seu entorno. Os trabalhos mostram que eles estão buscando as alternativas e expressam isso nos desenhos e slogans. Além disso, o número de trabalhos avaliados vem aumentando a cada edição do concurso, o que mostra a motivação dos professores em relação à atividade”.

Premiação

Todos os alunos foram premiados com certificados. Os terceiros colocados ganharam gravadores. Os alunos que ficaram em segundo lugar foram premiados com bicicletas. Já os primeiros colocados ganharam notebooks e troféus.

Uma das premiadas foi a estudante Ana Caroline dos Santos Melo, que venceu em primeiro lugar na categoria slogan do concurso sobre Tabagismo. “Aprendi que o tabagismo faz muito mal para a saúde, principalmente para o pulmão, e queria montar uma frase que ajudasse as pessoas a abandonar o tabagismo”, explicou.

Aluna do sexto ano da Escola Municipal Maria do Socorro Azevedo, no bairro Jorge Teixeira, Ana Caroline diz que recebeu informações sobre o Tabagismo na escola para formular o slogan vencedor: “Tabagismo é a droga que faz mal ao coração, muita gente usa e nem pensa no pulmão”.

Três alunos de uma mesma turma (4º ano C) da Escola Municipal Thomás Meireles venceram a categoria desenho.  A professora da sala, Soraya Freire, comentou sobre o trabalho realizado e se emocionou com a colocação dos alunos.  “Nosso objetivo é fazer com que as crianças desenvolvam competências e habilidade. Na realidade, o mais importante de tudo isso é a participação desses alunos e a satisfação que isso nos traz. Esse estímulo a produzir e o despertar para a questão social é muito importante porque enquanto não concebermos a educação no contexto da realidade social, fazendo esse link entre os problemas sociais e da escola, não corre a educação”.

Depois de trabalhar o tema dentro da sala de aula, o aluno Victor Israel Santos de Souza, 9, se inscreveu no concurso e ficou em segundo colocado na categoria de desenhos. “Eu desenhei um relógio pensando em algumas ações que podemos fazer para prevenir a dengue. Estudamos bastante o tema na escola e pedi ajuda dos meus pais para fazer o desenho. Eu não esperava ganhar, mas aí eu ganhei e estou muito feliz”, contou.

O slogan “A dengue está aí, vamos combater e não deixar ela agir”, da aluna Valcineide Souza da Silva, 11, da Escola Municipal Francisco Campos Corrêa, ficou em segundo lugar. “Eu mesma criei o slogan depois de ter participado de palestras sobre a dengue. Aprendi muitas coisas, principalmente os meios de prevenir”, comentou.

Confira a lista dos alunos vencedores:

Concurso ‘Dez Minutos contra a Dengue’

Desenho

1º Karoline da Silva Nogueira – Escola Municipal Thomás Meireles
2º Victor Israel Santos de Souza – Escola Municipal Thomás Meireles
3º Kayllan Lima de Lima – Escola Municipal Thomás Meireles

Slogan

1º Eric Dezincourt Serrão – Escola Municipal Vicente de Paula
2º Valdineide Souza da Silva – Escola Municipal Profª Francisca Campos Corrêa
3º Josielhe Souza Nascimento – Escola Municipal Profª Francisca Campos Corrêa

Concurso ‘Acenda a luz do seu coração e apague o cigarro da sua mão!’

Desenho

1º Kesia Kelly Neves Lemos – Escola Municipal Olga Gultmann Benário
2º Júlio César Guimarães Carvalho – Escola Municipal José Tavares de Macedo
3º Maria Isabela de Paiva Cavalcante – Escola Municipal Irmã Dulce

Slogan

1º Ana Caroline Melo – Escola Municipal Maria do Socorro Azevedo
2º Juliana Gomes Pereira – Escola Municipal Escola Municipal Profª Francisca Campos Corrêa
3º Stela Soares de Souza – Escola Municipal Profª Francisca Campos Corrêa

 

Reportagem: Eurivânia Galúcio/Semsa e Luana Carvalho/Semed

Fotos: José Nildo/Semsa

Disputas de atletismo do Jaavas reúnem mais de 500 pessoas com deficiências

sexta-feira, agosto 29th, 2014

Mais de 500 pessoas com deficiências participaram, na manhã desta sexta-feira, 29, das disputas de atletismo dos Jogos Adaptados André Vidal (Jaavas). A competição encerra neste sábado, 30, com atividades físicas voltadas para crianças de até cinco anos.

