Archive for the ‘noticias’ Category

Feira de Ciências de escolas municipais abordam temas pedagógicos

sexta-feira, agosto 29th, 2014

Os Centros Municipais de Educação Infantil (Cmeis) Maria do Céu, Abelhinha e Maria da Fé Xerex Souza Anzoategui realizaram suas Feiras de Ciência nesta sexta-feira, 29.

“Minha identidade, nossa diversidade” foi o Cmei Maria do Céu, Conjunto Ajuricaba, bairro Alvorada, zona Oeste. A unidade participa da 2ª Feira de Municipal de Ciências, Tecnologia e Educação Ambiental, competição definida pela Semed para premiar os projetos desenvolvidos pelos alunos.

Duzentos e quarenta estudantes participaram da feira, com apoio dos professores, que desde abril fizeram várias atividades com a comunidade escolar. Na oportunidade, dentro da área de ciências, as crianças aprenderam sobre a formação do povo brasileiro, tendo como a inclusão o branco, o negro e o índio.

 

“A principal meta alcançada pelas crianças foi conhecer as raízes que formam o povo brasileiro. Abordamos a discriminação, o racismo, o bullying, e tudo que acontece com essa raça. Os alunos tiveram contato com os brinquedos, as brincadeiras, as bonecas e todo tipo de material, que inclua o negro e indígena. A sociedade tem visto e trabalhado com os direitos humanos, desmitificando assim, que o negro só pode ser visto em posições inferiores e não em posições sociais maiores”, comentou a professora e autora do projeto, Marinês Batista Malta.

 

Cmei Abelhinha

O resultado de 30 dias de intenso trabalho dos 466 alunos do Cmei Abelhinha, bairro Coroado, zona Leste, foi apresentado na feira que abordou o tema “Brincando também se aprende”.

A escola também participa da competição que premiará os melhores projetos apresentados pelos alunos. A unidade de ensino mostrou a importância dos jogos para o desenvolvimento integral das crianças na educação infantil.

 

Segundo a diretora da escola, os alunos fizeram a construção e confecção dos jogos matemáticos da feira, atuaram como expositores aos visitantes, sem contar com a participação dos pais na ornamentação e confecção das salas de aula.

 

“O principal de tudo é que a criança aprenda, tanto o conceito, quanto os jogos em si e suas regras. Os alunos confeccionaram o material para devida apresentação na feira, depois disso, foi desenvolvido a oralidade deles de como se expressar, principalmente com as pessoas da comunidade na visitação da feira.”, comentou.

Para a professora Maria do Perpétuo Socorro, as crianças tiveram a oportunidade de assimilar a matemática de uma forma prazerosa, com alegria e com vontade de quebrar a barreira de vencer o medo da disciplina.

 

“Nós trabalhamos o jogo da amarelinha, que é muito antigo, tem muitas regras, onde as regras orientam a criança na questão da função social. A criança aprende a fazer aquilo que pode e o que não pode. A regra traz isso, e outra coisa importante do jogo é o aspecto cognitivo, em que a criança trabalha cores, formas geométricas, letras, numerais de uma maneira divertida.”, concluiu.

 

Cmei Maria da Fé Xerex Souza Anzoategui

 

Quatrocentos e oitenta alunos do Cmei Maria da Fé Xerex Souza Anzoategui, no Riacho Doce 3, zona Norte, participaram nesta sexta-feira, 29, da Feira de Ciências, com tema “Compartilhando conhecimentos”.

 

Dentro da temática, as crianças tiveram a oportunidade de aprender quatro  subtemas importantes: frutas da Amazônia, plantas medicinais, brinquedos e brincadeiras e instrumentos musicais.

 

De acordo com a diretora da escola, Patrícia Dallagnese, os alunos se divertiram muito com as apresentações de dança, teatro e desfile, dentro do tema abordado na feira.

 

“Eles viram na forma prática de como trabalhar com a ciência, mas principalmente conhecendo as frutas da Amazônia, as plantas medicinais da região, além de confeccionar os brinquedos com material reciclado de garrafas de refrigerantes, copinhos descartáveis e outros materiais. Eles também confeccionaram os próprios instrumentos musicais na sala de aula, o que mostra a evolução deles na escola.”, explicou.

 

TEXTO: Paulo Rogério Veiga

FOTOS: Divulgação escola

Semed realiza 1ª Mostra de Bibliotecas Escolares da DDZ Sul

sexta-feira, agosto 29th, 2014

Trabalhos de alunos de 35 escolas municipais da Divisão Distrital Zonal (DDZ) Sul foram expostos nesta sexta-feira, 29, durante a 1ª Mostra das Bibliotecas Escolares. O evento, realizado pela Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), ocorreu no Parque Municipal do Mindu, localizado no bairro Parque 10, zona Centro-Sul.

Todos os trabalhos da exposição, que teve como tema “Da Biblioteca Para o Mundo da Leitura”, foram produzidos pelos alunos nas bibliotecas das escolas, orientados pelos bibliotecários que trabalham nas unidades de ensino, como destacou a chefe da DDZ Sul, Gernia Santos.

“Essa mostra tem como objetivo dar ênfase à valorização das bibliotecas, que é um dos projetos da Semed. Dentro dessa perspectiva, desse olhar, nós decidimos fazer este evento, pois temos trabalhos maravilhosos nas nossas escolas. A biblioteca faz parte do contexto da escola e é mais uma ferramenta no processo de aprendizagem dos nossos alunos. Precisamos trazer para fora dos muros das escolas, para que a comunidade possa conhecer o trabalho dos nossos bibliotecários, com o apoio da DDZ e da Semed”, informou.

A professora Valda de Souza, da Escola Municipal Ana Mota Braga, levou seus alunos do 3º ano para conferir a Mostra e aprovou os trabalhos.

“Fomos convidados, viemos prestigiar este evento maravilhoso. Infelizmente ainda tem escola que não põe em prática o trabalho das bibliotecas e eventos como estes mostram o que de bom pode ser feito nesse espaço, para que não seja apenas um depósito e sim um lugar de novo conhecimento para os alunos”, relatou.

Rainaira Moreira, 9, informou que gosta de ir até a biblioteca de sua escola para ler gibis e escrever. “Gosto de ir até a biblioteca da minha escola gosto dos gibis e de escrever”.

Com suas obras literárias utilizadas em várias escolas da rede municipal de ensino, a professora e escritora Ana Peixoto visitou a mostra e aproveitou para fazer a doação de um audiolivro, com historias infantis contadas por ela. A obra é voltada para pessoa com deficiência visual.

“Essa Mostra é o fruto de todo trabalho, de todas as professoras que trabalham com crianças, é um trabalho do dia a dia, para despertar o interesse pela leitura e esse interesse leva esses alunos a querer escrever. Para ler você precisa motivar e para escrever você precisa treinar, e é isso que esses profissionais fazem, eles motivam os alunos. Muito boa essa iniciativa e aproveitei para doar um exemplar do mau audiolivre, que pode ser reproduzido gratuitamente pelas escolas, principalmente as que trabalham com alunos deficientes visuais”, informou.

A 1ª Mostra das Bibliotecas Escolares contou ainda com a palestra do professor Raimundo Martins, que falou aos alunos da Semed e aos universitários do curso de Biblioteconomia da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) sobre a importância da biblioteca e sobre a prática social.

Texto e Fotos: João Pedro Figueiredo

Secretaria Municipal de Educação (Semed)

Assessoria de Comunicação

(92)3632-2054

Seis modalidades são disputadas durante 2ª edição dos Jogos do Ensino Noturno nesta quinta-feira

sexta-feira, agosto 29th, 2014

Diversas modalidades de esportes foram disputadas por alunos que estudam em escolas municipais, situadas na zona Norte da cidade, na noite desta quinta-feira, 28, na quadra poliesportiva da Escola Municipal Presidente João Goulart, localizada no Bairro Santa Etelvina. Cerca de 100 alunos participaram da atividade.