O Jaavas é uma realização da Prefeitura de Manaus, por meio das secretarias municipais de Educação (Semed) e Juventude, Esporte e Lazer (Semjel), em parceria com as secretarias de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Seped), da Educação (Seduc) e da Juventude, Desporto e Lazer (Sejel), além da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), outros órgãos públicos e entidades privadas.

Na pista olímpica da Ufam foram realizadas as corridas de 30, 50, 70, 100 e 200 metros livres, além do arremesso de pelota. Antes das provas, os participantes se concentraram em barracas montadas pelo Exército Brasileiro, parceiro na realização do Jaavas.

Enquanto fazia seu alongamento, Wesley Marcel, aluno do Complexo Municipal de Educação Especial André Vidal de Araújo, prometeu que ia vencer a competição de 100 metros e cumpriu a promessa. Ainda cansado da prova, ele afirmou ser quase um profissional. “Eu sou o melhor. Eu treino lá na rua da minha casa e eu disse que ia ganhar, não disse?”, comentou o campeão.

No evento havia espaço para todos. A única obrigação era se divertir.

Alefe Pereira, 20, tem deficiência física e intelectual, mas isso não foi empecilho para ele participar da corrida de 30 metros. A avó, Inocência Pereira, de 72 anos, empurrou a cadeira de rodas do neto durante o percurso.

“Tem cinco anos que ele estuda no André Vidal (complexo de educação especial) e eu sempre participo das atividades com ele. É importante participar, né? Eu adoro e ele também fica muito feliz. Ele era um menino que não tinha nada de movimento, mas depois que ele entrou na escola faz tudo, até dançar”, disse.

 

A alegria de participar do Jaavas foi tão grande que Inocência se inspirou e fez até um poema. “André Vidal de Araújo é uma escola muito popular. No Parque Dez é a melhor do lugar. Matricula nossos filhos, para nossos filhos estudar.

Ela é amazonense e a líder do lugar. Essa escola é muito boa, ela á muito elegante. Ela foi preparada para criança especial”, recitou.

Familiares entram no clima

A participação de pais e familiares no evento foi grande. A cada prova concluída, era uma festa. Clodoaldo Campos, pai do aluno Kayrton Campos, da Escola Municipal Hiran Caminha, comentou sobre a importância de incentivar o filho a praticar atividades esportivas.

 

“Nesse momento é muito importante acompanhá-lo. A escola está dando essa oportunidade dele participar de uma competição esportiva, então a presença do pai torna-se essencial. Eu vim filmar para marcar e mostrar para ele no futuro que é importante o esporte e a gente tem que incentivar”, afirmou.

Dever cumprido

Segundo a coordenadora do Jaavas, Shirley Amaral, a sensação mesmo antes do término dos jogos é de dever cumprido. Ela lembrou que, este ano, o evento cresceu, reunindo mais de dois mil participantes de 33 escolas, além de pessoas do município de Iranduba.

“Foi cansativo, mas ótimo. Nós conseguimos alcançar nosso objetivo que era fazer o evento crescer. Estimulamos a sociabilização.

Aqui eles estão mostrando para gente que podem praticar esportes, que têm competência para isso”, destacou.

 

TEXTO: THIAGO BOTELHO

FOTOS: LTON SANTOS

Feira de Ciências de escolas municipais abordam temas pedagógicos

sexta-feira, agosto 29th, 2014

Os Centros Municipais de Educação Infantil (Cmeis) Maria do Céu, Abelhinha e Maria da Fé Xerex Souza Anzoategui realizaram suas Feiras de Ciência nesta sexta-feira, 29.