 

O evento esportivo faz parte da 2ª edição dos Jogos do Ensino Noturno,  realizado pela Secretaria Municipal de Educação (Semed), desde agosto deste ano, com disputas entre escolas da mesma divisão distrital.

 

Os jogos acontecem em todas as escolas da Semed e são destinados aos alunos do 6º ao 9º e do Ensino de Jovens e Adultos (EJA). Este ano os jogos estão envolvendo cerca de 1, 6 alunos, em seis modalidades: tênis de mesa, dominó, futsal, queimada, vôlei e lance livre na cesta.

 

O coordenador da atividade e assessor de educação física da Semed, Zacarias Lopes, destacou que além de promover a prática do desporto e diminuição no índice da evasão escolar no ensino noturno, o JEN tem a finalidade de ser um instrumento capaz de formar cidadãos.

 

“Além de tornar o ambiente mais atrativo para aluno, este evento possibilita que alunos saiam do seu ambiente escolar, socializando-se com outras pessoas e, com isso, trabalhem sentimentos e valores importantes como: Respeito e o amor ao próximo”, enfatizou Zacarias.

 

“Adorei em saber que iria participar de atividade fora de sala de aula, onde eu poderia conhecer outras pessoas e fazer uma coisa que adoro que é praticar esporte. Espero que tenha novamente ano que vem”, a aluna do 9º ano da Escola Antônio Moraes, Cleide Souza.

 

Já Roselene Gomes, aluna do 1º segmento do EJA da Escola João Goulart, mencionou porque a prática do esporte traz aos alunos ensino noturno. “Toda e qualquer atividade diferente é importante para alunos do ensino noturno. O esporte principalmente. Ele revigora e nos dá animo”, falou a Roselene.

 

A pedagoga da unidade, Elisiane Souza de Andrade, destacou que o JEN pode ser encarado como uma ferramenta pedagógica no combate a evasão escolar

 

“O alunado do noturno é um público diferenciado. Geralmente são pessoas que passam o dia trabalhando e depois vem para escola, são pessoas desestimuladas  e que precisam ser motivadas com ações e projetos como esse”, explicou a pedagoga.

A partir da próxima semana, a atividade acontecerá nas Divisões Leste 1 , 2 e 7.

 

TEXTO: Emerson Felipe

FOTOS: Cleomir Santos

Secretaria Municipal de Educação (Semed)
Assessoria de Comunicação
(92) 3632-2054

Manaus sedia encontro sobre a alimentação escolar

quinta-feira, agosto 28th, 2014

Para garantir alimentação nutritiva e de qualidade aos alunos da rede pública municipal de ensino, a Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), sediou nesta quinta-feira, 28, o 9º Encontro Técnico de Conselheiros de Alimentação Escolar 2014.

O evento, promovido pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), contou com a participação de gestores, nutricionistas e membros do Conselho de Alimentação Escolar (CAE) de diversos municípios do Amazonas e foi realizado no auditório da Divisão de Desenvolvimento Profissional do Magistério (DDPM), localizado na Rua Maceió, no bairro Parque 10, zona Centro-Sul.

Representante do FNDE, Renata Mainenti, explicou sobre a importância da Compra da Agricultura Familiar no Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e da participação dos conselheiros, gestores e nutricionistas.

“O objetivo das formações é a troca de experiências. Elas são voltadas para os conselheiros que têm um papel importante no PNAE em todas suas etapas. Por isso, aproveitamos esse momento para chamar os gestores e nutricionistas e fazermos esse debate, essa conversa, visando fortalecer a execução do PNAE. É importante a presença de todos os envolvidos na alimentação escolar”, informou.

O encontro contou, ainda, com palestras de representantes do Tribunal de Contas da União (TCU) e do Ministério Público do Estado (MPE).

Durante o evento foram abordados temas como Planejamento de Cardápio, Alimentação Indígena, Controle de Qualidade, Agricultura Familiar, Vigilância Sanitária e Nutrição.

Nutricionista no município de Caapiranga, Renata Alexandre destacou que o encontro é uma forma a mais de conhecimento para os que trabalham com a alimentação escolar.

“É uma forma de se aprimorar mais, ter mais conhecimento, saber das novidades da alimentação escolar. Por isso, acho de extrema importância esses encontros. Acho que a alimentação é um setor que tem que ser dado uma atenção maior”, opinou.

Para o gerente de Controle de Qualidade da Alimentação Escolar da Semed, Leís Batista, sediar o encontro é uma forma que a secretaria tem de discutir os temas sobre a alimentação e ao mesmo tempo avaliar as ações referentes a merenda da rede municipal de educação.

“Ter a oportunidade de discutir propostas de melhorias, de como trabalhar de forma mais eficiente o recurso público, poder nos adequar às reivindicações do Tribunal de Contas, às novas legislações, novas demandas do Ministério Público, além de extrair o que eles vêm trazer de novidade nas aplicações de recursos. É importante porque nos dar a oportunidade de discutir, nos avaliarmos e ao mesmo tempo para melhorar a nossa atividade como executores do Plano Nacional de Alimentação Escolar”, informou.

 

Texto: João Pedro Figueiredo

Fotos: Lton Santos

 

Secretaria Municipal de Educação (Semed)

Assessoria de Comunicação

(92) 3632-2054

Mais de 1 mil alunos participaram de Feira de Ciências nesta quinta-feira

quinta-feira, agosto 28th, 2014

Alunos da Escola Municipal Irmã Dulce estão promovendo ações de educação ambiental, no bairro São Francisco, zona Sul. Nos últimos meses, eles fizeram uma campanha para recolher materiais recicláveis e com eles estão construindo brinquedos. O trabalho foi apresentando nesta quinta-feira, 28, durante a Feira de Ciências da escola.

Um dos alunos, Gabriel de Oliveira, 10, do 5º ano, teve a ideia de fazer carrinhos com garrafas pet e lixo eletrônico. A ideia foi compartilhada com os colegas Fabrício e Herivelton. Juntos, eles construíram carrinhos de controle remoto feito com brinquedos eletrônicos quebrados. A invenção foi tão criativa, que a professora deles, Glaucia Florêncio, decidiu inscrever o projeto na competição de feira de ciências que as Divisões Distritais Zonais (DDZs) estão promovendo nas escolas.

Segundo Glaucia, os próprios estudantes pesquisaram sobre o tema e confeccionaram os brinquedos. Para dar um aspecto pedagógico à diversão, o carrinho tem na garupa as letras do alfabeto, sílabas e numerais. Ao mesmo tempo em que as crianças brincam, têm contato com as letras.
“Ela é uma carreta multiuso. Ela tem um formato de um caminhão e dentro dele vêm as letras, sílabas e numerais. A ideia é fazer com que o brinquedo atraia o aluno que a professora quer trabalhar e dali ela faz o desafio de unir as letras e formar palavras. Tem uma função lúdica e pedagógica”, explicou.

Gabriel contou que desde mais novo ajuda o tio, que é eletricista, a consertar objetos e que gosta de criar brinquedos em casa. Quando viu vários materiais recicláveis na escola, teve a ideia de construir o carrinho de controle remoto.
“Eu peguei uma placa de carrinho de controle remoto que não pegava, consertei e fiz a parte elétrica. Meus colegas montaram o carro com as garrafas pet, aí só fiz colocar a roda e fiz a ligação da placa com o controle. Foi fácil”, disse.

Cmei Dúlceia Tinoco

As quase 500 crianças do Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Dulcineia Tinoco, participaram na manhã desta quinta-feira, 28, da Feira de Ciências da Unidade de Ensino. As turmas foram divididas em dois temas: brinquedo de sucata, que abordou a questão ambiental e a reutilização dos resíduos sólidos; e a germinação do feijão, onde as crianças aprenderam qual o caminho que o alimento percorre até chegar no prato da merenda escolar. Por meio de vídeos disponibilizados pelo Programa de Ensino Sistematizado das Ciências (Pesc).