“Minha identidade, nossa diversidade” foi o Cmei Maria do Céu, Conjunto Ajuricaba, bairro Alvorada, zona Oeste. A unidade participa da 2ª Feira de Municipal de Ciências, Tecnologia e Educação Ambiental, competição definida pela Semed para premiar os projetos desenvolvidos pelos alunos.

Duzentos e quarenta estudantes participaram da feira, com apoio dos professores, que desde abril fizeram várias atividades com a comunidade escolar. Na oportunidade, dentro da área de ciências, as crianças aprenderam sobre a formação do povo brasileiro, tendo como a inclusão o branco, o negro e o índio.

 

“A principal meta alcançada pelas crianças foi conhecer as raízes que formam o povo brasileiro. Abordamos a discriminação, o racismo, o bullying, e tudo que acontece com essa raça. Os alunos tiveram contato com os brinquedos, as brincadeiras, as bonecas e todo tipo de material, que inclua o negro e indígena. A sociedade tem visto e trabalhado com os direitos humanos, desmitificando assim, que o negro só pode ser visto em posições inferiores e não em posições sociais maiores”, comentou a professora e autora do projeto, Marinês Batista Malta.

 

Cmei Abelhinha

O resultado de 30 dias de intenso trabalho dos 466 alunos do Cmei Abelhinha, bairro Coroado, zona Leste, foi apresentado na feira que abordou o tema “Brincando também se aprende”.

A escola também participa da competição que premiará os melhores projetos apresentados pelos alunos. A unidade de ensino mostrou a importância dos jogos para o desenvolvimento integral das crianças na educação infantil.

 

Segundo a diretora da escola, os alunos fizeram a construção e confecção dos jogos matemáticos da feira, atuaram como expositores aos visitantes, sem contar com a participação dos pais na ornamentação e confecção das salas de aula.

 

“O principal de tudo é que a criança aprenda, tanto o conceito, quanto os jogos em si e suas regras. Os alunos confeccionaram o material para devida apresentação na feira, depois disso, foi desenvolvido a oralidade deles de como se expressar, principalmente com as pessoas da comunidade na visitação da feira.”, comentou.

Para a professora Maria do Perpétuo Socorro, as crianças tiveram a oportunidade de assimilar a matemática de uma forma prazerosa, com alegria e com vontade de quebrar a barreira de vencer o medo da disciplina.

 

“Nós trabalhamos o jogo da amarelinha, que é muito antigo, tem muitas regras, onde as regras orientam a criança na questão da função social. A criança aprende a fazer aquilo que pode e o que não pode. A regra traz isso, e outra coisa importante do jogo é o aspecto cognitivo, em que a criança trabalha cores, formas geométricas, letras, numerais de uma maneira divertida.”, concluiu.

 

Cmei Maria da Fé Xerex Souza Anzoategui

 

Quatrocentos e oitenta alunos do Cmei Maria da Fé Xerex Souza Anzoategui, no Riacho Doce 3, zona Norte, participaram nesta sexta-feira, 29, da Feira de Ciências, com tema “Compartilhando conhecimentos”.

 

Dentro da temática, as crianças tiveram a oportunidade de aprender quatro  subtemas importantes: frutas da Amazônia, plantas medicinais, brinquedos e brincadeiras e instrumentos musicais.

 

De acordo com a diretora da escola, Patrícia Dallagnese, os alunos se divertiram muito com as apresentações de dança, teatro e desfile, dentro do tema abordado na feira.

 

“Eles viram na forma prática de como trabalhar com a ciência, mas principalmente conhecendo as frutas da Amazônia, as plantas medicinais da região, além de confeccionar os brinquedos com material reciclado de garrafas de refrigerantes, copinhos descartáveis e outros materiais. Eles também confeccionaram os próprios instrumentos musicais na sala de aula, o que mostra a evolução deles na escola.”, explicou.

 

TEXTO: Paulo Rogério Veiga

FOTOS: Divulgação escola