Escola Municipal Aribaldina de Lima Brito

Alunos da Escola Municipal Aribaldina de Lima Brito, localizada na Travessa Chico Mendes, bairro Jorge Teixeira, zona leste, também a realizaram a 2º Feira de Ciências, Tecnologia e Meio Ambiente. Temas como alimentação saudável, reciclagem, lendas amazônicas e  tuberculose foram abordados pelos alunos do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental. A feira aconteceu durante a manhã e no período da tarde e contou com a visita da comunidade em geral.
“Participaram, diretamente, cerca de 150 alunos. Mas indiretamente foram mais de 700 alunos da escola. Nós abrimos espaço para todas as turmas apresentarem seus trabalhos. O destaque foi o trabalho sobre a tuberculose. As professoras e alunos buscaram informativos nas casinhas de saúde para poder informar os visitantes. As demais turmas também falaram sobre frutas, lendas amazônicas e higiene bucal”.

Escola Municipal Cândido Portinari

Já a Feira de Ciências da Escola Candido Portinari, transformou a escola em uma oficina de reciclagem. Os 487 alunos da unidade de ensino, participaram ativamente da construção dos brinquedos com materiais reaproveitáveis. Nesta quinta-feira, 28, foi feita a exposição dos objetos. Tinha bonecas, porta trecos, porta retrato e um dos que mais chamou a atenção foi um carrinho de fricção feito de uma bota de couro.“Eles mesmos pesquisaram na internet como reaproveitar o lixo. Passaram mais de dois meses entre pesquisa e confecção e hoje, fizeram a exposição. Foi uma alegria muito grande para eles verem seus trabalhos sendo apreciados”, disse a professora do 5º ano, Suene Maia.
Texto: Thiago Botelho e Luana Carvalho
Fotos: Cleomir Santos e divulgação escola
Secretaria Municipal de Educação (Semed)
Assessoria de Comunicação
(92) 3632-2054

Alunos com deficiência participam de mais um dia de atividades do Jaavas da Semed

quinta-feira, agosto 28th, 2014

 

Cerca de 100 alunos, entre da Escola Municipal de Educação Especial André Vidal de Araújo, da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Seped), dos municípios de Iranduba e Presidente Figueiredo, além de algumas escolas municipais da rodovia AM-010, participaram na manhã desta quinta-feira, 28, de mais um dia de programação dos Jogos Adaptados André Vidal de Araújo (Jaavas).

O Jaavas é uma realização da Prefeitura de Manaus, por meio das secretarias municipais de Educação (Semed) e Juventude, Esporte e Lazer (Semjel), em parceria com as secretarias de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Seped), da Educação (Seduc) e da Juventude, Desporto e Lazer (Sejel), além da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e outros órgãos públicos e entidades privadas.

Os jogos aconteceram em uma das quadras do Sesi, localizada na Alameda Cosme Ferreira, bairro Coroado, zona Leste da cidade. Alunos com deficiência intelectual, física, autismo e síndrome de down participaram das atividades recreativas de corrida sobre o banco sueco, condução da bola, taco ao alvo e transporte de água.

A professora de surdos e deficiência intelectual do Complexo Municipal de Educação Especial, André Vidal de Araújo, Elaine Serrão de Souza, define os jogos como uma forma de valorizar uma clientela especial, que precisa de amor, atenção, carinho, mas principalmente de ser incluso dentro da sociedade como uma pessoa participativa e ativa.

“Nós estamos muito felizes pela oportunidade e privilégio, que nossos alunos estão tendo com o Jaavas, porque traz a possibilidade deles desenvolverem amplas habilidades. É uma chance de todos participarem em todos os aspectos, pois nosso objetivo não é a competição, mas a participação deles de mostrar a sociedade sua capacidade.”, finalizou.

A Escola Municipal Estrelas do Amanhã foi criada para funcionar dentro da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) do município de Iranduba. A unidade de ensino interiorana disputou as atividades com cerca de 120 alunos, entre deficiência intelectual, síndrome de down, surdos e autistas. A professora da escola, Lindanor de Oliveira Pontes, disse que a Semed proporciona uma chance única ao promover os jogos para os alunos deficientes.

“É um momento especial dos nossos alunos de Iranduba de poder interagir com estudantes de outras escolas aqui. Com certeza, essa participação ficará registrada na memória deles. Todos têm a maior vontade de participar, assim como os professores pela experiência de presenciar, como  essa interação, que ajuda no desenvolvimento da pessoa. O fundamental é que a pessoa com deficiência se sinta aceita no meio de outras pessoas também.”, analisou.

Alegre por participar das quatro atividades dos jogos, o aluno da Escola Municipal de Educação Especial André Vidal de Araújo, Moisés Oliveira, 21, que é portador de deficiência intelectual, mostrou com orgulho sua medalha no peito e disse ter se sentido valorizado pelas pessoas do evento.

“Gostei muito das atividades, mas é bom saber que têm pessoas que querem ajudar o próximo e dar apoio a quem precisa. A torcida dos parentes foi boa para motivar, valoriza a gente, porque nós precisamos disso mesmo.”, comentou.

            Programação

A programação continua na tarde desta quinta-feira, no Centro de Convivência da Família Magdalena Arce Daou, bairro da Compensa, zona Oeste, com atividade de futsal, vôlei e basquete.

Nesta sexta-feira pela manhã, 29, será realizada na Faculdade de Educação Física, da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), o atletismo e tênis de mesa. No período da tarde, acontece o encerramento do atletismo.

 

Texto: Paulo Rogério Veiga

Fotos: Cleomir Santos

 

Secretaria Municipal de Educação (Semed)

Assessoria de Comunicação

(92) 3632-2054

ProJovem Urbano realiza Festival Folclórico

quinta-feira, agosto 28th, 2014

As lendas amazônicas foram representadas pelos alunos do Programa Nacional de Inclusão de Jovens (ProJovem Urbano), durante o Festival Folclórico Pró-Lendas, realizado na noite desta quarta-feira, 27, no Clube Municipal, localizado na Avenida Torquato Tapajós, no bairro da Paz, zona Oeste.

De acordo com a coordenadora municipal do ProJovem Urbano, Magna Galvão Collyer, foram reunidas as nove turmas do programa, que estão se formando em 2014, para apresentar os trabalhos que foram desenvolvidos em sala de aula com os alunos.

“Os professores buscaram trabalhar com os alunos em sala de aula o resgate das lendas amazônicas, a Lenda da Vitória Régia, do Mapinguari, do Guaraná, entre outras. É importante esse trabalho com esses jovens que tem os 18 meses do curso para concluir o ensino fundamental, ter uma qualificação profissional e a inclusão digital”, informou.

 

Para a jovem Flaviana Gomes de Albuquerque, 19, que é aluna do ProJovem na Escola Municipal Firme na Fé, no bairro Alvorada, está foi uma segunda chance que ela teve para concluir os estudos.

“Tive que parar de estudar cedo e não concluí o Ensino Fundamental, foi quando conheci o ProJovem e tive uma segunda chance para finalizar meus estudos, foi muito importante para mim. Além de voltar a estudar, o programa nos oferece essa interação social, como a festa de hoje, onde aprendemos mais sobre a cultura amazônica e podemos nos apresentar para outras escolas”, relatou.

Professor do ProJovem Urbano, Celson Maciel de Moura, destacou a importância que tem na vida dos jovens e adultos que passam pela sala de aula buscando uma oportunidade de concluir os estudos mesmo depois de já ter uma vida formada.

“É uma satisfação que tenho, uma gratidão poder fazer parte desta equipe, de poder trabalhar com jovens e adultos que tem força de vontade na vida. Eles voltam a ser crianças em sala de aula, terminando o Ensino Fundamental, aprendendo o básico, que muito aprenderam cedo, mas isso não tira a vontade deles de saírem do ProJovem e buscar uma coisa melhor. Até porque ao final do curso eles ainda saem com uma qualificação profissional, o que já abre uma porta no mercado de trabalho”, informou.

As apresentações artísticas tomaram conta do salão, que contava com grande público presente. Teve danças como o Carimbó, dramatização das lendas e encenações diversas. Os alunos capricharam no figurino e no cenário das apresentações.

Projovem Urbano

O Programa Nacional de Inclusão de Jovens (ProJovem Urbano) acontece por meio de uma parceria entre Ministério da Educação e a Prefeitura de Manaus, por meio da Secretária Municipal de Educação (Semed). Atualmente conta com 1,2 mil alunos divididos em nove turmas, uma em cada escola da rede municipal de diferentes zonas.

 

O Programa é voltado para pessoas entre 18 e 29 anos que saibam ler e escrever e que ainda não tenham concluído o Ensino fundamental. O objetivo é que os alunos obtenham certificado do Ensino fundamental com formação integral, qualificação profissional e inclusão digital. Os alunos que obtiverem percentual de 75% de frequência e participação efetiva em atividades em sala de aula recebem um auxilio mensal de R$ 100. O curso tem duração de 18 meses.

 

TEXTO: João Pedro Figueiredo

FOTOS: Cleomir Santos

Gestores das escolas da zona Rural Ribeirinha participam de reunião mensal

quarta-feira, agosto 27th, 2014

Gestores da Divisão Distrital Zonal (DDZ) 7, zona Rural Ribeirinha de Manaus, estiveram reunidos, na tarde desta quarta-feira, 27, para esclarecerem dúvidas e trocarem informações sobre a parte pedagógica e administrativa das escolas. Para os diretores, houve uma melhora em relação às respostas da Secretária Municipal de Educação (Semed) às demandas das unidades escolares.

Josias Marinho de Amorim é gestor da Escola Municipal Manoel Chagas, na comunidade Bom Sucesso, Rio Amazonas, e elogiou a rapidez com que as solicitações dos gestores estão sendo atendidas.

“Esses encontros mensais são muito importantes tanto pata o gestor quanto para os polos. A gente vem para o encontro e levamos informações para os professores, servidores e comunidade, melhorando assim a aprendizagem dos alunos. Houve uma melhora grande, porque há um acompanhamento por parte da DDZ rural, a equipe é muito boa, procura fazer o melhor para beneficiar a aprendizagem do aluno”.

A gestora da Escola Municipal Santo Antônio, na Comunidade Monte Sinai, no Rio Negro, também disse que as reuniões são proveitosas e objetivam o processo ensino-aprendizagem. “Nos reunimos todos os meses e acho as reuniões muito proveitosas. Com essa proximidade a mais, tivemos uma melhora na parte administrativa. Quando a lancha quebra, por exemplo, ligamos para a DDZ e logo substituem e antes demorava um pouco mais”, comentou.

Assuntos como infraestrutura, merenda escolar, instalação de condicionadores de ar, entre outros, também foram debatidos entre os gestores e representantes da Semed.

 

Texto: Luana Carvalho

Fotos: Lton Santos

Plantas, insetos e a vida das minhocas são apresentados na 1ª Feira de Ciências do Cmei Maria Amélia

quarta-feira, agosto 27th, 2014

Uma aula diferente. Assim foi a tarde dos alunos do Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei)  Maria Amélia Tavares Lopes, com a realização da 1ª Feira de Ciências, onde  aprenderam de forma lúdica sobre espécies de animais e plantas. A unidade fica localizada na comunidade Bela Vista, Bairro Puraquequara, zona lesta da cidade.  O evento reuniu professores, estudantes, pais, responsáveis e comunitários.

O subtema abordado pela unidade foram as plantas, onde foram apresentados nomes, tipos e partes das plantas, a vida das minhocas, onde foi abordado que tipo de animais são, para que são úteis ao meio ambiente e suas partes. Também foi explicado sobre as características, tipos e especificidades  dos insetos.

A feira foi aberta para toda a comunidade e trabalhada por meio de painéis, folders, estandes e exposição de vídeos. O trabalho de pesquisa e preparação levou cerca de 40 dias, como explicou a gestora da unidade, Katieane Monteiro.

“O trabalho que está sendo apresentado hoje é fruto do trabalho de alunos e professores do Cmei, que ao longo de 45 dias, dedicaram-se a estudar, pesquisar e entender a fundo o que abordamos hoje”, ressaltou a gestora.

A gestora também enfatizou que os eventos com esse incentivam a pesquisa e gosto pelo estudo. “Este evento é uma forma de cultivar o interesse dos alunos pela pesquisa. Acho até que é esse principal objetivo desta feira. Fazer com que eles percebam que a pesquisa  o estudo são de extrema importância na vida deles”, falou.

A aluna Maíra Boni Mayer, de 5 anos, do 2º período mencionou o que aprendeu com a feira. “Adorei a feira. Me diverti e aprendi muita coisa. Aprendi, por exemplo,  que as minhocas são importantes para meio ambiente e que elas têm um papel importante nele”, mencionou a aluna.

 

Texto: Emerson Felipe

 

Secretaria Municipal de Educação (Semed)

 Assessoria de Comunicação

(92) 3632-2054

Alunos mostram como usar o vídeo game para superar o sedentarismo

quarta-feira, agosto 27th, 2014

Alunos do 8º ano da Escola Municipal Dom Jackson Damasceno, no Valparaíso, zona Leste, apresentaram o projeto ‘Exergame’ para mostrar o quanto os jovens estão sedentários, durante a Feira de Ciências da escola. Sob orientação do professor de educação física Rodrigo Souza, eles deixaram de lado os joistiques e, com os movimentos do corpo, praticaram vôlei, boxe e corrida por meio da plataforma do vídeo game XBox 360 Kinect.

 

“Eu não sabia que poderia usar o vídeo game pra me exercitar. Conheci quando o professor deu a ideia de fazermos o projeto. Como faço parte da equipe, me senti obrigado a dar exemplo e desde o início, há uns meses atrás, comecei me exercitar. Quando comecei pesava 85 quilos. Hoje, estou na faixa dos 73 quilos. Uma brincadeira que tem ajudado na minha saúde”, afirmou o aluno Ian Maciel.

 

Segundo o professor Rodrigo Souza, a ideia do Exergame é não somente divertir, mas unir entretenimento e atividade física. O projeto está sendo avaliado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) por meio do Projeto Ciência na Escola (PCE) e pode receber incentivos para ser expandido.

 

“Nosso trabalho é investigar a intensidade dos exercícios com a utilização dos jogos virtuais. Nós selecionamos dez alunos para servirem como base do nosso estudo. Durante 50 minutos eles praticaram exercícios com o jogo e nós aferimos a frequência cardíaca e pressão arterial deles. Assim vamos ter como calcular o gasto calórico deles após a realização da atividade”, explicou o professor afirmando ainda que os jogos chamam a atenção dos jovens.

 

“Os jogos trazem uma atratividade para os adolescentes. Eles vêm um jogo e querem brincar. Só que diferente desses jogos comuns, nós temos um jogo com movimento. Então eles vão praticar exercícios e se divertindo. A ideia é tirá-los do sedentarismo”, concluiu.

 

Alimentação saudável

 

Como forma de complemento a pratica de exercícios físicos, a outra turma do 8º ano, abordou o tema alimentação saudável, onde apresentou os alimentos que o corpo humano precisa para ter um bom desenvolvimento. Uma das equipes apresentou os tipos de distúrbios alimentares mais frequentes, como: anorexia, bulimia e compulsão alimentar.

 

Débora Ferreira, 14, conta que antes de estudar para a apresentação da feira de ciências, desconhecia os males relacionados à alimentação. O que mais chamou a atenção da aluna foi a compulsão alimentar.

 

“Eu até me identifiquei um pouco com isso. Muitas vezes comia sem ter vontade, só por comer mesmo, já que, era algo gostoso. Entendi que o compulsivo alimentar é como um alcoólatra. Eles são viciados em comida. É muito impressionante isso. Descobri vários casos. Parece que quanto mais comem, com mais fome ficam”, observou.

 

TEXTO: THIAGO BOTELHO

FOTOS: CLEOMR SANTOS